Circuncisão masculina para a prevenção do HIV entre homens homossexuais

Até o presente, não existe nenhum ensaio clínico controlado que avaliou os efeitos da circuncisão masculina sobre a transmissão do HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis entre homens que tem relações sexuais com outros homens (MSM). Os resultados de estudos observacionais sugerem que a circuncisão pode proteger os MSM que desempenham um papel ativo no sexo anal com penetração. Porém ainda precisa ser analisado qual é o papel da circuncisão masculina na prevenção do HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis entre os MSM.

Conclusão dos autores: 

As evidências atualmente disponíveis sugerem que a circuncisão masculina pode ter um efeito protetor para os MSM que desempenham um papel ativo no sexo anal, porém o papel geral da circuncisão masculina na prevenção do HIV e de outras doenças sexualmente transmissíveis ainda precisa ser avaliado. Portanto, na atualidade não existe evidência suficiente para recomendar a circuncisão masculina para prevenir HIV entre os MSM. É necessário que sejam realizados mais estudos de alta qualidade e que explorem mais a interação dessa intervenção com o tipo de papel sexual predominante.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Revisões sistemáticas anteriores concluíram que os efeitos da circuncisão masculina são inconsistentes quanto à prevenção da contaminação por HIV dos homens que praticam sexo com outros homens (MSM). Porém, desde a publicação dessa revisão sistemática há três anos, surgiram vários novos estudos.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos da circuncisão masculina na prevenção da contaminação por HIV entre os homens que praticam sexo com outros homens.

Estratégia de busca: 

Em Junho de 2010 fizemos uma busca eletrônica nas seguintes bases de dados: the Cochrane Central Register of Controlled Trials, PubMed, EMBASE, AIDS Education Global Information System, ClinicalTrials.gov, and WHO International Clinical Trials Registry Platform. Também fizemos buscas manuais nas listas bibliográficas dos artigos relevantes e entramos em contato com organizações e especialistas da área. Atualizamos esta busca em Março de 2011.

Critérios de seleção: 

Foram elegíveis para inclusão os ensaios clínicos randomizados controlados (RCTs) e os estudos observacionais que avaliaram os efeitos da circuncisão masculina sobre a contaminação de MSM com HIV.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram de forma independente a elegibilidade dos estudos, sua qualidade metodológica e fizeram a extração dos dados. Os resultados foram apresentados como odds ratio (OR) e intervalos de confiança de 95% (IC 95%). Planejamos fazer meta-análises usando o efeito randômico.

Resultados principais: 

Não encontramos nenhum RCT e 21 estudos observacionais envolvendo 71.693 participantes. Existe apenas um RCT em andamento no momento, envolvendo MSM na China. A estimativa de efeito combinado da circuncisão para prevenção da contaminação com HIV não atingiu significância estatística (20 estudos; 65.784 participantes; OR 0,86, IC95% 0,70 até 1,06) e esta meta- análise teve um alto grau de heterogeneidade (I²=53%). Nas análises por subgrupos, os resultados indicam um efeito protetor estatisticamente significativo para os estudos com homens que tinham um papel ativo de penetração (7 estudos, 3465 participantes; OR 0,27, IC95% 0,17 até 0,44; I²=0%), porém isso não foi observado nos estudos onde os homens tinham um papel passivo (3 estudos, 1792 participantes; OR 1,20, IC95% 0,63 até 2,29; I² = 0%). Não foi encontrada associação significativa entre circuncisão masculina na prevenção da sífilis (8 estudos; 34.999 participantes: OR 0,96, IC95% 0,82 até 1,13; I² = 0%), do herpes simples tipo 1 (2 estudos, 2740 participantes; OR 0,90, IC95% 0,53 até 1,52; I²=0%), ou do herpes simples tipo 2 (5 estudos;10.285 participantes; OR 0,86, IC95% 0,62 até 1,21; I²=0%). A qualidade geral da evidência foi baixa, baseada no GRADE. Nenhum dos estudos apontou qualquer efeito adverso associado com a circuncisão.

Tools
Information
Share/Save