Lactoferrina oral para o tratamento de sepse e enterocolite necrotizante em neonatos.

Essa tradução não está atualizada. Por favor clique aqui para ver a versão mais recente em inglês desta revisão.

Recém-nascidos, especialmente aqueles nascidos prematuros, têm risco de infecções no sangue (sepse) e/ou infamação gastrointestinal e lesão (enterocolite necrotizante). Um número de bebês com sepse ou enterocolite necrotizante morre ou sofrem a longo prazo de danos no cérebro e pulmões, apesar do tratamento com antibióticos. Lactoferrina, uma substância normalmente presente no leite humano, pode ser efetiva contra infecções e lesões gastrointestinais. Essa revisão pesquisou por estudos que usaram lactoferrina para tratar bebês com infecção ou lesão gastrointestinal e não encontrou nenhum. Tendo em vista a potencial utilidade da lactoferrina, recomendamos que estudos bem desenhados sejam feitos no futuro para resolver essa questão.

Conclusão dos autores: 

Implicações para a prática: Atualmente não há nenhuma evidência para recomendar ou refutar o uso de lactoferrina para o tratamento de sepse neonatal ou enterocolite necrotizante como adjuvante à antibióticoterapia.

Impactos para a pesquisa: A segurança e eficácia de diferentes preparações e doses de lactoferina precisam ser estabelecidas em neonatos. Ensaios clínicos multicêntricos randomizados adequadamente reforçados e bem desenhados são necessários para abordar a eficácia e segurança de lactoferrina no tratamento de sepse neonatal e enterocolite necrotizante. Esses ensaios devem avaliar o desenvolvimento neurológico e pulmonar a longo prazo, além de resultados a curto prazo.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Sepse neonatal e enterocolite necrotizante (NEC) causam significante mortalidade e morbidade neonatais, apesar da terapia antibiótica adequada. Melhorar a defesa do hospedeiro e modular a inflamação usando a lactoferrina como adjuvante aos antibióticos no tratamento de sepse e/ou NEC pode melhorar os resultados clínicos.

Objetivos: 

O objetivo principal é avaliar a segurança e a eficácia da lactoferrina oral como adjuvante aos antibióticos no tratamento de neonatos com suspeita ou confirmação de sepse e/ou NEC.

Estratégia de busca: 

Ensaios clínicos relevantes em qualquer idioma foram buscados no Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, The Cochrane Library), MEDLINE, PREMEDLINE, EMBASE, CINAHL, sites: www.clinicaltrials.gov e www.controlled-trials.com, resumos do encontro anual da Pediatric Academic Societies (1990 até Julho de 2011), contactando autores que publicaram nessa área, a partir de listas de referência de ensaios clínicos identificados e em arquivos pessoais do revisor.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados ou quasi-randomizados avaliando a lactoferrina oral (em qualquer dose ou duração) usada como um adjuvante a antibioticoterapia comparada com a antibioticoterapia apenas (com ou sem placebo) ou outros adjuvantes à antibioticoterapia para tratar neonatos em qualquer idade gestacional até 44 semanas com confirmação ou suspeita de sepse ou enterocolite necrotizante (estágio de Bell II ou III).

Coleta dos dados e análises: 

Utilizamos métodos padronizados do Cochrane Neonatal Review Group (CNRG) para a condução de uma revisão sistemática e para a avaliação da qualidade metodológica dos estudos (http://neonatal.cochrane.org/en/index.html). Os títulos e resumos dos estudos identificados pela estratégia de busca foram avaliados, de forma independente, por dois autores da revisão e a versão integral foi obtida para a avaliação, se necessário. Formulários foram designados para inclusão/exclusão de ensaios e extração de dados.

Resultados principais: 

Não identificamos nenhum ensaio clínico neonatal elegível avaliando lactoferrina para tratamento de sepse neonatal ou NEC.

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD007138.pub3.Maressa Maria de Medeirtos Moreira

Share/Save