Acupuntura ou acupressão para aliviar a dor durante o trabalho de parto

Avaliamos a evidência proveniente de ensaios clínicos randomizados sobre o uso de acupuntura ou acupressão para aliviar a dor durante o trabalho de parto. Esta é a atualização de uma revisão publicada em 2011.

Qual é o problema?

A dor que as mulheres sentem durante o trabalho de parto pode ser intensa. A tensão corporal, a ansiedade e o medo podem aumentar ainda mais essa dor. A dor é causada pelas contrações do útero e pela abertura do colo do útero. No final do primeiro período e no segundo período do trabalho de parto, a dor também é causada pelo estiramento da vagina e do assoalho pélvico à medida que o bebê se desloca pelo canal de parto. O manejo eficaz e satisfatório da dor precisa ser individualizado e ajustado para cada mulher. As mulheres também podem usar estratégias para tentar quebrar o ciclo medo-tensão-dor e conseguirem lidar melhor com a dor. Lidar com a dor envolve oferecer apoio e encorajamento às mulheres, encontrar posições confortáveis, imersão na água e técnicas de auto-ajuda.

Muitas mulheres gostariam de passar pelo trabalho de parto sem usar remédios. As mulheres podem recorrer à acupuntura ou acupressão para ajudar a reduzir sua dor e melhorar o manejo da dor.

Por que isso é importante?

A acupuntura tem uma longa história na Ásia, incluindo na China, na Coreia e no Japão. São necessárias habilidades técnicas de agulhamento para aplicar as agulhas nos pontos corretos. O acupressão também tem sua origem na China antiga. Para aplicar acupressão, o terapeuta usa as mãos e os dedos para ativar os mesmos pontos que na acupuntura. Às vezes é necessário agulhar apenas alguns pontos para aliviar a dor ou trazer uma sensação de relaxamento. Outras vezes pode ser necessário usar vários pontos para um maior efeito. Algumas formas de acupressão são aplicadas por profissionais de saúde treinados, enquanto outras podem ser aplicadas pela paciente como uma forma de auto-massagem.

Que evidências encontramos?

Fizemos uma nova busca em fevereiro de 2019 e encontramos 17 novos estudos relevantes.

Esta revisão inclui agora 28 ensaios clínicos randomizados (ECR) que incluíram um total de 3960 mulheres; 27 desses estudos tinham dados que foram usados na revisão. Os estudos compararam a acupuntura ou acupressão versus um tratamento falso como placebo, nenhum tratamento ou cuidados habituais para manejar a dor durante o trabalho de parto. Treze estudos tinham dados sobre acupuntura e 15 sobre acupressão. Em 18 dos 27 estudos, as mulheres estavam em trabalho de parto espontâneo. Nos outros estudos, o trabalho de parto pode ter sido induzido.

Oito estudos usaram medicina tradicional chinesa individualizada. A maioria dos estudos usou pontos definidos de acupuntura. Houve muita variação na forma como a estimulação foi aplicada (manualmente ou com eletroestimulação), na duração do agulhamento, no número de pontos utilizados e na profundidade do agulhamento. Não está claro quão representativos os tratamentos usados nos estudos eram da prática da acupuntura.

A maioria das comparações sugere um pequeno efeito benéfico da acupuntura. Porém, a evidência é limitada. É incerto se a acupuntura reduz a intensidade da dor quando comparada com a acupuntura falsa (2 ECR, 325 mulheres), com cuidados habituais (4 ECR, 495 mulheres) e com nenhum tratamento (1 ECR, 163 mulheres). A qualidade (certeza) da evidência foi baixa ou muito baixa. A acupuntura pode aumentar a satisfação com o alívio da dor em comparação com a acupuntura falsa (1 ECR, evidência de qualidade moderada). A acupuntura reduziu ligeiramente o uso de analgesia farmacológica em comparação com a acupuntura falsa (2 ECR, 261 mulheres, evidência de qualidade moderada). O uso de acupressão foi associado a uma redução na intensidade da dor do trabalho de parto quando comparado com um controle combinado (2 ECR, 322 mulheres, evidência de qualidade moderada). A acupuntura não parece ter qualquer efeito sobre a probabilidade da mulher ter um parto vaginal assistido (com fórcipe ou extrator) ou uma cesariana. Por outro lado, a acupressão, comparada com a acupressão falsa, reduziu a taxa de cesarianas.

O que isso significa?

