Estratégias para fazer com que os profissionais de saúde sigam as Precauções Padrão para diminuir as infecções em ambientes de cuidados de saúde

Qual é o objetivo desta revisão?

Queríamos saber quais estratégias poderiam melhorar a aderência dos profissionais de saúde às "Precauções Padrão" para diminuir a infecção em ambientes de cuidados de saúde.

Principais achados

Os autores da revisão identificaram várias estratégias. A maioria dessas estratégias envolvia a educação dos profissionais de saúde, ou a educação associada com outra intervenção. Existe pouca evidência sobre o assunto. Por isso, não está claro qual estratégia isolada ou combinada com outras intervenções seria mais eficaz para melhorar a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão ou para aumentar seus conhecimentos das Precauções Padrão, ou para reduzir as taxas de colonização (infecção em potencial). Essa carência de evidências, juntamente com a inconsistência dos resultados existentes, reduz a nossa confiança ou certeza sobre as evidências encontradas.

O que foi estudado nesta revisão?

Estima-se que mais de quatro milhões de pacientes na Europa e 1,7 milhões nos EUA desenvolvem uma infecção a cada ano. Essa prevalência é maior nos países em desenvolvimento. As infecções podem aumentar o tempo de hospitalização e o risco de morte das pessoas. Além disso, as infecções podem levar a gastos de bilhões de dólares em custos hospitalares adicionais. Se os profissionais de saúde seguissem as Precauções Padrão, tais como o uso de equipamento de proteção individual ou de práticas adequadas para o manuseamento seguro de agulhas, isso poderia reduzir a propagação de germes em ambientes de cuidados de saúde. O objetivo desta revisão foi descobrir quais métodos são eficazes para melhorar a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão.

Quais são os principais resultados da revisão?

Os autores da revisão encontraram oito estudos relevantes com um total de 673 participantes. Três estudos foram feitos na Ásia, dois na Europa, dois na América do Norte e um na Austrália. As estratégias consistiam na educação dos profissionais de saúde como medida isolada ou junto com outras formas de educação (como mostrar como as gotículas respiratórias se espalham) ou com outras formas de controle de infecção. Outras estratégias testadas foram a avaliação por pares e o uso de uma lista de verificação e de lembretes coloridos. Todos os estudos usaram diferentes formas para medir a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão. Dois estudos também avaliaram se houve alguma melhora no conhecimento dos profissionais de saúde sobre as Precauções Padrão. Um estudo avaliou a taxa de colonização (ser portador de um germe sem sentir nada) por MRSA (um tipo de bactéria) entre os residentes e os funcionários de asilos.

A educação que mostra a dispersão das gotículas respiratórias, a avaliação por pares, o uso de listas de verificação e os lembretes coloridos provavelmente melhoram a aderência às Precauções Padrão. A educação por si só e a educação junto com outras formas de controle de infecção podem melhorar um pouco a aderência às Precauções Padrão.

A educação por si só pode melhorar um pouco o conhecimento dos profissionais de saúde. A educação que mostra a propagação das gotículas respiratórias produz pouca ou nenhuma diferença no conhecimento dos profissionais de saúde. A educação junto com outras medidas de controle de infecção provavelmente produz pouca ou nenhuma diferença na taxa de colonização por MRSA.

Quão atualizada é esta revisão?

Os autores da revisão procuraram por estudos publicados até 14 de fevereiro de 2017.

Conclusão dos autores: 

Os estudos incluídos na revisão tinham alto risco de viés e muita heterogeneidade nas suas intervenções, nas formas de avaliar os desfechos, e na qualidade da evidência. Esses fatos nos impediram de chegar a conclusões sobre a efetividade das intervenções. Esta revisão reforça a necessidade de realizar novos estudos mais rigorosos e que avaliem intervenções e desfechos semelhantes.

Leia o resumo na íntegra
Introdução: 

As "Precauções Padrão" são um conjunto de ações (como o uso de equipamento de proteção individual ou o manejo seguro de agulhas) que os profissionais de saúde seguem para reduzir a propagação de germes em ambientes de cuidados de saúde, como hospitais e asilos.

