Tratamento da incontinência urinária de esforço recorrente em mulheres após falha de uma operação de fita suburetral.

Incontinência urinária de esforço (IUE) é a perda de urina quando a pessoa tosse ou se exercita. Danos aos músculos do assoalho pélvico e lesões dos nervos durante o parto podem levar a IUE. Tratamentos simples, como exercitar os músculos do assoalho pélvico, ou medicamentos, podem ser tentados primariamente. Se esses métodos não funcionarem, a cirurgia é freqüentemente realizada. Isso normalmente envolve a colocação de uma fita de polipropileno (um material sintético, como o nylon, que é usado em alguns pontos cirúrgicos e outros dispositivos médicos) sob o colo da bexiga. Esta operação é muito bem sucedida, mas nem todas as mulheres serão curadas após uma primeira cirurgia de fita, e atualmente, não existe acordo entre os especialistas sobre como tratar as mulheres com problemas persistentes ou recorrentes. Esta revisão procurou evidências para diferentes tratamentos, mas não identificou quaisquer estudos que fornecesse respostas. Ensaios clínicos randomizados de alta qualidade são urgentemente necessários para responder estas questões.

Conclusão dos autores: 

Não houve dados para recomendar ou refutar qualquer uma das diferentes estratégias de manejo para a incontinência recorrente ou persistente após a falha da cirurgia de fita suburetral. Evidências são urgentemente necessárias para resolver essa deficiência, idealmente de ECR.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Cirurgia é a modalidade de tratamento comum para incontinência urinária de esforço (IUE), geralmente oferecida para mulheres nas quais os tratamentos conservadores falharam. Fitas suburetral têm substituído a colposuspenão porque as taxas de cura são comparáveis e o tempo de recuperação reduzido. No entanto, algumas mulheres não serão curadas após cirurgia de fita suburetral, e atualmente não há consenso sobre como gerenciar essas mulheres

Objetivos: 

Obter e examinar as evidências que sustentem diferentes estratégias de tratamento para a recorrente/persistente incontinência urinária de esforço (IUE) em mulheres após falha da cirurgia de fita suburetral.

Estratégia de busca: 

Buscamos no Cochrane Incontinence Group Specialised Register of controlled trials (buscado em 18 de Dezembro de 2012), a qual contém ensaios clínicos identificados da Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL), MEDLINE e PreMEDLINE; realizamos busca manual em revistas e conferências proferidas, e a lista de referências dos estudos incluídos e revisões anteriores da Cochrane para estudos randomizados e parcialmente randomizados tratando pacientes com incontinência recorrente como população ou subgrupo. Tratamentos conservador, medicamentoso e cirúrgico foram incluídos.

Critérios de seleção: 

Foram incluidos ensaios clínicos randomizados e parcialmente randomizados com mulheres que tinham incontinência urinaria recorrente após cirurgia minimamente invasiva com fita suburetral.

Coleta dos dados e análises: 

Resumos dos estudos identificados foram avaliados por dois autores para confirmar a elegibilidade. Textos completos de estudos relevantes foram obtidos e os autores foram contactados diretamente, sempre que necessário. . Dados de resultados foram extraídos dentro de um padrão proforma e processados de acordo com os métodos do Cochrane Handbook for Systematic Reviews of Interventions.

Resultados principais: 

Doze estudos foram identificados, mas todos foram excluídos porque não reuniam os critérios de elegibilidade Seis eram ensaios clínicos controlados randomizados (ECR), mas não eram elegíveis, porque a cirurgia de incontinência anterior não foi uma fita suburetral Um subconjunto de um ECR pode ter sido elegível para inclusão porque algumas mulheres foram submetidas a uma cirurgia de repetição, mas fomos incapazes de obter dos autores os dados da cirurgia primária para esta coorte

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD009407.pub2

Tools
Information
Share/Save