Diuréticos para taquipneia transitória do recém-nascido (TTN)

Questão de revisão: O tratamento com diuréticos reduz o tempo de oxigenoterapia e sintomas respiratórios e encurtam o tempo de internação de crianças nascidas a termo apresentando síndrome clínica de taquipnéia transitória do recém-nascido?

Introdução: É comum que os recém-nascidos a termo nascidos por cesariana eletiva tenham respiração forçada e rápida (taquipnéia) e necessitem de oxigênio por cerca de 48 horas. Esta taquipnéia transitória do recém-nascido (TTN) é responsável por cerca de metade de todos os casos de dificuldade respiratória neonatal. Embora seja transitória e não costume ser grave, a condição requer admissão em uma unidade de terapia intensiva neonatal, envolvendo a separação da mãe e do bebê, além de uso de recursos caros. O mecanismo patológico envolvido na TTN não é bem compreendido. O mecanismo mais comumente proposto é um atraso na reabsorção de fluido pulmonar fetal após o nascimento. Medicamento diurético, incluindo furosemida, poderia reduzir líquido nos pulmões.

Características do estudo: Nós identificamos dois ensaios clínicos controlados randomizados envolvendo 100 bebês que compararam o efeito da furosemida oral ou intravenosa versus placebo ou nenhum tratamento em bebês com menos de sete dias de vida, nascidos com 37 semanas ou mais de idade gestacional com TTN. Nenhum ensaio foi identificado na atualização de 2015.

Resultados: Nenhum estudo demonstrou impacto estatisticamente significante da furosemida na taquipnéia transitória do recém-nascido em relação à duração dos sintomas ou tempo de hospitalização.

Conclusão: Diuréticos não podem ser recomendados como tratamento para taquipnéia transitória do recém-nascido e não devem ser usados, a menos que se tornem disponíveis dados adicionais.

Conclusão dos autores: 

Diuréticos não podem ser recomendados como tratamento para a taquipnéia transitória do recém-nascido e não devem ser usados, a menos que se tornem disponíveis dados adicionais. Este achado sugere que ou a furosemida não é eficaz em promover reabsorção de fluidos do pulmão, ou outros fatores que retardam a reabsorção destes fluidos contribuem para a patogênese de taquipneia transitória do recém- nascido. A questão permanece quanto ao fato de que a furosemida dada à criança (ou mesmo para a mãe antes da cesariana) poderia encurtar a duração da doença. Como cesariana eletiva continua a um nível elevado, estas duas intervenções podem ser dignas de ensaios.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Taquipnéia transitória do recém-nascido (TTN) resulta do atraso da depuração do líquido do pulmão e é uma causa comum de admissão de crianças a termo em unidades de cuidados intensivos neonatais. A condição é particularmente comum após cesariana eletiva. O tratamento convencional envolve a administração adequada de oxigênio e pressão positiva contínua em alguns casos. A maioria das crianças recebe terapia antibiótica. Apressar a depuração do líquido pulmonar poderia encurtar a duração dos sintomas e reduzir as complicações.

Objetivos: 

Determinar se administração de diurético reduz o tempo de oxigenoterapia, sintomas respiratórios e tempo de hospitalização em crianças nascidas a termo apresentando taquipnéia transitória do recém-nascido.

Estratégia de busca: 

Uma busca atualizada foi realizada em Setembro de 2015 usando as seguintes bases de dados: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (The Cochrane Library Edição 9, 2015), MEDLINE via Ovid, EMBASE, PubMed, e CINAHL via OVID.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos controlados randomizados e quasi-randomizados que compararam o efeito da administração de diuréticos versus placebo ou nenhum tratamento em crianças com menos de sete dias de idade, nascidos com 37 ou mais semanas de gestação com o quadro clínico típico de taquipnéia transitória do recém-nascido.

Coleta dos dados e análises: 

Extraímos e analisamos os dados de acordo com os métodos descritos na última Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions. Dois revisores avaliaram a qualidade dos ensaios clínicos em cada manuscrito potencialmente elegível e dois revisores extraíram os dados.

Resultados principais: 

Nossa revisão sistemática anterior incluiu dois ensaios clínicos envolvendo um total de 100 recém-nascidos com taquipnéia transitória do recém-nascido (Wiswell 1985; Karabayir 2006). A pesquisa atualizada não revelou novos ensaios clínicos. Wiswell 1985 randomizou 50 crianças para receber ou furosemida oral (2 mg/kg no momento do diagnóstico, seguido por uma dose de 1 mg/kg 12 horas mais tarde, se a taquipneia persistisse) ou placebo. Karabayir 2006 randomizou 50 crianças para receber ou furosemida intravenosa (2 mg/kg de peso corporal) ou um volume igual de solução salina como placebo. Nenhum estudo informou sobre a necessidade de suporte respiratório. Nenhum estudo demonstrou um impacto estatisticamente significante da furosemida em taquipnéia transitória do recém-nascido em relação à duração dos sintomas ou tempo de hospitalização.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Esther Angélica Luiz Ferreira) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD003064

Tools
Information
Share/Save