Qual é a melhor técnica de sedação para pacientes submetidos a colangiopancreatografia endoscópica (CPRE ) ?

colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE ) é um procedimento desconfortável que usa um endoscópio e raios X para visualizar problemas com a bile e ductos pancreáticos dos pacientes . Um endoscópio é um dispositivo médico que pode ser utilizado para examinar o interior do corpo de um paciente e é composto por um longo tubo fino , flexível, de fibra óptica com uma fonte de luz e uma câmara de vídeo . Um grande número (mais de 100.000) desses procedimentos são realizados anualmente em uma base mundial .

Os doentes têm de receber medicamentos para torná-los adequadamente sonolento ( sedado ) ou inconsciente ( anestesiados ) para suportar o procedimento de CPRE.Estes medicamentos podem ser administrados por especialistas em anestesia ou por profissionais de saúde não especialista, e não existe atualmente nenhum debate a respeito de quem deve administrar estes medicamentos aos pacientes para os procedimentos de ERCP .

Duas maneiras comuns de proporcionar sedação para CPRE são a administração de midazolam intravenosa ( sedativo ) combinado com meperidina (morfina -como opiáceo ) ou a droga propofol ( um agente sedativo- anestésico ) nos pacientes.Esta revisão avaliou e comparou a segurança e eficácia das técnicas de sedação em pacientes submetidos a procedimentos de CPRE.

A partir de uma pesquisa na literatura mundial foram identificados apenas quatro trabalhos randomizados controlados apropriados para revisão, envolvendo um total de 510 pacientes . Estes estudos comparam o uso de midazolam e meperidina com técnicas de sedação com propofol para pacientes submetidos a procedimentos de ERCPToda a sedação foi administrada por profissionais de saúde não-especialistas em anestesia.

Não houve diferença significativa entre as técnicas de sedação em matéria de segurança .Não houve mortes nos ensaios clinicos e o número de complicações maiores , como a falta de oxigênio ( hipoxemia ) e pressão arterial baixa (hipotensão) , foi comparável em ambas as técnicas.Não houve diferença na satisfação do paciente entre os grupos. No entanto , a recuperação de pacientes que receberam propofol foi significativamente melhor do que para os que receberam midazolam e meperidina para o procedimento .

Em conclusão, pacientes submetidos a procedimentos CPRE sob sedação com propofol recuperam-se mais rapidamente e melhor do que os pacientes que receberam sedação com midazolam e meperidina. Isto faz do propofol a melhor escolha para estes procedimentos , não houve diferença na segurança de ambas as técnicas .Mais pesquisas devem se concentrar sobre a segurança das técnicas de sedação e envolver os profissionais de anestesia na administração da sedação.

Conclusão dos autores: 

Os resultados dos estudos individuais sugeriu que os pacientes apresentam um perfil melhor de recuperação após a sedação com propofol que após sedação com midazolam e meperidina para os procedimentos de CPRE. Como não houve diferença entre as duas técnicas de sedação em relação a segurança , a sedação com propofol é provavelmente preferida para pacientes submetidos a procedimentos de CPRE . No entanto, em todos os estudos avaliados a administração da sedação foi realizada por profissionais não anestesiologistas. Seria útil se mais pesquisas fossem conduzidas com anestesiologistas realizando a sedação para procedimentos de CPRE. Isso ajudaria a esclarecer qual o tipo de profissional deve realizar a sedação com propofol.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Colangiopancreatografia retrógrada endoscópica (CPRE ) é um procedimento terapêutico desconfortável que não pode ser realizada sem sedação adequada ou anestesia geral.Um número considerável de CPREs são realizadas anualmente no Reino Unido ( pelo menos 48.000 ) e muitos mais em todo o mundo .

Objetivos: 

O principal objetivo da nossa revisão foi avaliar e comparar a eficácia e segurança de técnicas anestesicas utilizadas para facilitar o procedimento de CPRE em pacientes adultos ( idade> 18 anos).

Estratégia de busca: 

Nós procuramos o Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL)(The Cochrane Library 2010, Issue 8); MEDLINE (1950 to September 2011); EMBASE (1950 to September 2011); CINAHL, Web of Science and LILACS (all to September 2011). Nós procurado por estudos adicionais, extraídos de listas de referência de materiais experimentais recuperados e artigos de revisão e atas de conferências .

Critérios de seleção: 

Foram considerados todos os estudos randomizados ou quase randomizados e controlados , onde os principais procedimentos realizados foram CPREs . As três intervenções que procuramos foram (1) sedação consciente (usando midazolam com opiáceo ) versus sedação profunda (usando propofol) ; (2) sedação consciente versus anestesia geral; e sedação profunda ( 3 ) versus a anestesia geral . Foram considerados todos os estudos , independentemente de qual profissional de saúde administrou a sedação.

Coleta dos dados e análises: 

Foram revistos 124 trabalhos e identificados quatro ensaios clínicos randomizados (com um total de 510 participantes ), que compararam o uso de sedação consciente com midazolam e meperidina, com sedação profunda com propofol em pacientes submetidos a procedimentos de CPRE . Todos os procedimentos de sedação foram realizados por profissionais não anestesistas.Devido à heterogeneidade clínica dos estudos , decidimos rever os papéis a partir de uma perspectiva narrativa em oposição a uma meta- análise completa . Nossos desfechos principais avaliados incluiram a mortalidade , complicações maiores e incapacidade de concluir o procedimento devido a problemas relacionados com a sedação.Os desfechos secundários abrangeram a eficácia e recuperação da sedação.

Resultados principais: 

Nenhuma mortalidade imediata foi relatado.Não houve diferença significativa referente a graves complicações cardio - respiratória sofridas pelos pacientes em ambos os grupos sedação. Dificuldade para concluir o procedimento devido a problemas relacionados com a sedação foi relatado em um estudo. Três estudos encontraram uma recuperação mais rápida e melhor em pacientes recebendo propofol para os seus procedimentos de CPRE .Protocolos de estudo a respeito do uso de oxigênio suplementar , administração de fluidos intravenosos e monitoração com capnografia variaram consideravelmente . Os estudos mostraram risco moderado ou alto de viés.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Clovis Tadeu Bueno da Costa) Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD007274

Tools
Information
Share/Save