Intervenções para aumentar a proporção de profissionais de saúde que trabalham em áreas rurais e outras áreas desassistidas

Qual o objetivo desta revisão?

O objetivo desta revisão Cochrane foi avaliar qual é a eficácia de estratégias para aumentar o número de profissionais de saúde que trabalham em áreas rurais e outras áreas desassistidas. A primeira versão desta revisão, publicada em 2009, não encontrou nenhuma evidência de boa qualidade sobre essa questão. Nesta atualização da revisão, fizemos uma busca para descobrir se novos estudos haviam sido publicados depois dessa data.

O que esta revisão concluiu?

Encontramos apenas um estudo novo, com evidência de qualidade muito baixa. Assim sendo, continuamos incertos sobre os efeitos destes tipos de estratégias. É necessário fazer estudos bem conduzidos, com grupos controle ou de comparação apropriados, para avaliar o impacto das estratégias que visam aumentar o número de profissionais de saúde que trabalham em áreas desassistidas.

O que foi estudado nesta revisão?

Todos os países têm áreas onde existe um número insuficiente de profissionais de saúde (áreas desassistidas). Isso ocorre principalmente em comunidades rurais e áreas urbanas pobres. Este problema ocorre em todo mundo, mas é particularmente sério em países de baixa e média renda.

Enquanto alguns profissionais da saúde escolhem espontaneamente trabalhar nessas áreas (desassistidas), frequentemente é necessário criar estratégias para persuadir mais deles a fazerem o mesmo. Existem diferentes tipos de estratégias para alcançar esse objetivo. Por exemplo, algumas escolas médicas tentam atrair mais estudantes de origem rural, ou se organizam para que os estudantes pratiquem em áreas rurais, na esperança que eles decidam praticar nessas áreas quando se formarem. Também existem incentivos financeiros, como salários mais altos, bolsas de estudos, doações e reembolsos de empréstimos estudantis, para atrair profissionais da saúde para áreas desassistidas. Alguns países também usam estratégias que obrigam os profissionais de saúde a trabalharem nessas áreas. Apesar de algumas estratégias serem promissoras, há falta de estudos bem desenhados para medir de formar rigorosa a eficácia destas estratégias no curto e no longo prazo.

Quais são os principais resultados da revisão?

Esta revisão encontrou um estudo novo que avaliou o efeito de um esquema de Seguro Nacional de Saúde na distribuição de profissionais da saúde em Taiwan. Antes da implementação do Seguro Nacional de Saúde, os moradores das áreas rurais tinham menos condições de pagar por cuidados de saúde do que os moradores urbanos. A implementação de um esquema de Seguro Nacional de Saúde tornou o cuidado médico mais acessível para todos cidadãos de Taiwan, nas áreas rurais e urbanas. Isto pode ter contribuído para uma melhor distribuição geográfica dos profissionais da saúde. Contudo,verificamos que a qualidade dessa evidência é muito baixa. Assim sendo, estamos incertos sobre os efeitos do esquema de Seguro Nacional de Saúde na distribuição dos profissionais da saúde.

Quão atualizada é esta revisão?

Os autores desta revisão pesquisaram por estudos publicados até abril 2014.

Conclusão dos autores: 

Atualmente, existe evidência limitada sobre os efeitos de intervenções para melhorar a desigualdade na distribuição dos profissionais da saúde. São necessários estudos bem desenhados para confirmar ou refutar os achados de estudos observacionais sobre intervenções educacionais, financeiras, regulatórias e de suporte para influenciar a decisão de profissionais de saúde de trabalhar em áreas desassistidas. As instituições governamentais e as escolas médicas deveriam usar métodos científicos rigorosos para avaliar o impacto das intervenções que elas implementam. Somente assim seria possível estabelecer quais são os verdadeiros efeitos dessas medidas no recrutamento e na retenção dos profissionais de saúde em áreas rurais e desassistidas.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A distribuição desigual dos profissionais da saúde dentro dos países é um importante obstáculo para otimizar o funcionamento dos serviços de saúde.

Objetivos: 

Avaliar a efetividade de intervenções para aumentar a proporção de profissionais de saúde que trabalham em áreas rurais e outras áreas desassistidas.

Estratégia de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes base de dados: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, incluindo registo especializado do Cochrane Effective Practice and Organisation of Care Group, março 2014), MEDLINE (1966 a março 2014), EMBASE (1988 a março 2014), CINAHL (1982 a março 2014), LILACS (fevereiro 2014), Science Citation Index e Social Sciences Citation Index (até abril 2014), Global Health (março 2014) e a World Health Organization (WHO) International Clinical Trials Registry Platform (ICTRP) (junho 2013). Também pesquisamos as listas de referências de todos artigos e revisões relevantes, e contactamos os autores de estudos relevantes em busca de mais trabalhos publicados e não publicados.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados, ensaios clínicos não randomizados, estudos controlados antes-e-depois, e estudos de séries temporais interrompidas que avaliaram os efeitos de vários tipos de intervenções (educacionais, financeiras, regulatórias ou estratégias de suporte) no recrutamento ou na retenção, ou ambos, de profissionais da saúde em áreas desassistidas.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores, trabalhando de forma independente, avaliaram os títulos e resumos das citações identificadas e selecionaram para leitura na íntegra os estudos potencialmente relevantes. Em seguida, os revisores selecionaram e incluíram na revisão os estudos que preencheram os critérios de elegibilidade. Dois revisores, trabalhando de forma independente, extraíram os dados dos estudos elegíveis.

Resultados principais: 

Nesta primeira atualização da revisão original, avaliamos 8945 citações. Selecionamos 125 estudos para leitura na íntegra. Apenas um estudo preencheu os critérios de inclusão da revisão. Este estudo de série temporal interrompida foi conduzido em Taiwan. Os autores encontraram uma associação entre a implementação de um esquema de Seguro Nacional de Saúde em 1995 e uma melhora na distribuição geográfica de médicos e dentistas. A qualidade da evidência proveniente deste único estudo foi classificada como muito baixa.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane South Africa e Cochrane Africa em parceria com o Cochrane Brazil (Adilson Bauhofer e Maria Regina Torloni). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save