Chá preto e verde para prevenir doenças cardiovasculares

Doença cardiovascular (DCV) é uma responsabilidade mundial em cuidados de saúde. No entanto, pensa-se que o risco de DCV pode ser diminuído alterando um número de fatores de risco modificáveis, tais como dieta, e isto inclui a ingestão de chá. Esta revisão avaliou a eficácia de chá verde, chá preto ou extratos de chá preto/verde em adultos saudáveis e naqueles com alto risco de DCV. Encontramos 11 ensaios clínicos controlados randomizados, dos quais quatro examinaram intervenções com chá preto e sete examinaram intervenções com chá verde. Houve variação na dosagem e na forma de intervenções (bebida, comprimidos ou cápsulas) de chá verde e preto, e a duração das intervenções variaram de 3 a 6 meses. Os eventos adversos foram relatados em cinco dos ensaios clínicos incluídos. Estes incluíram um diagnóstico de câncer de próstata, hospitalização por influenza, apendicite e descolamento de retina; estes são improváveis de serem associados com a intervenção. Os resultados mostraram que chá verde e preto têm um efeito benéfico nos níveis de lipídios e pressão arterial, mas estes resultados foram baseados em apenas um pequeno número de ensaios clínicos, que tinham um risco de viés. Uma análise realizada sobre os dois tipos de chá mostraram efeitos benéficos do chá no colesterol LDL e pressão arterial, mas isto também foi baseado em apenas alguns poucos ensaios, que tinham um risco de viés. Os dados do pequeno número de estudos incluídos sugerem alguns benefícios do chá verde e preto na pressão arterial e níveis de lipídios, mas mais ensaios de longo prazo com baixo risco de viés são necessários para confirmar isso.

Conclusão dos autores: 

Existem poucos estudos de longo prazo examinando chá verde ou preto para a prevenção primária de DCV. A evidência limitada sugere que o chá tem efeitos favoráveis sobre os fatores de risco para DCV, mas devido ao pequeno número de ensaios clínicos contribuindo para cada análise os resultados devem ser tratados com alguma cautela e novos estudos de alta qualidade e longo prazo são necessários para confirmar isto.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Há evidências crescentes de que tanto o chá preto quanto o verde são benéficos para prevenção de doenças cardiovasculares (DCV).

Objetivos: 

Determinar os efeitos do chá preto e verde na prevenção primária de DCV.

Estratégia de busca: 

Buscamos os seguintes bancos de dados em 12 de Outubro de 2012, sem restrições de linguagem: CENTRAL em The Cochrane LibraryMEDLINE (OVID), EMBASE (OVID) e Web of Science (Thomson Reuters). Também foi buscado registros de ensaios clínicos, rastreado listas de referência e contatado autores para informações adicionais quando necessário.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados (ECCR) com duração de pelo menos três meses, envolvendo adultos saudáveis ou aqueles com alto risco de DCV. Ensaios investigaram a ingestão de chá verde, chá preto ou extratos de chá. O grupo de comparação foi sem intervenção, placebo ou intervenção mínima. Os desfechos de interesse foram os eventos clínicos de DCV e os principais fatores de risco para DCV. Quaisquer estudos envolvendo intervenções no estilo de vida multifatoriais ou com foco na perda de peso foram excluídos para evitar confusão.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores selecionaram de forma independente ensaios para inclusão, dados de resumos e avaliação do risco de viés. Ensaios clínicos de chá verde foram analisados separadamente dos ensaios clínicos de chá preto.

Resultados principais: 

Identificamos 11 ECCR com um total de 821 participantes, dois ensaios clínicos aguardando classificação e um ensaio clínico em curso. Sete ensaios clínicos examinaram intervenção de chá verde e quatro analisaram intervenção de chá preto. Dosagem e forma de ambos chá preto e verde diferiu entre ensaios. O ensaio clínico em curso está examinando os efeitos das cápsulas de pó de chá verde.

Nenhum estudo reportou eventos cardiovasculares.

Foram encontrados para o chá preto reduções estatisticamente significantes no colesterol da lipoproteína de baixa densidade (LDL) (diferença média (DM) -0,43 mmol/L; intervalo de confiança (IC) de 95%: -0,56 a -0,31) e pressão arterial (pressão arterial sistólica (PAS): DM -1,85 mmHg; IC 95%: -3,21 a -0,48. Pressão arterial diastólica (PAD): DM -1,27 mmHg, IC 95%: -3,06 a 0,53) por mais de seis meses, estável a análise de sensibilidade, mas apenas um pequeno número de ensaios contribuiu para cada análise e os estudos estavam sob risco de viés.

Para o chá verde também foram encontradas reduções estatisticamente significantes no colesterol total (DM -0,62 mmol/L; IC 95%: -0,77 a -0,46), colesterol LDL (DM -0,64 mmol/L; IC 95%: -0,77 a -0,52) e pressão arterial (PAS: DM -3,18 mmHg; IC 95%: -5,25 a -1,11; PAD: DM -3,42; IC 95%: -4,54 a -2,30), mas apenas um pequeno número de estudos contribuiu para cada análise, e os resultados não eram estáveis a análise de sensibilidade. Quando foram analisados em conjunto ambos os tipos de chá mostraram efeitos favoráveis sobre o colesterol LDL (DM -0,48 mmol/L; IC 95%: -0,61 a -0,35) e pressão arterial (PAS: DM -2,25 mmHg; IC 95%: -3,39 a -1,11; PAD: DM -2,81 mmHg; IC 95%: -3,77 a -1,86). Os efeitos adversos foram medidos em cinco ensaios e incluíram um diagnóstico de câncer de próstata, hospitalização por influenza, apendicite e descolamento de retina, mas estes são improváveis de serem diretamente atribuíveis à intervenção.

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD009934.pub2

Tools
Information
Share/Save