Isoflavonas para hipercolesterolemia

Hipercolesterolemia é a presença de altos níveis de colesterol no sangue Em humanos, hipercolesterolemia é frequentemente devido a altos níveis de lipoproteína de baixa densidade (LDL), o chamado colesterol "ruim" Pessoas com hipercolesterolemia tem uma alto risco de desenvolver doenças cardiovasculares devido a ataques cardíacos ou acidente vascular encefálico. Isoflavonas são substâncias químicas em plantas semelhantes a fitoestrógenos que podem ser úteis para melhorar a hipercolesterolemia. Soja e trevo vermelho são fontes ricas de isoflavonas. A população asiática consome mais isoflavonas por sua dieta regular do que a população ocidental.

Acessar os efeitos das isoflavonas para o tratamento da hipercolesterolemia, nós examinamos cinco estudos controlados randomizados de isoflavonas ou proteína de soja contendo isoflavonas. Os estudos duraram de três a seis meses e envolveram 208 participantes. Não houve dados sobre desfechos de morte por qualquer causa, eventos cardiovasculares, como ataque cardíaco ou acidente vascular cerebral, morbidade, complicações, qualidade de vida relacionada a saúde e custos. Dois estudos reportaram efeitos adversos, incluindo desconforto gastrointestinal (distensão e constipação) e aumento no número de fogachos. Eles não observaram nenhum efeito adverso grave. Em nosso estudos incluídos, nós encontramos nenhum efeito em redução do colesterol de isoflavonas. Contudo, a qualidade dos estudos incluídos possui algumas limitações consideráveis, e o número de pacientes foi baixo. Ainda são necessários estudos de maior qualidade e rigorosamente realizados em medidas de importantes dos resultados dos pacientes, tais como doenças cardiovasculares e de qualidade de vida relacionadas a saúde são necessárias.

Conclusão dos autores: 

Não foi encontrada nenhuma evidência para desfechos importantes para os pacientes ou diminuição dos níveis de colesterol em pessoas com hipercolesterolemia. Nossos resultados devem ser interpretados com cautela devido ao alto ou não claro risco de viés em vários domínios de risco de viés, além do baixo número de participantes nos estudos.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Hipercolesterolemia é um fator de risco significantes para doenças cardiovasculares. Isoflavonas podem ser efetivas na melhora da hipercolesterolemia.

Objetivos: 

Acessar os efeitos de isoflavonas para hipercolesterolemia.

Estratégia de busca: 

Nós buscamos as seguintes bases de dados: The Cochrane Library (Edição 9, 2012), MEDLINE, EMBASE, Chinese BioMedical Database e China National Knowledge Infrastructure (todos em setembro de 2012).

Critérios de seleção: 

Nós consideramos estudos clínicos randomizados e controlados em pacientes hipercolesterolêmicos comparando isoflavonas versus placebo, ou proteína isolada de soja adicionada com isoflavonas versus proteína isolada de soja sozinha.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores da revisão, independentemente, resumiram as características pertinentes da população e da intervenção. Nós resolvemos quaisquer divergências através de discussão ou, se exigido, por um terceiro. Foi avaliado o risco de viés dos estudos contra critérios principais: geração de sequência aleatória, ocultação da alocação, cegamento de participantes e de pessoal, cegamento de avaliação de resultados, dados de resultados incompletos, relatório seletivo e outras fontes de viés.

Resultados principais: 

Nós incluímos cinco estudos randomizados (208 participantes, 104 no grupo intervenção e 104 no grupo controle). Intervenções variaram de três a seis meses. Quatro estudos reportaram resultados em população não asiática publicados em inglês. Um estudos reportou resultados em chineses publicado em chinês. No geral, o risco de viés de estudos incluídos foi alto ou pouco claro. Não houve dados sobre desfechos de morte por qualquer causa, morbidade, complicações, qualidade de vida relacionada a saúde e custos. Dois estudos reportaram efeitos adversos, incluindo desconforto gastrointestinal (distensão e empachamento) e um aumento do número de fogachos. Nenhum dos estudos encontrou efeitos adversos graves. Houve um ligeiro efeito significativo sobre os triglicrideos em favor de isoflavonas, quando comparado com placebo (diferença média (DM) -0,46 mmol/L ( intervalo de confiança (IC) de 95% de -0,84 a -0,09; P = 0,02; 52 participantes; 2 ensaios ). Nenhum efeito estatisticamente significante no colesterol total, lipoproteína de baixa densidade e lipoproteína de alta densidade foi mostrado em favor das isoflavonas.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Caroline de Barros Gomes, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da UNESP, Brazil. Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save