Intervenções para a síndrome nefrótica idiopática corticorresistente em crianças

Qual é o problema?

A síndrome nefrótica é uma doença na qual os rins deixam de impedir a passagem de proteínas do sangue para a urina. Os corticoides são utilizados primariamente para atingir a remissão da doença. Outros agentes, tais como os inibidores da calcineurina (ciclosporina, tacrolimus) ou os inibidores da enzima conversora da angiotensina, são necessários nas crianças que não respondem aos corticosteróides no seu primeiro episódio de síndrome nefrótica (resistência inicial) ou naquelas que desenvolvem resistência aos corticoides após uma ou mais respostas aos corticosteróides (resistência tardia).

O que foi realizado?

Foi realizada uma pesquisa no Registo Especializado da Cochrane Kidney and Transplant (até 17 de setembro de 2019). Foram incluídos ensaios aleatorizados e controlados que comparassem diferentes agentes imunossupressores ou não imunossupressores com placebo, prednisolona ou outro agente em crianças com síndrome nefrótica resistente aos corticoides. Foram incluídos estudos de novos tratamentos, uma vez que incluíam crianças e adultos.

O que foi detetado?

Esta análise concluiu que a ciclosporina, em comparação com placebo, nenhum tratamento ou prednisona, pode aumentar o número de participantes nos quais a presença de proteína na urina desaparece (remissão completa) ou é marcadamente reduzida (remissão parcial). Os inibidores da calcineurina (ciclosporina, tacrolimus), comparativamente à ciclofosfamida endovenosa, também podem aumentar o número de crianças que atingem a remissão completa ou parcial. Parece haver pouco ou nenhum benefício em usar outros agentes imunossupressores estudados até à data. Os inibidores da enzima conversora da angiotensina podem reduzir a quantidade de proteínas na urina.

Conclusões

Os inibidores da calcineurina podem aumentar a probabilidade de remissão completa ou parcial em comparação com placebo/sem tratamento ou ciclofosfamida. No entanto, a certeza da evidência é baixa porque os estudos incluídos eram de pequena dimensão. Permanece incerto se outras intervenções podem alterar os resultados, uma vez que existem poucos estudos e de pequena dimensão. São necessários ensaios controlados e aleatorizados maiores e bem concebidos para avaliar outras combinações terapêuticas para crianças com síndrome nefrótica resistente aos corticoides.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Rute Baeta Baptista. Unidade de Nefrologia Pediátrica, Hospital Dona Estefânia, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save