Pressão expiratória final positiva para reanimação de recém-nascidos ao nascimento

Ao nascimento, os pulmões dos recém-nascidos estão cheios de líquido. Este líquido tem que ser removido e substituído por ar após o nascimento. Enquanto a maioria dos bebês administram por si só, um em cada 20 a 30 recém-nascidos recebem reanimação no nascimento, a maioria por respiração ausente ou ineficaz. Todos os bebês que são reanimados recebem ajuda para respirar e essa é a parte mais importante da reanimação neonatal. Uma variedade de dispositivos são usados para ajudar bebês que começam sua respiração normal. Alguns desses dispositivos permitem que os profissionais de saúde deem pressão de fundo conhecida como pressão expiratória final positiva, ou PEEP, que pode ajudar a manter os pulmões insuflados. Atualmente, existem apenas dois ensaios clínicos que tratam dessa questão. Embora houvessem alguns benefícios associados com o uso da PEEP, não há informação suficiente para fazer desta, parte da rotina prática.

Conclusão dos autores: 

Não há evidência suficiente para determinar a eficácia e segurança da PEEP durante ventilação com pressão positiva na reanimação neonatal. Ensaios clínicos randomizados comparando ventilação com pressão positiva com e sem PEEP na reanimação neonatal são garantidos.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Ventilação eficaz é a chave para reanimação neonatal bem sucedida. Ventilação com pressão positiva é iniciada com dispositivos de ventilação manual que pode ou não transmitir pressão expiratória final positiva (PEEP). PEEP é conhecida por ter efeitos benéficos em modelos animais pré-termo e seu uso universal na ventilação mecânica em cuidados intensivos neonatais.

Objetivos: 

Determinar se o uso da PEEP durante ventilação com pressão positiva na reanimação neonatal reduz mortalidade ou morbidade.

Estratégia de busca: 

Foi utilizada estratégia de busca padrão da Cochrane Neonatal Review Group. Foi buscado no Pub Med (1966 a Maio de 2004) usando cabeçalho MeSH criança, recém-nascido, reanimação, respiração com pressão positiva e palavra texto pressão expiratória final positiva ou PEEP. Foi buscado no Cochrane Central Register of Controlled Trials (The Cochrane Library, Edição 1, 2004) usando palavras texto recém-nascido e reanimação. Não foram aplicadas restrições de linguagem. Os resumos da Society for Pediatric Research e da European Society for Pediatric Research, foram pesquisados de 1995 a Maio de 2004. Os resumos também foram pesquisados no Anaesthesiology, Canadian Journal of Anaesthesia, British Journal of Anaesthesia, Anaesthesia and Intensive Care e Anaesthesia and Analgesia.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos controlados randomizados e quasi-randomizados comparando dispositivos fornecendo PEEP com aqueles não fornecendo PEEP na reanimação de crianças ao nascimento.

Coleta dos dados e análises: 

Avaliação da metodologia em relação ao cegamento da randomização, intervenção e avaliação dos desfechos mensurados, bem como a integralidade do seguimento foi planejado. Nós planejamos avaliar os efeitos do tratamento usando modelos de efeito fixo como risco relativo (RR), redução do risco relativo, diferença de risco (DR) e número necessário para tratar (NNT) para dados categóricos e usando desvio padrão e diferença de média ponderada (DMP) para dados contínuos. Nós planejamos uma avaliação de heterogeneidade para ajudar a determinar a adequação dos resultados reunidos.

Resultados principais: 

Não foram encontrados estudos que reunissem os critérios de inclusão dessa revisão.

Notas de tradução: 

Tradução CD004341. Traduzido por: Joyce Mendes Soares, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil. Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save