Objetivos: 

Avaliar a efetividade de intervenções dirigidas aos profissionais de saúde para melhorar a aderência às Precauções Padrão nos cuidados ao paciente.

Métodos de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes bases de dados: CENTRAL, MEDLINE, Embase, CINAHL, LILACS, e duas plataformas de registros de ensaios clínicos. Não houve restrições de idiomas. A data da última busca foi 14 de fevereiro de 2017.

Critério de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados, ensaios clínicos tipo cluster, ensaios clínicos não randomizados, estudos controlados antes e depois, e estudos de série temporal interrompida que avaliaram qualquer intervenção para melhorar a aderência às Precauções Padrão por qualquer profissional de saúde envolvido no cuidado do paciente em qualquer hospital, asilo, ambiente comunitário, ou ambiente artificial, como salas de aula ou laboratórios de ensino.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores de revisão, trabalhando de forma independente, avaliaram os estudos identificados, extraíram os dados dos estudos elegíveis e avaliaram o risco de viés de cada estudo incluído, usando procedimentos metodológicos padrão esperados pela Cochrane. Devido à grande heterogeneidade das intervenções e das medidas dos desfechos, não fizemos meta-análises. Usamos a abordagem GRADE para avaliar a qualidade das evidências. Apresentamos os resultados de forma narrativa em tabelas de 'Resumo dos resultados'.

Principais resultados: 

Incluímos oito estudos com um total de 673 participantes. Três estudos foram realizados na Ásia, dois na Europa, dois na América do Norte e um na Austrália. Cinco estudos eram ensaios clínicos randomizados, dois eram ensaios clínicos tipo cluster e um era um ensaio clínico não randomizado. Três estudos compararam diferentes tipos de intervenções educacionais versus não oferecer nenhuma intervenção educacional. Um estudo comparou educação com visualização da dispersão de partículas respiratórias versus educação isolada. Dois estudos compararam educação mais outas formas de controle de infecção versus nenhuma intervenção. Um estudo comparou a avaliação por pares versus nenhuma intervenção. Um estudo avaliou o uso de uma lista de verificação e lembretes coloridos. Todos os estudos tinham alto risco de viés, em diferentes domínios. Cada um dos oito estudos usou diferentes formas para avaliar a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão. Três estudos também avaliaram os conhecimentos dos profissionais de saúde, e um mediu a taxa de colonização por Staphylococcus aureus resistente à meticilina (MRSA) entre residentes e funcionários de asilos. Devido à heterogeneidade das intervenções e das medidas de desfecho, não fizemos meta-análises.

Existe evidência de baixa qualidade que a educação pode melhorar um pouco a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão (três estudos; quatro centros) e seu nível de conhecimento (dois estudos; três centros).

Existe evidência de qualidade moderada que a educação com visualização da dispersão de partículas respiratórias provavelmente aumenta o uso da proteção facial pelos profissionais de saúde, mas teria pouco ou nenhum efeito no seu conhecimento (um estudo; 20 enfermeiros).

A educação junto com outras medidas de controle de infecção pode melhorar um pouco a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão (dois estudos; 44 asilos; evidência de baixa qualidade). Porém, essa intervenção provavelmente produz pouca ou nenhuma diferença na taxa de colonização por MRSA associada aos cuidados de saúde (um estudo; 32 asilos, evidência de moderada qualidade).

A avaliação por pares provavelmente melhora a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão (um estudo; um hospital; evidência de qualidade moderada).

O uso de listas de verificação e lembretes coloridos provavelmente melhora a aderência dos profissionais de saúde às Precauções Padrão (um estudo; um hospital; evidência de qualidade moderada).

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Afiliado Rio de Janeiro / Faculdade de Medicina de Petrópolis, Cochrane Brazil (Eduardo Franklin Leitão e Maria Regina Torloni). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save