Métodos para melhorar a higiene das mãos dos profissionais de saúde para diminuir as infecções durante os cuidados ao paciente

Qual o objetivo desta revisão?

Identificar quais estratégias podem aumentar a adesão às recomendações de higiene das mãos por parte dos profissionais de saúde, seja lavando as mãos com água e sabão, ou usando produto alcoólico antissépticos para as mãos, ou ambos. Essa é uma atualização de uma revisão publicada anteriormente.

Principais achados

Diversas intervenções isoladas e combinadas, muitas baseadas em recomendações atuais da Organização Mundial da Saúde (OMS), levaram a um aumento da adesão à higiene das mãos na maioria dos estudos, independentemente do local onde foram conduzidos. No entanto, a qualidade (grau de confiança) da evidência variou de muito baixa até moderada, dependendo da intervenção. O que ainda não está claro é qual intervenção, ou combinação de intervenções, é mais eficaz em um determinado local.

O que estudamos na revisão?

Tradicionalmente, a higiene das mãos tem sido considerada a forma mais importante de reduzir as infecções associadas aos cuidados de saúde. Muitas infecções são disseminadas por contato direto, especialmente pelas mãos dos profissionais de saúde. No mundo todo, gasta-se muito tempo e esforço para promover a higiene das mãos. Muitas estratégias diferentes têm sido testadas para melhorar a adesão à higiene das mãos, mas ainda não está claro quais seriam os métodos mais eficazes.

Quais são os principais resultados da revisão?

Incluímos 26 estudos na revisão. Catorze estudos avaliaram o sucesso de diferentes combinações de estratégias recomendadas pela OMS para melhorar a adesão à higiene das mãos. As estratégias consistiram em: aumentar a disponibilidade de produtos à base de álcool para a higiene das mãos, diferentes tipos de educação para os profissionais, lembretes (escritos e verbais), diferentes tipos de feedback de desempenho, apoio administrativo e envolvimento do pessoal. Seis estudos avaliaram diferentes tipos de feedback de desempenho, dois estudos avaliaram educação, três estudos avaliaram dicas como avisos ou fragrâncias, e um estudo avaliou a disponibilização de produto alcoólico antisséptico para as mãos.

As estratégias multimodais (com vários componentes) que incluem algumas, mas não todas, as estratégias recomendadas pela OMS, podem aumentar ligeiramente a adesão à higiene das mãos e reduzir ligeiramente as taxas de infecção (evidência de baixa qualidade). As intervenções multimodais que incluem todas as estratégias recomendadas pela OMS produzem pouca ou nenhuma diferença nas taxas de infecção por Staphylococcus aureus (MRSA) resistente à meticilina (evidência de baixa qualidade). Porém, como a evidência é de qualidade muito baixa, não termos certeza se essas abordagens baseadas na OMS aumentam a adesão à higiene das mãos ou reduzem as taxas de colonização. As intervenções multimodais que incluem todas as estratégias recomendadas pela OMS mais estratégias adicionais podem aumentar ligeiramente a adesão à higiene das mãos (evidência de baixa qualidade). Porém, como a qualidade da evidência é muito baixa, não está claro se essas intervenções da OMS amplificadas reduzem as taxas de infecção.

O feedback do desempenho pode ampliar a adesão à higiene das mãos (evidência de baixa qualidade) e provavelmente reduz ligeiramente as taxas de infecção e colonização de micro-organismos (evidência de qualidade moderada). A educação pode ampliar a adesão à higiene das mãos (evidência de baixa qualidade). Dicas, tais como avisos ou cheiros, podem aumentar ligeiramente a adesão à higiene das mãos (evidência de baixa qualidade). A disponibilização de produto alcoólico antisséptico para as mãos perto do ponto de utilização provavelmente aumenta um pouco a adesão à higiene das mãos (evidência de qualidade moderada).

Quão atualizada é esta revisão?

Os autores da revisão procuraram estudos que tivessem sido publicados até outubro de 2016.

Conclusão dos autores: 

Identificamos muita variabilidade na qualidade da evidência, nas intervenções, e nos métodos dos estudos incluídos nesta revisão. Portanto, é necessário e urgente realizar novos estudos, de alta qualidade metodológica, para investigar a efetividade das intervenções multimodais versus intervenções mais simples para aumentar a adesão à higiene das mãos, e para identificar quais componentes das intervenções multimodais ou combinações de estratégias são mais eficazes em situações específicas.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

As infecções associadas aos cuidados de saúde são uma das principais causas de morbimortalidade. A higiene das mãos é considerada uma medida preventiva eficaz. Essa é uma atualização de uma revisão publicada anteriormente.

