A adição de ferro à farinha de trigo reduz a anemia e aumenta os níveis de ferro na população em geral?

Porque é que precisamos de ferro na nossa alimentação?

O ferro é um mineral essencial que se encontra em todas as células do corpo. É necessário para produzir hemoglobina, a proteína transportadora de oxigénio no sangue. As moléculas de ferro da hemoglobina ligam-se ao oxigénio e transportam-no dos pulmões para todas as células e tecidos do corpo. Níveis baixos de hemoglobina significam que o corpo não recebe oxigénio suficiente.

A anemia desenvolve-se quando os níveis de hemoglobina no sangue são demasiado baixos. Os sintomas da anemia incluem: cansaço e falta de energia, ficar sem fôlego rapidamente, pele pálida e maior suscetibilidade a infeções.

Níveis baixos de hemoglobina podem ser causados por perdas de sangue, gravidez ou pela falta de ingestão de alimentos que contenham ferro em quantidade suficiente (anemia por deficiência de ferro). A anemia por deficiência de ferro pode ser tratada tomando comprimidos de ferro ou comendo alimentos ricos em ferro.

Alimentos fortificados

À adição de micronutrientes (vitaminas e minerais) aos alimentos, quer esses micronutrientes estivessem presentes no alimento originalmente ou não, chama-se de fortificação. A fortificação de alimentos é uma forma de melhorar a nutrição numa população.

As pessoas que vivem em países de baixo rendimento podem não ter ferro suficiente na sua dieta e podem estar em risco de anemia. Pensa-se que a adição de ferro e de outros nutrientes a alimentos habitualmente consumidos em grandes quantidades, como a farinha, ajuda a prevenir a anemia por deficiência de ferro.

Porque fizemos esta Revisão Cochrane?

Queríamos descobrir como é que a adição de ferro, e de outros minerais e vitaminas, à farinha de trigo afetava os níveis de ferro no sangue da população em geral, e se menos pessoas desenvolviam anemia ou outros problemas de saúde. Também queríamos saber se a adição de ferro à farinha de trigo causava algum efeito indesejável.

O que fizemos?

Procurámos estudos que investigassem a ingestão de qualquer tipo de alimentos feitos com farinha de trigo contendo ferro adicionado, ou alimentos feitos com farinha de trigo sem ferro adicionado. De seguida, comparámos os estudos entre si, para descobrir os efeitos da adição de ferro à farinha de trigo na saúde das pessoas e nos níveis de ferro e hemoglobina no sangue.

Data da pesquisa: incluímos evidência publicada até 21 de julho de 2020.

O que encontrámos

Encontrámos 10 estudos que incluíram 3.319 pessoas (com 2 anos ou mais). Os estudos tiveram uma duração entre 3 meses e 24 meses e foram realizados no Bangladesh, Brasil, Índia, Kuwait, Filipinas, Sri Lanka e África do Sul.

Os estudos analisaram os efeitos de:

- farinha de trigo com ferro adicionado (com ou sem outros minerais e vitaminas) em comparação com farinha de trigo sem ferro adicionado (mas com os mesmos outros minerais e vitaminas);

- farinha de trigo com adição de ferro e de outros minerais e vitaminas, comparada com farinha de trigo sem adição de minerais ou vitaminas.

As farinhas de trigo utilizadas nos estudos continham quantidades diferentes de ferro: desde menos de 40 mg/kg até mais de 60 mg/kg.

Estávamos interessados em saber:

- o número de pessoas com anemia (definida por níveis baixos de hemoglobina);

- o número de pessoas com níveis baixos de ferro no sangue (deficiência de ferro; testado através de um biomarcador);

- concentrações de hemoglobina no sangue das pessoas;

- quantas crianças tiveram diarreia ou infeções respiratórias;

- quantas crianças morreram (de qualquer causa);

- sinais de infeção ou inflamação (a resposta do organismo a lesões) em crianças (através da análise de um biomarcador no sangue); e

- quaisquer efeitos indesejados.

A maioria dos estudos teve várias fontes de financiamento; alguns foram parcialmente financiados por empresas envolvidas nas indústrias alimentar, química ou farmacêutica.

Quais são os resultados desta revisão?

Em comparação com farinha sem adição de ferro (mas com outros minerais e vitaminas)

Farinha com adição de ferro (com ou sem outros minerais e vitaminas):

- pode reduzir a anemia, em 27% (evidência de 5 estudos, 2.315 pessoas); e

- provavelmente não faz qualquer diferença no risco de infeção ou inflamação das crianças (2 estudos, 558 crianças).

Não ficou claro de que forma a farinha com adição de ferro afetou a deficiência de ferro (3 estudos, 748 pessoas), ou os níveis de hemoglobina (8 estudos, 2.831 pessoas ).

Em comparação com a farinha sem adição de minerais ou vitaminas

A farinha que contém ferro adicionado (com outros minerais e vitaminas) provavelmente reduziu a deficiência de ferro (3 estudos, 382 pessoas). Não ficou claro nos estudos de que forma a farinha contendo ferro adicionado afetou a anemia (2 estudos, 317 pessoas) ou os níveis de hemoglobina (4 estudos, 532 pessoas).

Nenhum estudo reportou informações sobre efeitos indesejáveis, ou quantas crianças morreram, ou tiveram diarreia ou infeções respiratórias.

A nossa confiança nos nossos resultados

A nossa confiança é moderada a baixa no facto de que adicionar ferro à farinha provavelmente reduz a deficiência de ferro e a anemia. Os estudos pareceram mostrar menos pessoas com deficiência de ferro e níveis de hemoglobina ligeiramente mais elevados associados à farinha com ferro adicionado, mas os resultados variaram muito, pelo que não temos a certeza sobre esse efeito. Os resultados podem vir a mudar à medida que mais evidência se torne disponível. Encontrámos limitações na forma como alguns dos estudos foram concebidos e conduzidos, o que pode ter afetado os seus resultados.

Mensagens-chave

A adição de ferro à farinha de trigo pode levar a um menor número de pessoas com anemia ou níveis baixos de ferro no sangue na população em geral.

Não sabemos se a adição de ferro à farinha de trigo causa efeitos indesejáveis, porque nenhum estudo os analisou.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Traduzido por: Juan José Rachadell, Instituto de Saúde Baseada na Evidência (ISBE). Revisão final: Ricardo Manuel Delgado, Knowledge Translation Team, Cochrane Portugal.

Tools
Information