Uma revisão global de revisões sistemáticas em intervenções em saúde mental para migrantes involuntários.

Refugiados, pessoas que procuram asilo, e pessoas deslocadas internamente são migrantes involuntários, que frequentemente experienciam angústia ao serem forçados a abandonar a sua casa, no percurso migrante, bem como no processo de se instalarem num novo país ou num novo ambiente. A promoção da saúde mental, a prevenção e os tratamentos para problemas de saúde mental tais como depressão, ansiedade e perturbação de stress pós-traumático podem funcionar diferentemente nesta população, em comparação com a população geral. Esta revisão de revisões sistemáticas sumariza as caraterísticas das revisões disponíveis acerca deste tópico, de modo a ser possível determinar que questões de investigação serão mais importantes para abordar em futuras revisões da Cochrane.

Pesquisámos por revisões sistemáticas e protocolos de revisões sistemáticas de promoção de saúde mental, prevenção e tratamento de problemas de saúde mental em refugiados, requerentes de asilo e pessoas deslocadas internamente. A promoção de saúde mental pode envolver, por exemplo, intervenções para crianças baseadas no bem-estar em contexto de sala de aula. Um exemplo de prevenção é a terapia focada no trauma para prevenir perturbação de stress pós-traumático. O tratamento pode incluir, por exemplo, terapia psicológica para a depressão. Foram encontradas 23 revisões sistemáticas e 15 protocolos de revisões em progresso. Encontrámos 23 revisões sistemáticas e 15 protocolos de revisões em progresso. Em conjunto, as 23 revisões sistemáticas incluíram 336 referências, 175 das quais eram estudos únicos. As revisões mais frequentemente incluíam refugiados e requerentes de asilo do que deslocados internamente, e incidiam mais frequentemente sobre adultos do que sobre crianças. Mais atenção era dada ao tratamento de perturbação de stress pós-traumático do que à promoção de saúde mental ou à prevenção, ou mesmo ao tratamento de depressão ou ansiedade. Estudos de Terapia Cognitivo-Comportamental, Terapia de Exposição Narrativa, e terapias integrativas e interpessoais eram mais prováveis de ser incluídas nas revisões.

A qualidade das revisões foi limitada por uma variedade de questões, muitas das quais relacionadas com reportagem deficitária da metodologia das revisões.

A evidência disponível a partir de revisões poderá não corresponder às intervenções baseadas na evidência para a saúde mental de migrantes involuntários. Os autores de revisões deverão ter em conta grupos relevantes, tais como pessoas deslocadas internamente, crianças, e pessoas com depressão ou ansiedade, bem como intervenções relevantes como as relacionadas com promoção e prevenção em saúde mental, e tratamentos para além dos abordados em terapia psicológica.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Rui Ferreira Carvalho e Ricardo-Manuel Delgado, Serviço de Psiquiatria e Saúde Mental da Infância e da Adolescência, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save