Objetivos: 

Avaliar o sucesso, no curto e longo prazo, das estratégias para aumentar a adesão às recomendações para a higiene das mãos, e avaliar se um aumento na adesão à higiene das mãos pode reduzir as taxas de infecções associadas aos cuidados de saúde.

Estratégia de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes bases de dados: Cochrane Register of Controlled Trials, PubMed, Embase e CINAHL. Para esta atualização, fizemos buscas entre novembro de 2009 até outubro de 2016.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados (ECRs), ensaios clínicos não randomizados, estudos controlados antes e depois, e estudos de séries temporais interrompidas, que avaliaram qualquer intervenção para ampliar a adesão à higiene das mãos usando sabão e água, ou produtos alcoólicos antissépticos para as mãos, ou ambos.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores da revisão, trabalhando de forma independente, selecionaram as citações, extraíram dados, e avaliaram os riscos de viés de cada estudo incluído. Como havia muita heterogeneidade entre os estudos, não foi possível realizar meta-análises. Avaliamos a qualidade (confiança) das evidências usando a abordagem GRADE e apresentamos os resultados de forma narrativa na tabela 'Resumo dos resultados'.

Resultados principais: 

Esta revisão inclui 26 estudos: 14 ECRs, 2 ensaios clínicos não randomizados, e 10 estudos de séries temporais interrompidas. A maioria dos estudos foi realizada em hospitais ou instituições para cuidados de longa duração em diferentes países, e coletou dados de vários tipos de profissionais de saúde. Catorze estudos avaliaram o sucesso de diferentes combinações de estratégias recomendadas pela Organização Mundial da Saúde (OMS) para aumentar a adesão à higiene das mãos. As estratégias consistiram no seguinte: aumento da disponibilidade de produto alcoólico antisséptico para as mãos, diferentes tipos de educação para os profissionais de saúde, lembretes (escritos e verbais), diferentes tipos de feedback de desempenho, apoio administrativo e envolvimento do pessoal. Seis estudos avaliaram diferentes tipos de feedback de desempenho, dois estudos avaliaram educação, três estudos avaliaram dicas como avisos ou fragrâncias, e um estudo avaliou a disponibilização de produto alcoólico antisséptico para as mãos. Exceto por três estudos, todos os outros relataram a adesão observada à higiene das mãos. Oito estudos também relataram taxas de infecção ou colonização. Todos os estudos tinham dois ou mais domínios com risco de viés incerto ou alto, na maioria das vezes associados ao cegamento ou independência da intervenção.

As intervenções multimodais que incluem algumas mas não todas as estratégias recomendadas pela OMS podem aumentar ligeiramente a adesão à higiene das mãos (cinco estudos; 56 centros) e podem reduzir ligeiramente as taxas de infecção (três estudos; 34 centros), evidência de baixa qualidade para ambos os desfechos.

As intervenções multimodais que incluem todas as estratégias recomendadas pela OMS podem reduzir ligeiramente as taxas de colonização (um estudo; 167 centros; evidência de baixa qualidade). Como a qualidade da evidência é muito baixa, não está claro se essa intervenção aumenta a adesão à higiene das mãos (cinco estudos; 184 centros) ou reduz a infecção (dois estudos; 16 centros).

As intervenções multimodais que incluem todas as estratégias recomendadas pela OMS mais as estratégias adicionais podem aumentar ligeiramente a adesão à higiene das mãos (seis estudos; 15 centros; evidência de baixa qualidade). Não está claro se esta intervenção reduz as taxas de infecção (um estudo; um centro; evidência de qualidade muito baixa).

O feedback do desempenho pode aumentar a adesão à higiene das mãos (seis estudos; 21 centros; evidência de baixa qualidade). Existe evidência de qualidade moderada que essa intervenção provavelmente reduz ligeiramente as taxas de infecção (um estudo; um centro) e de colonização (um estudo; um centro).

A educação pode aumentar a adesão à higiene das mãos (dois estudos; dois centros), evidência de baixa qualidade.

As dicas, tais como avisos ou cheiros, podem aumentar ligeiramente a adesão à higiene das mãos (três estudos; três centros), evidência de baixa qualidade.

A disponibilização de produto alcoólico antisséptico para as mãos perto do ponto de utilização provavelmente aumenta ligeiramente a adesão à higiene das mãos (um estudo; um centro), evidência de qualidade moderada.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane South Africa e Cochrane Africa em parceria com o Cochrane Brazil (Mateus de Faria e Maria Regina Torloni). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save