A acupuntura pode aumentar a satisfação das mulheres com o alívio da dor e reduzir o uso de analgésicos durante o trabalho de parto. A acupressão pode ajudar a aliviar a dor durante o trabalho de parto, embora a redução da dor possa não ser grande. Porém, estamos incertos sobre os efeitos da acupuntura e da acupressão na intensidade da dor e satisfação com o alívio da dor. Isso se deve ao fato da qualidade dessa evidência ser muito baixa. A acupuntura ou acupressão pode ter pouco ou nenhum efeito sobre a taxa de parto vaginal assistido. Porém, as mulheres que recebem acupressão podem ter uma menor probabilidade de ter uma cesariana. Os estudos foram realizados em diferentes países, o que pode refletir os diferentes estilos de acupuntura. Um ponto fraco de muitos dos estudos é que eles avaliaram poucos resultados e nenhum resultado de segurança. É necessário fazer mais estudos de alta qualidade.

Conclusão dos autores: 

A acupuntura, comparada com a acupuntura falsa, pode aumentar a satisfação com o manejo da dor e reduzir o uso de analgesia farmacológica. A acupressão, comparada com um controle combinado e com cuidados habituais, pode reduzir a intensidade da dor. Porém, estamos incertos sobre os efeitos da acupuntura e da acupressão na intensidade da dor e satisfação com o alívio da dor. Isso se deve ao fato da qualidade dessa evidência ser muito baixa. A acupuntura pode ter pouco ou nenhum efeito nas taxas de cesarianas ou de partos vaginais assistidos. A acupressão, comparada com um controle falso, provavelmente reduz a necessidade de fazer uma cesariana. É necessário fazer mais estudos de alta qualidade que incluam controles falsos e comparações com cuidados habituais. Esses novos estudos também precisam avaliar desfechos como sensação de controle durante o trabalho de parto, satisfação com a experiência do parto, e satisfação com o alívio da dor.

Leia o resumo na íntegra
Introdução: 

Muitas mulheres gostariam de evitar métodos farmacológicos ou invasivos para o manejo da dor do trabalho de parto. Isso pode contribuir para a popularidade dos métodos complementares no manejo da dor. Esta revisão avaliou a evidência sobre o uso da acupuntura e acupressão para o manejo da dor do trabalho de parto. Esta é a atualização de uma revisão publicada em 2011.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos da acupuntura e da acupressão no manejo da dor do trabalho de parto.

Métodos de busca: 

Para esta atualização, fizemos buscas nas seguintes bases de dados e datas: Cochrane Pregnancy and Childbirth Trials Register (25 de fevereiro de 2019), Cochrane Central Register of Controlled Trials (the Cochrane Library 2019, Issue 1), MEDLINE (1966 a fevereiro de 2019), CINAHL (1980 a fevereiro de 2019), ClinicalTrials.gov (fevereiro de 2019), e WHO International Clinical Trials Registry Platform (ICTRP) (fevereiro de 2019). Também revisamos as listas de referências dos estudos incluídos.

Critério de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados controlados (ECR) publicados e não publicados que compararam acupuntura ou acupressão versus placebo, nenhum tratamento ou outras formas não farmacológicas para o manejo da dor durante o trabalho de parto. Incluímos todas as mulheres, nulíparas ou multíparas, em trabalho de parto espontâneo ou induzido.

Incluímos estudos relatados em forma resumos se houvesse informação suficiente para permitir a avaliação do risco de viés. Os ensaios clínicos tipo cluster foram elegíveis para inclusão. Excluímos os ensaios clínicos quasi randomizados e os cross-over.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores, trabalhando de forma independente, selecionaram os estudos para inclusão na revisão, extraíram os dados, avaliaram o risco de viés dos estudos e verificaram a acurácia dos dados. Avaliamos a qualidade (certeza) geral da evidência usando a abordagem GRADE.

Principais resultados: 

Incluímos 28 ECR com dados sobre 3960 mulheres. Treze estudos tinham dados sobre acupuntura e 15 sobre acupressão. Nenhum estudo tinha baixo risco de viés em todos os domínios. A intensidade da dor foi geralmente medida em uma escala visual analógica (EVA) de 0 a 10 ou 0 a 100 pontos (escores mais baixos indicam menos dor).

