Dieta ou exercício, ou ambos, para perda de peso em mulheres com excesso de peso após o parto

Ocorre um ganho de peso natural durante a gravidez e muitas mulheres gradualmente perdem esse peso algum tempo depois. Algumas mulheres, no entanto, encontram dificuldade em perder peso no pós-parto, e existe a preocupação de que isso possa ser um risco para a saúde. A retenção do peso que foi ganho durante a gravidez pode contribuir para a obesidade. E a obesidade na população em geral aumenta o risco de diabetes, doença cardíaca e pressão alta. Acredita-se que as mulheres que voltam ao seu peso pré-gestacional em cerca de seis meses têm menor risco de estarem acima do peso 10 anos depois. A revisão procurou por estudos para avaliar o impacto da dieta ou exercício, ou ambos, na perda de peso nos meses após o parto. A revisão prestou especial atenção a mulheres que amamentam para certificar-se de que essas intervenções não afetavam a amamentação. A revisão encontrou 14 estudos, com 12 deles envolvendo 910 mulheres com excesso de peso após o parto. Esses estudos contribuíram com dados para a análise. Os resultados sugerem que a dieta combinada com exercício ou a dieta sozinha, em comparação com os cuidados habituais, parecem aumentar a perda de peso durante o pós-parto. Assim, essas intervenções teriam um papel potencial na prevenção da obesidade materna futura. No entanto, as evidências foram insuficientes para se ter certeza de que o exercício ou a dieta não interferiram com a amamentação, embora aparentemente isso não tenha sido incluído nos estudos. Parece preferível perder peso através de uma combinação de dieta e exercício do que usar uma dieta sozinha, porque se sabe que o exercício melhora a circulação e o condicionamento cardíaco e preserva a magra massa corporal. Mais pesquisas são necessárias.

Conclusão dos autores: 

Evidências desta revisão sugerem que tanto a dieta combinada com exercício como a dieta sozinha ajudam a perder peso após o parto. No entanto, pode ser preferível perder peso através de uma combinação de dieta e exercício, já que isso promove melhora da aptidão cardiorrespiratória materna e preserva a massa magra, enquanto a dieta sozinha reduz a massa magra. Esses achados precisam ser confirmados em grandes estudos de qualidade metodológica alta. Para as mulheres que estão amamentando, são necessárias mais evidências para confirmar se a dieta ou exercício ou ambos não são prejudiciais para a mãe ou o bebê.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A retenção de peso após a gravidez pode contribuir para a obesidade. A dieta e os exercícios fazem parte de qualquer programa de perda de peso na população em geral. No entanto, ainda não se avaliaram adequadamente as estratégias para que mulheres no pós-parto alcancem um peso corporal saudável.

Objetivos: 

Os objetivos desta revisão foram avaliar o efeito da dieta, exercício ou ambos para redução de peso após o parto e avaliar o impacto dessas intervenções na composição corporal e aptidão cardiorrespiratória da mulher, no aleitamento e sobre outros desfechos maternos e da criança.

Estratégia de busca: 

As buscas foram realizdas no Cochrane Pregnancy and Childbirth Group’s Trials Register e LILACS (ambas até 31 de janeiro de 2012). Também avaliamos as listas de referências secundárias e fizemos contato com especialistas na área. Atualizamos a busca do Cochrane Pregnancy and Childbirth Group’s Trials Register em 30 de abril de 2013 e adicionados esses resultados na seção de artigos aguardando classificação.

Critérios de seleção: 

Foram incluídos todos os ensaios clínicos randomizados publicados e não publicados e os estudos quasi-randomizados sobre dieta ou exercício ou ambos para mulheres no período pós-parto.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores revisores avaliaram independentemente a qualidade dos estudos e extraíram os dados. Os resultados são apresentados usando o risco relativo para dados categóricos e diferença média (MD) para variáveis contínuas. Os dados foram analisados com um modelo de efeito fixo. Um modelo de efeito randômico foi usado na presença de heterogeneidade.

Resultados principais: 

Foram incluídos 14 estudos, mas somente 12 envolvendo 910 mulheres contribuíram com dados para análise. A perda de peso do grupo que fez exercício não foi significativamente maior do que do grupo de cuidados habituais (2 estudos; n = 53; MD 0,10 kg; intervalo de confiança de 95%, 95% CI, -1,90 a 1,71). As mulheres que fizeram dieta (um estudo; n = 45; MD -1,70 kg; 95% CI -2,08 a -1,32), ou dieta e programa de exercícios (7 estudos; n = 573; MD -1,93 kg; 95% CI -2,96 a -0,89; efeitos randômicos, T² = 1,09, I² = 71%), perderam significativamente mais peso do que as mulheres no grupo de cuidado habitual. Não houve diferença na magnitude de perda de peso na comparação entre dieta e dieta mais exercício (um estudo; n = 43; MD 0,30 kg; 95% CI - 0,60 para 0,66). As intervenções parecem não ter um efeito negativo sobre a amamentação.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Arnaldo Alves da Silva).

Tools
Information
Share/Save