Dose única de dipirona para o tratamento da dor aguda pós-operatória

Ponto de partida

Dipirona (metamizol) a uma dose oral única de 500 mg produz alívio aceitável da dor em cerca de 7 a cada 10 pessoas com dor aguda moderada ou grave.

Introdução

A dor aguda é de duração curta e geralmente sentida logo após a lesão. A maioria das pessoas submetidas a cirurgias cursam com dor moderada ou intensa. Analgésicos são testados em pessoas com dor, geralmente após a remoção de dentes sisos ou outras cirurgias de pequeno porte. A dor é geralmente tratada com analgésicos tomados por via oral. Os resultados podem ser aplicados a outras formas de dor aguda. Esta é uma revisão de uma série de revisões da Cochrane olhando como são bons os analgésicos.

A dipirona é um medicamento popular para o alívio da dor em alguns países e é usado no tratamento da dor pós-operatória, dor em cólica (dor aguda na barriga), dor de câncer, e enxaqueca (cefaléia severa). Outros países (Japão, Reino Unido, Estados Unidos da América) proibiram o seu uso por causa de uma associação com doenças do sangue potencialmente fatais, como a agranulocitose (deficiência de certas células do sangue).

Caracterísiticas do estudo

Nós pesquisamos ​​os bancos de dados médicos para estudos de dipirona utilizada para tratar dor após cirurgia em adultos e comparados com um placebo (tratamento simulado). Os medicamentos poderiam ser administrados por via oral, endovenoso, intramuscular, ou via retal. Esta evidência está atualizada até agosto de 2015. Nós encontramos oito estudos, envolvendo 809 participantes tratados com dipirona,placebo, e vários outros analgésicos. Os estudos foram todos pequenos, mas entretanto de moderada a boa qualidade.

Resultados chave:

Uma única dose de 500 mg de dipirona proporcionou alívio eficaz da dor (50% ou mais de redução na dor durante quatro a seis horas) para 7 em cada 10 (70%) participantes, em comparação com 3 em cada 10 (30%) com placebo (cinco estudos, 288 participantes na comparação; evidências de qualidade moderada), e poucos participantes necessitaram de analgésicos adicionais dentro de quatro a seis horas (7% com dipirona, 34% com placebo; quatro estudos, 248 participantes; evidências de baixa qualidade).

Havia muito poucos dados para comparar dipirona diretamente com outros analgésicos.

Haviam poucas informações disponíveis para tirar quaisquer conclusões sobre outras doses e formas de administração da dipirona utilizadas nestes estudos, ou sobre o número de pessoas que tiveram efeitos colaterais. Os estudos não relataram efeitos colaterais graves ou pessoas que se retiram dos estudos por causa de efeitos colaterais, embora nem todos os estudos forneceram informações sobre esses resultados.

Conclusão dos autores: 

Com base na informação muito limitada, uma dose única de 500 mg de dipirona proporciona bom alívio da dor em cerca de 70% das pessoas tratadas, em comparação com cerca de 30% com placebo. Para cada cinco pessoas que receberam dipirona 500 mg, duas pessoas poderiam experimentar este nível de alívio da dor ao longo de quatro a seis horas e que não teria sido alcançado com o placebo; e menos pessoas que precisariam de medicação de resgate.

Nós não fomos capazes de comparar dipirona diretamente com outros tratamentos ativos, ou para avaliar os efeitos de diferentes doses ou vias de administração, ou o número de participantes que apresentaram eventos adversos, devido a insuficiência de dados e relatórios inadequados.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Dipirona (metamizol) é um anti-inflamatório não esteroidal utilizado em alguns países para tratar a dor (pós-operatória, cólica, câncer e enxaqueca); é proibida em outros países por causa de uma associação com doenças do sangue potencialmente fatais. Esta avaliação substitui uma revisão Cochrane 2010, que foi retirada.

Objetivos: 

Para avaliar a eficácia analgésica e eventos adversos associados à dipirona em dose única para dor aguda pós-operatória moderada a severa , utilizando métodos que permitissem uma comparação com outros analgésicos avaliados em ensaios padronizados, utilizando métodos e resultados quase idênticos.

Estratégia de busca: 

Nós buscamos no Centro de Registros de Ensaios Controlados da Cochrane (CENTRAL), MEDLINE, EMBASE, e LILACS até 11 de agosto de 2015; no banco de dados de Oxford para o alívio da dor; dois registros de ensaios clínicos; e referências listadas nos artigos.

Critérios de seleção: 

Nós incluímos estudos duplo-cegos, randomizados, placebo controlados com dose única de dipirona para alívio de moderada a severa, estabelecida após cirurgia em adultos. Nós consideramos as vias oral, retal, intramuscular e intravenosa de administração.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores avaliaram de forma independente os estudos para inclusão, avaliaram o risco de viés e realizaram a extração dos dados. Nós utilizamos a soma total do alívio da dor ou a diferença de intensidade (TOTPAR ou SPID) ao longo de quatro a seis horas para calcular o número de participantes que obtiveram pelo menos 50% de alívio da dor. A partir dos resultados obtidos, nós calculamos a relação de risco e número necessário para tratar de um resultado benéfico adicional (NNT), com intervalos de confiança de 95% (IC), por um participante para experimentar alívio da dor de pelo menos 50% ao longo de quatro a seis horas, em comparação com placebo. Nós procuramos o uso de medicação de resgate e intervalo de tempo para sua utilização como medida adicional de eficácia. Nós também coletamos informações sobre eventos adversos e desistências.

Resultados principais: 

Nós incluímos oito estudos, envolvendo 809 participantes, comparando dipirona 500 mg via oral (143 participantes), dipirona 1000 mg via oral (57 participantes), e dipirona 2000 mg intramuscular (35 participantes) com placebo (236 participantes). Em adição ao placebo, todos os estudos utilizaram controles ativos (ibuprofeno, paracetamol, aspirina, flurbiprofeno, cetoprofeno; 338 participantes). Sete estudos utilizaram a via de administração oral, e um estudo utilizou a via intramuscular. O intervalo de idade dos participantes variou entre 23 a 62 anos. Seis estudos incluíram homens e mulheres, e dois estudos incluídos apenas as mulheres. Os estudos foram todos pequenos, mas entretanto de moderada a boa qualidade.

Mais de 70% dos participantes experimentaram o nosso resultado primário de alívio da dor pelo menos 50% ao longo de quatro a seis horas com dipirona 500 mg via oral em comparação com 30% com placebo (cinco estudos, 288 participantes; NNT de 2,4 (IC 95% 1,8-3,1)) (evidência de qualidade moderada). Foram insuficientes os dados para avaliar outras doses ou outras vias de administração de dipirona.

Poucos participantes necessitaram de medicação de resgate dentro de quatro a seis horas com dipirona 500 mg do que com placebo (7% com dipirona contra 34% com placebo; quatro estudos, 248 participantes) (evidência de baixa qualidade).

Os dados sobre o número de participantes que experimentam qualquer evento adverso foi relatado de forma inconsistente e nenhuma análise foi possível. Nenhum evento adverso grave ou desistências por eventos adversos foram relatadas (evidência muito baixa qualidade).

Havia muito poucos dados para comparar dipirona diretamente com outros analgésicos.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Heber de Moraes Penna) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD011421

Tools
Information
Share/Save