Terapia hormonal para mulheres com endometriose e menopausa cirúrgica

Endometriose é conhecida por resultar em sintomas de gravidade variável. Para algumas mulheres a remoção bilateral dos ovários (ooforectomia), com ou sem uma histerectomia pode ser necessária para controle dos sintomas. Isto traz as mulheres à menopausa prematura. Acredita-se que a terapia de reposição hormonal pode aumentar a recorrência da doença, devido ao seu efeito sobre os focos restantes de endometriose na pelve. Apenas dois pequenos controles randomizados foram identificados na literatura considerando esse problema. Pesquisas futuras são necessária para esclarecer o efeito dos diferentes tipos de terapia de reposição hormonal sobre a recorrência da doença e da associação a dor, inclusive durante relação sexual.

Conclusão dos autores: 

Terapia de reposição hormonal em mulheres com endometriose em menopausa pós-cirúrgica pode resultar em dor e recorrência da doença. No entanto, a evidência na literatura não é forte o suficiente para sugerir a privação desse tratamento em pacientes sintomáticas. Há uma necessidade de mais ensaios clínicos randomizados.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A endometriose é caracterizada pela presença de tecido endometrial ectópico que pode levar a muitos sintomas angustiantes e debilitantes. Apesar de estudos disponíveis suportando terapia hormonal padrão em mulheres com endometriose e menopausa cirúrgica, ainda há uma preocupação de que os estrogênios possam induzir a recorrência da doença e seus sintomas

Objetivos: 

Esta revisão visa considerar a dor e recorrência de endometriose em mulheres que usaram terapia hormonal na pós-menopausa cirúrgica.

Estratégia de busca: 

Pesquisamos em Cochrane Menstrual Disorders and Subfertility Group Specialized Register (Março de 2008), Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (The Cochrane Library 2008, Volume 3), MEDLINE (1966 até Março de 2008), EMBASE (1980 até Março de 2008), e listas de referências de artigos. Foi realizada busca manual por revistas relevantes e anais de congressos.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos randomizados estudando terapia hormonal para mulheres com endometriose em menopausa pós-cirúrgica.

Coleta dos dados e análises: 

Revisores avaliaram a elegibilidade dos ensaios clínicos e sua qualidade.

Resultados principais: 

Dois estudos preencheram os critérios de inclusão. Um estudo comparou a aplicação transdérmica contínua de 17β-estradiol (0,05 mg/dia), combinado com acetato de medroxiprogesterona cíclico (10 mg por dia) por 12 dias por mês em mulheres com útero intacto, com tibolona contínua (2,5 mg/dia). O segundo estudo utilizou administração sequencial de estrogênio e progesterona com dois adesivos (patches) de 22cm2 aplicados semanalmente para produzir uma liberação controlada de 0,05 mg/dia. Progesterona micronizada foi administrada via oral (200mg/dia) por 14 dias com 16 dias de intervalo livres de tratamento.

Dor e dispareunia
O primeiro ensaio clinico relatou recorrência de dor no braço que utilizou estrogênio e progesterona em 4/10 das mulheres comparada com 1/11 mulheres no braço que utilizou tibolona. Neste último, 4/115 mulheres relataram recorrência da dor no grupo tratado comparado com 0/57 pacientes no braço não-tratamento. Nenhum achado teve diferenças estatísticas.

Confirmação de recorrência ou exacerbação da endometriose
Este desfecho não foi relatado no primeiro ensaio clinico. O segundo encontrou que 2/115 do grupo tratado desenvolveram recorrência da endometriose, com nenhuma recorrência relata no grupo não tratado. Isto não foi estatisticamente significante. Nenhuma mulher foi reoperada no grupo sem tratamento, comparado a 2/115 mulheres no grupo de tratamento.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Lucia alves S Lara, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save