Imiquimod para verrugas anogenitais em adultos não imunocomprometidos.

Questão da revisão

Nesta Revisão Cochrane, avaliamos a eficácia e a segurança de imiquimod em comparação com o placebo e qualquer outra terapia aplicada pelo paciente ou pelo provedor para tratamento de verrugas anogenitais (AGW) em adultos sem capacidade de resposta imune prejudicada

Background

Apesar de 30% do AGW desaparecem espontaneamente sem tratamento, atualmente não há nenhuma maneira de saber se uma lesão vai desaparecer ou permanecer. Há uma vasta gama de opções de tratamento e a escolha é baseada na experiência dos clínicos, preferências do pacientes e efeitos adversos.

Trial characteristics

Nós pesquisamos a literatura disponível até 15 de abril de 2014 e incluídos 10 ensaios com participantes de 1734. Os ensaios incluíram homens e mulheres com idade superior a 18 anos com diagnóstico clínico de AGW. Oito ensaios incluíram pessoas que haviam sido tratadas antes para AGW e dois ensaios incluíram pessoas que não precisaram de ser tratado antes por AGW. Na maioria dos ensaios, as pessoas usaram Imiquimod 5% três vezes por semana e o tempo do estudo variou de oito semanas a 12 semanas. No entanto, vários ensaios incluídos compararam freqüências e concentrações diferentes. Seis ensaios compararam Imiquimod versus placebo (1294 participantes) e dois ensaios comparado Imiquimod com tratamento aplicado pelo paciente (105 participantes) ou com outro tratamento administrado pelo provedor (335 participantes). Seis dos dez ensaios incluídos foram financiados pela indústria.

Key Results

Comparado com placebo, Imiquimod foi superior para alcançar a regressão total e parcial, mas não na taxa de recorrência, aparecimento de novas verrugas ou a freqüência de reações sistêmicas. Os pacientes alocados para o tratamento com Imiquimod tiveram uma maior frequência de dor e de reações adversas locais Quando Imiquimod foi comparado com qualquer outro tratamento aplicado pelo paciente fomos capazes de determinar se conduziu às diferenças na taxa de regressão completa ou parcial, recorrência ou a presença de reações locais, embora reações adversas sistêmicas tenham sido menores no grupo Imiquimod. Finalmente, quando o uso de Imiquimod foi comparado com qualquer outro tratamento administrado pelo provedor não ficou claro se existiam diferenças em termos de regressão completa. Imiquimod foi associado com uma menor taxa de recorrência durante os primeiros seis meses após o tratamento e com menos dor ou locais de reações.

Quality of evidence

A qualidade da evidência foi muito baixa para os resultados relatados nesta revisão sistemática devido a algumas limitações sobre risco de viés, imprecisão e inconsistência nos ensaios incluídos. Nós temos muito pouca confiança na estimativa do efeito.

Conclusão dos autores: 

Os benefícios e prejuízos de Imiquimod comparado com placebo devem ser consideradas com cautela devido ao risco de viés, imprecisão e inconsistência para muitos dos resultados que avaliamos nesta revisão de Cochrane. Muitos dos resultados que mostram o Imiquimod e tratamento aplicado pelo paciente (Podofilotoxina ou Podofilina) conferem benefícios semelhantes, mas menos reações sistemáticas com o Imiquimod, é de evidência de baixa ou muito baixa qualidade. A qualidade da evidência para os resultados de avaliação de Imiquimod e outro tratamento administrado pelo provedor eram de qualidade muito baixa

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

30% das pessoas com verrugas anogenitais (AGW) têm regressão espontânea das lesões, mas não há nenhuma maneira de determinar se uma lesão específica permanecerá. Há uma vasta gama de opções disponíveis para tratar pessoas com AGW e seleção baseia-se na experiência do médico, preferências do pacientes e efeitos adversos. O imiquimod poderia oferecer as vantagens das terapias aplicadas pelo paciente sem incorrer nas limitações dos tratamentos administrados pelo provedor.

Objetivos: 

Avaliar a eficácia e a segurança de Imiquimod para o tratamento da AGW em adultos não-imunocomprometidos.

Estratégia de busca: 

Nós pesquisamos the Cochrane Sexually Transmitted Infections Group Specialized Register (15 de abril de 2014), CENTRAL (de 1991 a 15 de abril 2014), MEDLINE (de1946 a 15 de abril de 2014), EMBASE (1947 a 15 de abril de 2014), LILACS (de 1982 a 15 de abril de 2014), World Health Organization International Clinical Trials Registry (ICTRP) (de 15 de abril de 2014), ClinicalTrials.gov (de 15 de abril de 2014), Web of Science (de 2001 a 15 de abril de 2014) e OpenGrey (15 de abril 2014). Nós também fizemos busca manual de conferências proferidas, contatamos autores de ensaios e revisamos as referências dos estudos recuperados.

Critérios de seleção: 

Ensaios Controlados Randomizados (ECR) comparando o uso de Imiquimod com placebo, qualquer outro tratamento aplicado pelo paciente ou qualquer outro tratamento administrado pelo provedor (excluindo Interferon e 5-Fluorouracil, que são avaliados em outras revisões Cochrane) para o tratamento da AGW em adultos não-imunocomprometidos.

