Intervenções não farmacológicas para emagrecimento a longo prazo para adultos com diabetes mellitus tipo 2

A maioria das pessoas com diabetes tipo 2 apresenta sobrepeso, e a saúde dessas pessoas pode melhorar com a perda de peso. Porém, emagrecer e manter esse peso no longo prazo é muito difícil, particularmente entre os diabéticos. Esta revisão sistemática avaliou o uso de dietas, atividade física e intervenções para mudar o comportamento de pessoas com diabetes e constatou que essas intervenções promoveram uma perda de 1,7 kg no final de um ano ou mais. Porém, o grupo que participou de outras intervenções também perdeu peso e por isso a diferença entre os grupos foi pequena. Os estudos incluídos nesta revisão sistemática não avaliaram os efeitos dessas intervenções sobre a a qualidade de vida dos participantes ou sobre seu risco de morrer.

Conclusão dos autores: 

Estratégias para perda de peso usando intervenções dietéticas, de atividade física ou comportamentais produzem pequenas modificações no peso corporal. Esses resultados foram minimizados pela perda de peso no grupo de comparação. Porém, a análise dos braços individuais de estudos indica que intervenções com múltiplos componentes, incluindo dietas com pouquíssimas calorias ou dietas com poucas calorias, podem ser promissoras para promover a perda de peso em adultos com diabetes tipo 2.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A maioria das pessoas com diabetes tipo 2 apresenta sobrepeso, e a obesidade agrava as alterações metabólicas e fisiológicas associadas ao diabetes.

Objetivos: 

O objetivo desta revisão é avaliar a efetividade das intervenções de estilo de vida e comportamento na perda e no controle de peso para adultos com diabetes tipo 2.

Estratégia de busca: 

Foram feitas buscas informatizadas em diversas bases de dados eletrônicas. Também foram feitas buscas manuais de revistas selecionadas e contatos com especialistas em pesquisas sobre obesidade.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados publicados ou não em qualquer idioma. Os estudos deveriam avaliar estratégias de perda ou controle de peso utilizando intervenções dietéticas, atividade física ou comportamentais, e ter um acompanhamento de pelo menos 12 meses.

Coleta dos dados e análises: 

Os dados foram combinados através de metanálises com modelo de efeito aleatório.

Resultados principais: 

Foram identificados 22 estudos sobre perda de peso com um total 4.659 participantes que foram acompanhados por um período de 1 até 5 anos. A metanálise para perda de peso usando qualquer intervenção, em comparação ao cuidado usual, levou a uma perda de 1,7 kg (intervalo de confiança de 95%, 95% CI, de 0,3 a 3,2 kg, 585 participantes) ou 3,1% do peso corporal inicial entre 517 indivíduos. As outras comparações importantes não demonstraram resultados significativos: entre 126 pessoas submetidas a intervenções de atividade física e comportamental, aqueles que também seguiram uma dieta de muito baixa caloria perderam em médica 3 kg mais (95% CI = -0,5 a 6,4) ou 1,6% do peso corporal inicial mais do que as pessoas que seguiram uma dieta de baixa caloria. Entre as 53 pessoas que receberam intervenções idênticas na dieta e no aspecto comportamental, aqueles que receberam intervenções com atividade física mais intensa perderam 3,9 kg a mais (95% CI = -1,9 a 9,7), ou 3,6% do peso corporal inicial a mais do que aqueles submetidos a intervenção com atividade física menos intensa ou nenhuma atividade física. A perda de peso nos grupos controles frequentemente foi alta (até 10 kg) e isso reduziu as diferenças entre os grupos. Como as mudanças nos níveis de hemoglobina glicada geralmente refletem as mudanças no peso, não houve diferenças significativas nesses valores entre os grupos. Os estudos não apresentaram dados sobre a qualidade de vida dos participantes ou sobre mortalidade.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil realizada em 31/05/2013 (Arnaldo Alves da Silva).

Tools
Information
Share/Save