Descolamento de membranas na indução do trabalho de parto

Qual é a pergunta?

O objetivo desta revisão da Cochrane é avaliar se o descolamento de membranas é uma forma segura e eficaz de induzir o parto a curto-prazo ou se é mais eficaz do que os métodos formais de indução.

Qual a importância desta revisão?

A indução do trabalho de parto é oferecida às mulheres quando a continuação da gravidez é considerada mais prejudicial para a mãe ou para o feto do que os efeitos adversos da indução. O motivo mais comum para a indução do trabalho de parto é a gravidez pós-termo (gestações que continuam após as 42 semanas de gestação).

O descolamento de membranas é um procedimento relativamente simples e de baixo custo, que procura reduzir o uso da indução do trabalho de parto e que pode ser realizado sem a necessidade de hospitalização. Envolve a introdução por parte do médico de um ou dois dedos na parte inferior do útero (colo do útero), utilizado um um movimento circular contínuo para descolar as membranas do polo inferior em contacto com o colo do útero. A indução do trabalho de parto envolve estimular artificialmente a contratilidade com fármacos como prostaglandinas ou ocitocina ou através da amniotomia.

Qual foi a evidência que encontrámos?

Procuramos por estudos publicados até 25 de fevereiro de 2019. Foram incluídos 44 estudos aleatorizados que incluíram um total de 6940 mulheres de vários países.

Os estudos compararam o descolamento de membranas sem intervenção ou com placebo, bem como com prostaglandinas vaginais ou intracervicais, misoprostol oral, ocitocina e descolamentos de membranas seriados.

Dos sete estudos que relataram financiamento, dois estudos declararam financiamento de empresas farmacêuticas. No global, a qualidade da evidência encontrada foi baixa.

Resultados principais

Comparado com ausência de intervenção ou com placebo, ou seja, um descolamento simulado(40 estudos que envolveram 6548 mulheres), o descolamento de membranas tem maior probabilidade de resultar num início espontâneo do trabalho de parto, mas sem diferenças claras no que toca ao parto vaginal espontâneo. As mulheres têm igualmente menor probabilidade de vir a ter uma indução do trabalho de parto. Não foram encontradas diferenças relativamente à cesariana, parto vaginal instrumental, doença grave ou morte da materna ou fetal.

Quando comparado com as prostaglandinas vaginais ou intracervicais (quatro estudos envolvendo 480 mulheres), o descolamento de membranas não mostrou diferenças em nenhum dos pontos avaliados.

Os dados encontrados foram insuficientes para retirar conclusões relativamente à comparação do descolamento de membranas com a utilização de ocitocina endovenosa com ou sem amniotomia ou com a utilização de misoprostol vaginal / oral. O mesmo aconteceu no que toca ao descolamento de membranas seriado.

O que é que isto significa?

O descolamento de membranas parece ser eficaz na promoção do trabalho de parto, mas a evidência atual sugere que pode não alterar a taxa de partos vaginais espontâneos. O descolamento de membranas pode reduzir a indução do trabalho de parto. Apenas três estudos relataram a satisfação das mulheres com o procedimento. As mulheres relataram sentir-se positivas em relação ao mesmo. Embora reconheçam que pode ser desconfortável, referiram que os benefícios suplantaram o eventual desconforto e que recomendariam o descolamento de membranas a outras mulheres. São necessário mais estudos para confirmar os resultados de nossa revisão e identificar o momento ideal para a realização do descolamento de membranas e para perceber se procedimentos repetidos serão ou não mais eficazes. São também necessárias informações adicionais sobre a opinião das grávidas.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Ana Dagge, Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save