Fitoterapia para retinopatia diabética

Qual foi o objetivo desta revisão?
O objetivo desta revisão da Cochrane foi inevestigar se a medicina herbal é útil para pessoas com retinopatia diabética quando comparada com placebo, com a ausência de tratamento, medicamento não herbal (convencional) ou tratamento cirúrgico. Os investigadores da Cochrane reuniram e analisaram todos os estudos relevantes para responder a esta questão e encontraram 10 estudos.

Mensagens chave
Não é certo se a medicina herbal é benéfica para pessoas com retinopatia diabética.

O que foi estudado nesta revisão?
A diabetes é uma doença crónica em que existe uma concentração elevada de açúcar no sangue. Normalmente, o nosso corpo regula os níveis de açúcar no sangue através de uma hormona chamada insulina. Na diabetes, ou não existe insulina suficiente para regular o açúcar, ou esta não é eficaz. Pessoas com diabetes podem ter doença associada nos olhos. O açúcarçúcar elevado no sangue pode afetar os vasos sanguíneos na parte posterior do olho. Esta doença é chamada de retinopatia diabética e pode levar a problemas de visão, incluindo cegueira em casos graves.

Em todo o mundo, muitas ervas medicinais ou extratos de ervas são usadas para tratar a retinopatia diabética. Os investigadores da Cochrane analisaram seis tipos diferentes de medicamentos fitoterápicos: Comprimido de extrato de Ruscus, cápsula Sanqi Tongshu, injeção de tetrametilpirazina, injeção de Xueshuantong, injeção de Xuesaitong e injeção de Puerarin. Esses tratamentos tiveram uma duração de duas semanas a 12 meses.

Quais foram os principais resultados desta revisão?
Os investigadores da Cochrane encontraram 10 estudos relevantes que envolveram 754 participantes; nove estudos foram realizados na China e um na Polónia.

Esses estudos compararam a fitoterapia combinada com o tratamento convencional com o tratamento convencional isolado para pessoas com retinopatia diabética. Nenhum dos estudos declarou a fonte de financiamento. Os resultados foram os seguintes:

• Nenhum dos estudos reportou sobre a progressão da retinopatia diabética.
• Os estudos forneceram evidências de baixo grau de que os extratos de ervas podem ter aumentado a probabilidade de melhoria da visão (podendo os participantes conseguir ler 2 ou mais linhas adicionais em um gráfico visual, que é usado para medir a acuidade visual).
• Os investigadores da Cochrane avaliaram a evidência de alguns dos sinais de retinopatia diabética (como redução nos vasos sanguíneos que sangram na parte posterior do olho) como certeza muito baixa.
• Igualmente, existiu evidência de baixo grau relativamente ao efeito dos extratos de ervas nos níveis de açúcar no sangue, mas as evidências disponíveis sugeriam pouco efeito.
Nenhum dos estudos reportou a ocorrência de eventos adversos. Dois estudos relataram efeitos adversos ligeiros, como desconforto no estômago, prurido, tontura e dor de cabeça.

Quão atualizada é esta revisão?
Os investigadores da Cochrane procuraram estudos que tinham sido publicados até Junho de 2018.

Notas de tradução: 

Tradução por: Inês Leal, Médica Oftalmologista, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save