Acupuntura versus acupuntura falsa

A acupuntura pode fazer pouca ou nenhuma diferença na intensidade da dor sentida pelas mulheres quando comparada à acupuntura falsa (diferença média (MD) -4,42, intervalo de confiança (IC) de 95% -12,94 a 4,09, 2 ECR, 325 mulheres, evidência de baixa qualidade). A acupuntura, comparada com a acupuntura falsa, pode aumentar a satisfação com o alívio da dor (RR 2,38, IC 95% 1,78 a 3,19, 1 ECR, 150 mulheres, evidência de qualidade moderada), e provavelmente reduz o uso de analgesia farmacológica (RR 0,75, IC 95% 0,63 a 0,89, 2 ECR, 261 mulheres, evidência de qualidade moderada). A acupuntura pode não ter efeito na probabilidade de ter um parto vaginal assistido (evidência de qualidade muito baixa), e provavelmente tem pouco ou nenhum efeito na probabilidade de ter uma cesariana (evidência de baixa qualidade).

Acupuntura versus cuidados habituais

Temos dúvidas se a acupuntura, comparada com os cuidados habituais, reduz a intensidade da dor. Isso se deve ao fato da qualidade da evidência ser muito baixa (diferença média padronizada (SMD) -1,31, IC 95% -2,14 a -0,49, 4 ECR, 495 mulheres, I2 = 93%). A acupuntura pode ter pouco ou nenhum efeito na satisfação com o alívio da dor (evidência de baixa qualidade). Temos dúvidas se a acupuntura reduz o uso de analgesia farmacológica porque a evidência é de qualidade muito baixa (RR 0,72, IC 95% 0,60 a 0,85, 6 ECR, 1059 mulheres, I2 = 70%). A acupuntura provavelmente tem pouco ou nenhum efeito sobre a probabilidade de ter um parto vaginal assistido (evidência de baixa qualidade) ou uma cesariana (evidência de baixa qualidade).

Acupuntura versus nenhum tratamento

Um ECR comparou acupuntura a nenhum tratamento. Temos dúvidas se a acupuntura reduz a intensidade da dor (MD -1,16, IC 95% -1,51 a -0,81, 163 mulheres, evidência de qualidade muito baixa), e a probabilidade de ter um parto vaginal assistido ou uma cesariana porque a evidência é de qualidade muito baixa.

Acupuntura versus injeção de água esterilizada

Não sabemos se a acupuntura tem algum efeito sobre o uso de analgesia farmacológica, parto vaginal assistido ou cesariana, porque a evidência é de qualidade muito baixa.

Acupressão versus controle falso

Não sabemos se a acupressão reduz a intensidade da dor do trabalho de parto (MD -1,93, IC 95% -3,31 a -0,55, 6 ECR, 472 mulheres) ou a probabilidade de ter um parto vaginal assistido, porque a evidência é de qualidade muito baixa. A acupressão pode ter pouco ou nenhum efeito sobre o uso de analgesia farmacológica (evidência de baixa qualidade). A acupressão provavelmente reduz a taxa de cesarianas (RR 0,44, IC 95% 0,27 a 0,71, 4 ECR, 313 mulheres, evidência de qualidade moderada).

Acupressão versus cuidados habituais

Temos dúvidas se a acupressão reduz a intensidade da dor do trabalho de parto (SMD -1,07, IC 95% -1,45 a -0,69, 8 ECR, 620 mulheres) ou aumenta a satisfação com o alívio da dor (MD 1,05, IC 95% 0,75 a 1,35, 1 ECR, 105 mulheres) porque a qualidade da evidência é muito baixa. A acupressão pode ter pouco ou nenhum efeito sobre a taxa de cesariana (evidência de baixa qualidade).

Acupressão versus controle combinado

A acupressão, comparada com um controle combinado, provavelmente reduz ligeiramente a intensidade da dor durante o trabalho de parto. Intensidade da dor medida em uma escala de 0 a 10 com pontuação mais baixa indicando menos dor: SMD -0,42, IC 95% -0,65 a -0,18, 2 ECR, 322 mulheres, evidência de qualidade moderada. Devido à qualidade da evidência ser muito baixa, temos dúvidas se a acupressão tem algum efeito no uso de analgesia farmacológica (RR 0,94, IC 95% 0,71 a 1,25, 1 ECR, 212 mulheres), na satisfação com o parto, e na probabilidade de ter um parto vaginal assistido ou uma cesariana.

Nenhum estudo avaliou a sensação de controle durante o trabalho de parto. Apenas um estudo avaliou a satisfação com a experiência do parto.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane Brazil (Maria Regina Torloni). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save