Laparoscopia versus laparotomia na abordagem da suspeita de neoplasia endometrial em estádios iniciais

Contexto
Globalmente, o cancro do útero ou «cancro endometrial» é a quinta causa mais comum de cancro em mulheres com mais de 65 anos, e tem uma incidência superior nos países de alta renda do que em países de renda média ou baixa. Para mulheres com cancro do útero, a remoção do útero (histerectomia) e de ambas trompas de falópio (tubos através dos quais os ovos viajam dos ovários até o útero) é atualmente considerada o tratamento padrão (standard). Outros tratamentos incluem a radioterapia e a quimioterapia. Tradicionalmente, a cirurgia ao cancro do útero é realizada através de laparotomia (corte aberto no abdómen).

Pergunta de revisão
Esta revisão comparou a sobrevivência global (duração do tempo durante o qual a mulher permaneceu viva) e a sobrevivência livre de doença (duração do tempo durante o qual a mulher permaneceu sem doença) na laparoscopia e na laparotomia em mulheres com suspeita de cancro endometrial inicial.

Resultados principais
Os resultados dos seis estudos, onde as mulheres foram aleatoriamente alocadas em um dos dois grupos de tratamento, não mostrou diferenças entre as mulheres que se submeteram a laparoscopia e as que se submeteram a laparotomia. Para além disso, resultados de cinco estudos aleatorizados confirmaram não existir diferença na recorrência neoplásica entre mulheres que tiveram laparoscopia e laparotomia. No entanto, a laparoscopia foi associada a menor perda de sangue e a alta hospitalar mais precoce.

Grau de confiança na evidência:
A certeza da evidência para a sobrevivência global e livre de doença foi moderada. A certeza da evidência para os efeitos colaterais foi baixa.

Então, quais são as conclusões?
Esta atualização da revisão confirma os achados de revisões prévias, nos quais a laparoscopia (cirurgia fechada) é uma alternativa efetiva e viável à laparotomia (cirurgia aberta) no tratamento da neoplasia endometrial em estádios iniciais. No que diz respeitos aos desfechos de sobrevida a longo prazo, o tratamento por laparoscopia é comparável ao da laparotomia.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Catarina Reis de Carvalho, Departamento de Obstetrícia, Ginecologia e Medicina da Reprodução, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save