Tratamento dos hemangiomas (grupo de pequenos vasos que formam um nódulo) infantis cutâneos

Qual o objetivo desta revisão?

Esta revisão Cochrane teve como objetivo avaliar os benefícios e malefícios dos tratamentos para os hemangiomas da pele em bebés e crianças (conhecidos como "hemangiomas infantis"). Foram identificados e analisados 28 ensaios clínicos relevantes para responder a esta questão.

Mensagens-chave

Apenas uma das principais comparações (propranolol versus placebo) avaliou o desaparecimento do hemangioma, com evidência de qualidade moderada a apoiar este resultado. Foi identificada evidência de baixa ou moderada qualidade para as seguintes medidas específicas de resolução: redução de volume, vermelhidão e tamanho. Foi identificada evidência de muito baixa e baixa qualidade para os resultados relativos a efeitos adversos, o que significa que não conseguimos tirar conclusões definitivas sobre segurança.

O propranolol oral é atualmente o tratamento habitual para esta condição, e não encontramos evidência para contestar este tratamento em termos de eficácia e segurança. No entanto, possíveis vieses no desenho de muitos dos estudos incluídos afetam a nossa confiança nos resultados da revisão. Estudos futuros de elevada qualidade devem avaliar os efeitos do propranolol e do maleato de timolol, bem como de outros medicamentos novos e antigos, nos resultados importantes para os doentes.

O que foi estudado nesta revisão?

Os hemangiomas infantis são tumefações moles na pele, frequentemente com uma superfície vermelho-brilhante, causada por um crescimento não canceroso dos vasos sanguíneos da pele. A maioria das lesões não apresenta complicações e diminuirá espontaneamente até aos sete anos de idade; no entanto, algumas lesões requerem tratamento se ocorrerem em áreas de alto risco (por exemplo, perto dos olhos) ou se causarem sofrimento psicológico.

Foram incluídos todos os tipos de tratamento para os hemangiomas infantis, que poderiam ter sido administrados isoladamente ou em combinação, comparados entre si ou comparados com um placebo (ou seja, um tratamento sem agente ativo), ou comparados com crianças cujos hemangiomas não foram tratados e mantidos em vigilância (observação).

Quais foram os principais resultados da revisão?

Foram incluídos 28 estudos, com um total de 1728 participantes, que avaliaram laser, beta-bloqueantes (por exemplo, propranolol), esteróides, radioterapia e outros tratamentos. Os tratamentos foram comparados com uma abordagem de monitorização ativa (observação), placebo, radiação simulada ou outras intervenções (administradas isoladamente ou em combinação com outro tratamento). Os estudos foram realizados em vários países; a idade dos participantes variou entre 12 semanas e 13,4 anos; e a maioria dos estudos incluiu mais meninas do que meninos (23/28). As crianças tinham diferentes tipos de hemangiomas. A duração do seguimento variou entre 7 dias e 72 meses.

A duração do seguimento variou entre 7 dias e 72 meses. Os seguintes resultados foram avaliados 24 semanas após o início do tratamento. Todos os resultados apresentados aqui, que não são resultados de segurança, foram avaliados por um médico (isto é, avaliados pelo médico responsável pelo doente).

Quando comparado com placebo, o propranolol tomado por via oral numa dose de 3 mg/Kg/dia é provavelmente mais benéfico em termos de desaparecimento completo ou quase completo do edema e redução do volume do hemangioma (evidência de qualidade moderada). Não encontrámos evidência de diferença entre os dois grupos em termos de efeitos adversos graves ou outros efeitos adversos a curto ou longo prazo (evidência de baixa qualidade). A maior parte da evidência para esta comparação foi baseada num estudo patrocinado pela indústria.

O gel de maleato de timolol 0,5% aplicado topicamente duas vezes ao dia pode reduzir a vermelhidão como medida de resolução, quando avaliado em comparação com placebo (evidência de baixa qualidade). Eventos cardiovasculares graves de curto ou longo prazo não foram relatados em nenhum dos grupos. Não houve outros dados de segurança para o maleato de timolol em comparação com o placebo (evidência de baixa qualidade). Esta comparação não avaliou a eliminação do edema.

Não houve evidência de diferença entre o propranolol administrado por via oral (via comprimido uma vez ao dia, dose de 1,0 mg/Kg) e maleato de timolol tópico (colírio a 0,5% aplicado duas vezes ao dia) em termos de efeito na redução do tamanho do hemangioma em 50% ou mais (evidência de baixa qualidade). Houve mais efeitos adversos gerais a curto e longo prazo (como diarreia grave, cansaço e diminuição do apetite) com o propranolol, mas estes resultados são incertos porque a evidência é de qualidade muito baixa. Esta comparação não avaliou a eliminação do edema.

A maioria das comparações avaliadas, incluindo aquelas descritas acima, não reportou os seguintes resultados: opinião de melhoria dos pais ou da criança, a proporção de pais ou filhos que consideram que ainda existe um problema e aparência cosmética.

Esta revisão está atualizada?

Foram pesquisados estudos até fevereiro de 2017.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Rute Baeta Baptista. Pediatria Médica; Hospital de Dona Estefânia; Área da Mulher, Criança e Adolescente; Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central. Área Disciplinar Autónoma de Fisiopatologia, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save