Coleta dos dados e análises: 

Três autores da revisão avaliaram independentemente os ensaios para inclusão, extraíram os dados e avaliaram os vieses. Nós resolvemos qualquer discordância através de consenso A qualidade da evidência foi avaliada usando os critérios de GRADE.

Resultados principais: 

Dez ECRs (1734 participantes) preencheram nossos critérios de inclusão, dos quais seis foram financiados pela indústria. Julgamos que o risco de viés dos ensaios incluídos como alta. Seis ensaios (1294 participantes) compararam o uso de imiquimod versus placebo. Havia evidência de qualidade muito baixa que imiquimod foi superior ao placebo na consecução de regressão total e parcial (RR 4.03, IC 95% 2,03 para 7,99; RR 2,56, 95% CI 2.05 a 3,20, respectivamente). Quando comparado com placebo, os efeitos de imiquimod em recorrência (2,76 RR, 95% CI 0,70 para 10,91), aparecimento de novas verrugas (RR 0.76, 95% CI 0,58 para 1.00) e frequência de reacções adversas sistémicas (RR 0,91, 95% CI 0,63 a 1.32) eram imprecisas. Nós rebaixou a qualidade da evidência para baixo ou muito baixo. Houve baixa qualidade provas que imiquimod levou mais reações adversas locais (RR 1,73, 95% CI 1.18 a 2.53) e dor (RR 11.84, 95% CI 3.36 para 41.63). Julgamos o risco de viés dos ensaios incluídos como alto. Seis ensaios (1294 participantes) compararam o uso de imiquimod versus placebo. Havia evidência de qualidade muito baixa que imiquimod foi superior ao placebo na consecução de regressão total e parcial (RR 4.03, IC 95% 2,03 para 7,99; RR 2,56, 95% CI 2.05 a 3,20, respectivamente). Quando comparado com placebo, os efeitos de imiquimod em recorrência (2,76 RR, 95% CI 0,70 para 10,91), aparecimento de novas verrugas (RR 0.76, 95% CI 0,58 para 1.00) e frequência de reacções adversas sistémicas (RR 0,91, 95% CI 0,63 a 1.32) eram imprecisas. Nós rebaixou a qualidade da evidência para baixo ou muito baixo. Houve baixa qualidade provas que imiquimod levou mais reações adversas locais (RR 1,73, 95% CI 1.18 a 2.53) e dor (RR 11.84, 95% CI 3.36 para 41.63). Seis ensaios (1294 participantes) compararam o uso de Imiquimod versus placebo. Havia evidência de qualidade muito baixa que Imiquimod foi superior ao placebo na consecução de regressão total e parcial (RR 4.03, IC 95% 2,03 a 7,99; RR 2,56, 95% CI 2.05 a 3,20, respectivamente). Quando comparado com placebo, os efeitos de Imiquimod em recorrência (2,76 RR, 95% CI 0,70 a 10,91), aparecimento de novas verrugas (RR 0.76, 95% CI 0,58 a 1.00) e frequência de reacções adversas sistémicas (RR 0,91, 95% CI 0,63 a 1.32) eram imprecisas. Nós rebaixamos a qualidade da evidência para baixo ou muito baixo. Houve baixa qualidade provas que imiquimod levou mais reações adversas locais (RR 1,73, 95% CI 1.18 a 2.53) e dor (RR 11.84, 95% CI 3.36 para 41.63). Houve evidência de baixa qualidade que Imiquimod levou a mais reações adversas locais (RR 1,73, 95% CI 1.18 a 2.53) e dor (RR 11.84, 95% CI 3.36 para 41.63).

Dois ECR (105 participantes) comparou o uso de imiquimod versus qualquer outro tratamento aplicado pelo paciente (Podofilotoxina e Podofilina) Os efeitos estimados de Imiquimod na regressão completa (RR 1,09, 95% CI 0,80 a 1.48), regressão parcial (RR 0,77, 95% CI 0,40 a 1,47), recorrência (RR 0,49, 95% CI 0,21 a 1,11) ou a presença de reações adversas locais (1,24 RR, 95% CI 1,00 a 1,54) eram imprecisas (evidência de qualidade muito baixa). Havia evidência de baixa qualidade que reações adversas sistêmicas foram menos freqentes com Imiquimod (RR 0,30, IC 95% 0,09% a 0,98).

Finalmente, dois ECR (335 participantes) comparou Imiquimod com qualquer outro tratamento administrado pelo provedor (métodos ablasivos e crioterapia) Havia muito baixa qualidade das provas que imiquimod não teve uma baixa frequência de regressão completa (RR 0,84, IC 95% 0,56 a 1,28). Havia evidência de qualidade muito baixa que Imiquimod levou a uma menor taxa de recorrência durante o seguimento de seis meses (RR 0,24, 95% CI 0,10 a 0,56), mas isso não se traduziu em menor recorrência de seis a 12 meses (RR 0,71, 95% CI 0,40 a 1,25; evidências de qualidade muito baixa). Havia evidência de qualidade muito baixa que Imiquimod foi associado com menos dor (RR 0,30, 95% CI 0.17 a 0,54) e menos reações locais (RR 0,55, 95% CI 0,40 a 0,74).

Notas de tradução: 

Traduzido por: claudio sergio Batista, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save