Inibidores PCSK9 na prevenção de doenças cardiovasculares

Pergunta de investigação:

Qual é a eficácia e segurança dos inibidores de PCSK9 na prevenção de doenças cardiovasculares (DCV)?

Introdução

Apesar da disponibilidade de medicamentos eficazes (como estatinas (que funcionam bloqueando uma substância que o corpo precisa para produzir colesterol) ou ezetimiba (que impede o corpo de absorver o colesterol dos alimentos), ou ambos) que reduzem a lipoproteína de baixa densidade (LDL) colesterol (LDL-C) (às vezes chamado de colesterol "mau"), as DCV continuam sendo uma importante causa de morte e invalidez. Pode ser necessária uma redução adicional do LDL-C, especialmente para pessoas que não respondem ou são incapazes de usar os medicamentos de redução do LDL-C existentes. Os medicamentos chamados inibidores de PCSK9 são outra forma de reduzir os níveis de LDL-C e reduzir o risco de DCV.

Características do estudo

Os autores da revisão identificaram 23 estudos que avaliaram os efeitos dos inibidores da PCSK9, alirocumabe e evolocumabe, em pessoas com alto risco de DCV. Os estudos foram realizados em ambulatórios. Os autores da revisão identificaram os estudos incluídos nesta revisão por meio de pesquisas eletrónicas na literatura realizadas até dezembro de 2019. Esta é uma atualização da revisão publicada pela primeira vez em 2017.

Resultados principais

Tanto o alirocumabe como o evolocumabe diminuíram o risco de DCV quando adicionados a outros medicamentos redutores do LDL-C (por exemplo, estatinas ou ezetimiba). Adicionalmente, o alirocumab mostrou uma diminuição na mortalidade por qualquer causa; com evidência insuficiente para o evolocumab. Dados limitados, geralmente de qualidade inferior, estavam disponíveis comparando estes inibidores de PCSK9 com outras drogas redutoras de LDL-C. As diferenças de risco entre pessoas tratadas com e sem inibidores de PCSK9 sugerem que o benefício absoluto do tratamento será provavelmente modesto (por exemplo, menos de 1% de alteração no risco).

Qualidade da evidência

Encontramos evidências de alta qualidade ao adicionar inibidores de PCSK9 a tratamentos existentes para redução do LDL-C e evidências de baixa a muito baixa qualidade ao substituir medicamentos redutores de LDL-C existentes por inibidores de PCSK9.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Mariana Alves, Serviço Medicina III, Hospital Pulido Valente, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save