A analgesia peridural oferece maior alívio da dor e reduz a utilização do tubo traqueal após cirurgias de aorta abdominal quando comparado ao uso sistêmico de drogas baseadas em opióides

Essa tradução não está atualizada. Por favor clique aqui para ver a versão mais recente em inglês desta revisão.

Cirurgias de aorta abdominal (a principal artéria para as pernas) requerem um agressivo tratamento para a dor no pós operatório. A analgesia peridural é a técnica para manejo da dor mais utilizada nesses casos. Esta técnica envolve a injeção de medicamentos para alívio da dor por meio de um cateter (um fino tubo) posicionado no espaço peridural (a parte mais externa do espaço espinhal) ou por meio de opioides sistêmicos (drogas semelhantes a morfina injetadas na circulação sanguínea). O efeito destes dois métodos para o alívio da dor em complicações no pós operatório e em mortes após cirurgias de aorta abdominal ainda não foi estabelecido. Incluímos 15 ensaios clínicos randomizados que envolveram 1297 pacientes (633 pacientes receberam analgesia peridural e 664 receberam analgesia com opióides por via sistêmica) nesta revisão. Encontramos que a analgesia peridural reduziu a duração da intubação traqueal no pós operatório (um tubo flexível de plástico ou borracha que é posicionado diretamente na traquéia) aproximadamente pela metade e garantiu melhor controle da dor por até três dias no pós operatório, independente do local da inserção do cateter peridural ou das medicações utilizadas por esta via. Também observamos que a analgesia peridural reduziu as taxas de infarto do miocárdio; reduziu o tempo de ventilação mecânica, o uso de um aparelho para melhorar a troca de ar entre os pulmões e a atmosfera; reduziu a ocorrência de complicações gastrointestinais e renais. Entretanto, encontramos que não houve alteração da mortalidade. A maioria dos pacientes com analgesia peridural também recebeu anestesia peridural para o procedimento cirúrgico.

Conclusão dos autores: 

A analgesia peridural proporcionou melhor alívio da dor (especialmente durante o movimento) durante o período de até três dias pós operatórios. Reduz a duração da intubação traqueal aproximadamente pela metade no pós operatório. A ocorrência de ventilação mecânica prolongada no pós operatório, infarto miocárdico, complicações gástricas e complicações renais foi reduzida mediante uso de analgesia peridural. Entretanto, a evidência atual não permite confirmar o efeito benéfico da analgesia peridural na mortalidade pós operatória e em outros tipos de complicações.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Analgesia peridural oferece maior alívio da dor quando comparada ao uso de medicações baseadas em opioides sistêmicos, mas seu efeito na morbidade e na mortalidade ainda não é claro. Esta revisão foi publicada originalmente em 2006 e foi atualizada em 2011.

Objetivos: 

Avaliar os benefícios e malefícios da analgesia peridural no pós operatório de pacientes adultos submetidos a cirurgia eletiva de aorta abdominal quando comparado com aqueles que receberam medicações a base de opioides sistêmicos.

Estratégia de busca: 

Realizamos buscas na Cochrane Central Register of Controlled Trial (CENTRAL) (The Cochrane Library 2010, fascículo 11) via Ovid; Ovid MEDLINE(do início até a primeira semana de novembro de 2010); e EMBASE (do início até a primeira semana de novembro de 2010). A busca original foi realizada em 2004. Avaliamos textos em língua não-inglesa e contactamos autores da área. Não buscamos por dados não publicados.

Critérios de seleção: 

Incluímos todos os ensaios clínicos randomizados ou quase-randomizados comparando a analgesia peridural pós operatória e o controle da dor por meio de medicações a base de opiodes sistêmicos em pacientes adultos submetido a cirurgias eletivas abertas de aorta abdominal.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram de maneira independente a qualidade dos ensaios e extraíram seus dados. Contactamos os autores dos estudos para obtenção de informações adicionais.

Resultados principais: 

Incluímos 15 ensaios clínicos que envolveram 1297 pacientes (633 pacientes receberam analgesia peridural e 664 receberam analgesia com opioides por via sistêmica) nesta revisão. Isto inclui um ensaio que encontramos em nossa busca atualizada e um ensaio de nossa revisão original que estava aguardando tradução. O grupo que recebeu analgesia peridural mostrou escores de dor significativamente menores na escala analógica visual (até o terceiro dia pós operatório) independente do sítio do cateter de peridural e da formulação das drogas administradas por esta via. A duração da intubação traqueal e da ventilação mecânica foi significativamente menor, cerca de 48%, no grupo na analgesia peridural. A frequência média de ocorrência de infarto miocárdico, insuficiência respiratória aguda (definida como uma necessidade de maiores períodos em ventilação mecânica), complicações gastrointestinais e complicações renais foram significativamente menores no grupo que recebeu analgesia peridural.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Dailson Mamede Bezerra, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil. Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Share/Save