Anestésico em spray (frio) para tratamento da dor durante a canulação intravenosa.

Introdução

A canulação intravenosa para exames de sangue ou tratamentos é um procedimento comum e geralmente doloroso. Os anestésicos em spray são aplicados na pele para propiciar algum alívio da dor momentos antes da inserção da agulha Os anestésicos em spray oferecem várias vantagens sobre outras técnicas de alívio da dor, particularmente por seu efeito rápido (em poucos segundos).

Nós revisamos as evidências que mostram quanto os anestésicos em spray são efetivos em reduzir a dor associada com a inserçaão intravenosa da cânula. A evidência é atual até Maio de 2015.

Resultados

Nós identificamos nove estudos com 1070 participantes que compararam o uso dos sprays anestésicos com o spray placebo ou nenhum uso, em crianças e adultos submetidos a canulação venosa em qualquer momento do cuidado à saúde. Os investigadores em três estudos receberam financiamento de uma fonte não informada para estarem envolvidos na elaboração e anaálise do estudo. Os fabricantes dos sprays anestésicos em dois estudos forneceram os sprays e os placebos e não estavam envolvidos na análise e elaboração do estudo.

Nós encontramos que os sprays anestésicos reduzem a dor durante a canulação venosa e não dificultam a punção da veia e não causam efeitos adversos sérios. Nós observamos que a a aplicação dos sprays anestésicos causam algum desconforto mas o uso do spray resultou em diminuição da dor. Usando uma escala de dor de 0 a 100 (0 = sem dor e 100 = pior dor possível), nós encontramos que a média dos valores atribuídoas a dor diminuíram em 12,5 nos participantes que receberam o spray anestésico.

Qualidade da evidência

Em geral, a qualidade da evideência foi mais moderda do que alta. Entretanto, a exclusão dos estudos de baixa qualidade não alteraram os resultados dessa revisão.

Conclusão dos autores: 

Moderada qualidade de evidência indica que o uso dos anestésicos em spray imediatamente antes na canulação venosa diminui a dor durante o procedimento. O uso dos anestésicos em spray não aumenta a dificuldade de canulação e não causa efeitos adversos sérios mas está associado com desconforto moderado durante a aplicação.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A canulação intravenosa é um procedimento doloroso que pode provocar ansiedade e estresse. A injeção de anestésicos locais pode pomover analgesia no momoento da canulação mas é um procedimento doloroso. Os anestésicos tópicos em creme levam entre 30 a 90 minutos para produzirem efeito. Um analgésico de ação mais rápida permite mais tempo para investigação e tratamento. Anestésicos em spray tem sido usados nesse cenário mas os estudos reportaram resultados misturados.

Objetivos: 

Determinar os efeitos dos sprays anestésicos na dor associada à canulação venosa em adultos e crianças. Explorar as variáveis que podem afetar a performance dos anestésicos em spray, incluindo o tempo requerido para aplicação, distancia da pele quando aplicado e tempo para a acanulação. Observar os efeitos adversos associados com o uso dos sprays.

Estratégia de busca: 

Buscamos no the Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL), MEDLINE, EMBASE, Latin American Caribbean Health Sciences Literature (LILACS), the Cumulative Index to Nursing and Allied Health Literatura (CINAHL), the Institute for Scientific Information (ISI) Web of Science and the http://clinicaltrils.gov/, http://www.controlled-trials.com/e http://www.trialscentral.org/ dados até 1 de Maio de 2015. Nós não aplicamos restrições de idioma. Nós também buscamos nas listas de referência dos artigos incluídos.

Critérios de seleção: 

Nós incluímos todos os ensaios clínicos controlados randomizados (ECCRs) cegos e não cegos comparando qualque anestésico spray com o placebo ou controle, para reduzir a dor durante a canulação intravenosa em adultos e crianças.

Coleta dos dados e análises: 

Três revisores, independentemente, avaliaram a qualidade dos estudos e extraíram os dados, contataram os autores dos estudos para informações adicionais e avaliaram o risco de viés dos estudos. Nós coletamos e analisamos os dados para os desfechos primários de dor durante a canulaçāo, e para os desfechos secundários, a dor associada com a aplicação do spray, primeiras tentativas de sucesso na canulação venosa, efeitos adversos e satisfação dos participantes. Nós realizamos a análise dos subgrupos para os desfechos primários para examinar as diferenças baseadas na idade dos participantes, tipo de anestésico spray usado, tempo de aplicação do spray e condição clínica (emergência versus eletiva). Nós usamos o modelo metanálise efeitos aleatórios em RevMan 5.3 e avaliamos a heterogeneidade entre os resultados do estudo examinando os gráficos de floresta e calculando o I2 estatítico.

Resultados principais: 

Nós encontramos nove estudos adequados com 1070 participantes e incluímos nas análises quantitativas. Nós incluímos oito estudos com 848 participantes na metanálise para os desfechos primários (dor durante canulação venosa). O uso de anestésicos em spray resultou na redução da dor em pontos como os medidos pela escala visual linear analógica 100 mm (VAS 100) comparado com os controles (diferença média de -12,5 mm, intervalo de confiança de 95% (IC) -18,7 a 6,4 mm; qualidade moderada de evideência). Nós não pudemos incluir um estudo na metanálise que não mostrou efeitos da intervenção.

O uso do anestésico em spray resultou no aumento dos escores de dor no momento da aplicação medidos pela VAS 100 comparados com os controles (diferença de 6,3 mm, IC 95 % 2,2 a 10,3 mm; quatro estudos, 461 participantes; alta qualidade de evidência). Não houve diferença do sucesso na primeira tentativa comparado com os controles (razão de risco (RR) 1,00, IC 95 % 0,94 a 1,06; seis estudos, 812 participantes; qualidade de evidência moderada). Nós documentamos oito eventos adversos menores reportados em 279 participantes com o spray (diferença de risco (DR) 0,03, IC 95 % 0 a 0,05; cinco estudos, 551 participantes; baixa qualidade de evidência).

O risco geral de viés individual dos estudos variou de baixo até alto, com alto risco de viés para performance e detecção de viés em quatro estudos. A análise da sensibilidade mostrou que a exclusão de estudos de alto risco ou risco incerto de viés não alterou materialmente os resultados dessa revisão.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Marcelo Tabary de Oliveira Carlucci, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil. Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save