Fármacos para prevenir coágulos após sangramento no cérebro

Pergunta de revisão

Qual é a eficácia e a segurança dos medicamentos usados para prevenir coágulos (tratamentos antitrombóticos) tanto na fase inicial e a longo prazo em pessoas que tiveram uma hemorragia dentro do cérebro (hemorragia intracerebral)?

Contexto

As pessoas com acidente vascular cerebral devido a sangramento no cérebro (também conhecido como hemorragia intracerebral: HIC) são mais propensas a desenvolver coágulos nos seus vasos sanguíneos devido à imobilidade (na fase inicial) e outras condições médicas (a longo prazo). Coágulos de sangue no cérebro, pulmões ou outros órgãos podem causar doença grave ou até morte. Fármacos que impedem a formação de coágulos (também conhecido como 'anti-coagulantes') podem ser úteis em pessoas com HIC. No entanto, esses fármacos também podem causar sérias complicações hemorrágicas.

Características dos estudos

Após uma pesquisa extensa, realizada em 8 de março de 2017, identificamos dois ensaios aleatorizados. Havia 121 participantes nestes dois ensaios, que comparou fármacos 'anticoagulantes' (heparina num dos estudos, enoxaparina no outro) administradas por injeções sob a pele contra nenhuma droga anticoagulante logo após ICH.

Principais resultados

O principal resultado desta revisão foi o risco combinado de vários eventos importantes (tais como outra hemorragia intracerebral, acidente vascular cerebral isquémico ou morte de causa cardiovascular). Não fomos capazes de calcular este resultado para estudos incluídos. Nenhum dos estudos relatou informação sobre a recuperação da independência ou capacidades mentais. Um estudo com 46 participantes relatou que em fatalidade caso associado com o tratamento antitrombótico a curto prazo e não encontrou um efeito estatisticamente significativo. Para as consequências do tratamento que puderam ser analisadas, as estimativas de risco eram imprecisas e incertas. Assim, os potenciais benefícios e prejuízos de fármacos anti-trombóticos, após um acidente vascular cerebral devido a hemorragias cerebrais permanecem incertos. Novas estudos de alta qualidade que estudem o uso de tratamento antitrombótico após um acidente vascular cerebral devido a HIC parecem ser justificados e necessários.

Qualidade da evidência

A qualidade da evidência como um todo era baixa. Isto é devido à maneira como os estudos incluídos foram conduzidos e relatados, bem como o pequeno número de participantes, que não pode ter sido alto o suficiente para identificar pequenas diferenças entre os grupos em estudo.

Notas de tradução: 

Tradução por: Gonçalo S Duarte, Laboratório de Farmacologia Clínica e Terapêutica, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, com o apoio da Cochrane Portugal

Tools
Information
Share/Save