Tratamentos para alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Não há ensaios clínicos com boa evidência que mostrem tratamentos com benefícios de longa duração para pacientes com alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Alopecia areata é uma condição causada por perda irregular, de uma parte do cabelo. O tamanho e o número de áreas com alopecia e sua progressão variam de pessoa a pessoa. Pode afetar todo o couro cabeludo (alopecia total) ou causar perda de todos os pelos do corpo (alopecia universal). Alguma vezes a doença melhora por conta própria, porém, em alguns casos, ela pode piorar.

O tratamento inclui uma variedade de diferentes cremes e loções aplicadas no couro cabeludo, como cortocosteroides tópicos ou orais, minoxidil e algumas terapias a base de luz. Alguns tratamentos de pele podem ter efeitos colaterais desagradáveis como coceira ou pelos crescendo em áreas do corpo distantes do local onde o creme foi aplicado. Esteroides orais podem causar sérios efeitos colaterais. Além disso, não há garantia de que qualquer pelo que cresceu durante o tratamento persista após o término deste.

Achamos 17 ensaios clínicos controlados randomizados envolvendo 540 participantes. Somente um estudo que comparou dois corticosteroides tópicos mostraram significantes benefícios a curto tempo. Nenhum estudo demonstrou benefício a longo prazo de crescimento de cabelo. Nenhum dos estudos incluídos pediu para os participantes reportarem suas opiniões quanto a melhora no crescimento do cabelo ou na qualidade de vida com o tratamento.

Conclusão dos autores: 

Poucos tratamentos para alopecia areata foram bem avaliados em ensaios clínicos randomizados. Não foram encontrados ECRs com o uso de difenciprona, dinitroclorobenzeno, corticosteroide intralesional ou ditranol, embora eles sejam comumente utilizados para o tratamento da alopecia areata. Embora esteroides tópicos e monixidil sejam amplamente prescritos e aparentemente seguros, não há evidências convincentes que eles sejam benéficos em um longo período de tempo. A maioria dos estudos são mal relatados e são tão pequenos que nenhum benefício clínico importante é concluído. Há necessidade urgente de ensaios clínicos grandes e bem conduzidos para avaliar os efeitos na qualidade de vida a longo prazo das terapias utilizadas.

Considerando-se a possibilidade de remissão espontânea, especialmente para aqueles em estágios iniciais da doença, a opção de um tratamento não terapêutico ou, dependendo da preferência individual, usar uma peruca, pode ser um meio alternativo de lidar com essa condição.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Alopecia areata é uma doença em que há perda de cabelo causando áreas de calvície mas sem cicatrizes na área afectada. Ela pode afetar todo o couro cabeludo (alopecia total) ou causar perda de todos os pelos do corpo (alopecia universal). É uma condição relativamente comum que afeta cerca de 0,15% da população. Embora em muitos casos a doença seja auto-limitada, a perda de cabelo pode frequentemente causar sérios problemas sociais e emocionais.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos de intervenções usadas no tratamento da alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Estratégia de busca: 

Buscamos no Cochrane Skin Group Specialised Register em Fevereiro de 2006, Cochrane Central Register of Controlled Clinical Trials (The Cochrane Library Edição 1, 2006), MEDLINE (de 2003 a Fevereiro de 2006), EMBASE (de 2005 a Fevereiro de 2006), PsycINFO (de 1806 a Fevereiro de 2006), AMED (Allied and Complementary Medicine, de 1985 a Fevereiro de 2006), LILACS (Latin American and Caribbean Health Science Information database, de 1982 a Fevereiro de 2006), e na lista de referência dos artigos. Também buscamos por registros de estudos onlines para estudos em andamento.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados que avaliassem a efetividade das intervenções tópicas e sistêmicas para alopecia areata, alopecia total e alopecia universal.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram a qualidade dos estudos e extraíram os dados. Nós contatamos os autores dos estudos para mais informações. Coletamos informações sobre os efeitos adversos dos estudos incluídos.

Resultados principais: 

Dezessete ensaios clínicos foram incluídos, com um total de 540 participantes. Cada ensaio incluiu de 6 a 85 participantes e eles avaliaram uma série de intervenções incluindo corticosteroide tópico ou oral, ciclosporina tópica, terapia fotodinâmica e minoxidil tópico. No geral, nenhuma intervenção mostrou benefícios significantes dos tratamentos em relação ao crescimento de cabelo quando comparado com o placebo. Nós não encontramos nenhum estudo onde os próprios participantes avaliaram o crescimento de seus cabelos e sua qualidade de vida.

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD004413.pub2

Tools
Information
Share/Save