A remoção cirúrgica de miomas melhora os outcomes de fertilidade?

Pergunta da revisão

Os autores da Cochrane fizeram uma revisão de evidência sobre os efeitos, na fertilidade, da remoção cirúrgica de miomas em mulheres inferteis

Contexto

Os miomas são os tumores benignos mais comuns do tracto genital feminino e afetam frequentemente mulheres em idade reprodutiva. Os miomas ocorrem em diferentes partes do útero e variam em forma e tamanho. Estes, podem levar a uma variedade de sintomas, incluindo menorragias, dor, infertilidade ou problemas relacionados com a gravidez como aborto e partos pré-termo. Em mulheres que desejam preservar a sua fertilidade, é possível a remoção do mioma preservando o útero, numa cirurgia designada miomectomia. Este procedimento pode ser realizado por laparotomia (cirurgia abdominal aberta), laparoscopia (orífcios-chave de entrada no abdómen) ou histeroscopia ( orifício de entrada pelo colo do útero) dependendo da localização e dimensões do mioma. Esta revisão teve como objetivo responder a duas perguntas. Primeiro, se a miomectomia levou a uma melhora na fertilidade e segundo, se o procedimento for efectivamente benéfico, qual a abordagem cirúrgica ideal.

Características do estudo

Esta revisão incluiu quatro estudos com 442 participantes. Um dos estudos comparou a miomectomia com a ausência de qualquer tratamento. Os restantes três, compararam métodos cirúrgicos diferentes de realização de miomectomias. As evidências estão atualizadas até fevereiro de 2019.

Resultados principais

Um dos estudos examinou o efeito da miomectomia, comparando-o com ausência de qualquer tratamento. Os resultados não encontraram evidência suficiente para determinar a diferença entre as várias opções de tratamento na taxa de gravidez clínica e taxa de aborto. Este estudo não reportou a taxa de nados-vivos, partos pré-termo, gravidezes evolutivas ou taxas de cesariana. Quanto ao melhor tipo de abordagem cirúrgica, foram identificados 3 estudos. Dois deles, compararam a miomectomia por mini-laparotomia ou laparotomia com miomectomia laparoscopica e não encontraram evidência suficiente para taxas de nados-vivos, partos pré-termo, gravidez clínica, aborto, cesariana e gravidez evolutiva. O terceiro estudo comparou a utilização de diferentes equipamentos cirúrgicos durante as miomectomias por histeroscopia e a evidencia encontrada para determinar as diferenças na taxa de nados-vivos, gravidez evolutiva, gravidez clínica e aborto foram insuficientes. Este estudo não reportou as taxas de cesariana ou de partos pré-termo. Torna-se assim evidente que são necessários mais estudos antes que possa ser alcançado um consenso do papel da miomectomia na infertilidade.

Qualidade da evidência

A qualidade da evidência foi muito baixa. Existem algumas reservas no que diz respeito ao modo como os dados foram analisados e, por conseguinte, a evidência não pode ser considerada conclusiva até que mais estudos estejam disponíveis.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Inês Tlemçani, Serviço de Ginecologia e Obstetrícia, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save