Fibras dietéticas para prevenção de adenomas e carcinomas colorretal

Essa tradução não está atualizada. Por favor clique aqui para ver a versão mais recente em inglês desta revisão.

O câncer colorretal (intestino) é comum mundialmente, mas é especialmente prevalente em países industrializados. Genes, dieta e estilo de vida parecem ser importantes no desenvolvimento do câncer de intestino. Diversas comunidades com baixas taxas de câncer de intestino têm uma dieta rica em fibras. Aumentar os níveis de fibras na dieta em países industrializados pode, portanto, ajudar a reduzir a taxa de câncer de intestino. Entretanto, a revisão encontrou que aumentar a ingestão de fibra na dieta ocidental por dois a quatro anos não diminuiu o risco de câncer de intestino. Estudos utilizando tanto ensaios de longo prazo como níveis mais elevados de fibras dietéticas podem ser necessários.

Conclusão dos autores: 

Atualmente, não há evidência a partir de EER que sugerem que o aumento na ingestão de fibras irá reduzir a incidência ou a recorrência de pólipos adenomatosos dentro de um período de dois a quatro anos.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Câncer colorretal (CCR) é a principal causa de morbidade e mortalidade em países industrializados. Evidência experimental tem apoiado a hipótese que as fibras dietéticas podem ser protetoras no desenvolvimento do CCR, embora dados epidemiológicos sejam inconclusivos.

Objetivos: 

Avaliar o efeito das fibras dietéticas na incidência ou recorrência de adenomas colorretais, na incidência de CRC e no desenvolvimento de efeitos adversos.

Estratégia de busca: 

Identificamos ensaios clínicos randomizados controlados a partir de Medline, Embase e Cochrane Controlled Trials Register até Outubro de 2001.

Critérios de seleção: 

Foram acessados ensaio clínicos controlados randomizados e quase-randomizados. A população incluía todos os indivíduos que tiveram pólipos adenomatosos, mas sem história prévia de câncer colorretal (CCR), documentação de "cólon limpo" de base e visualização repetida de cólon/reto após pelo menos dois anos de seguimento. Fibra dietética foi a intervenção. Os resultados primários foram o número de indivíduos com: a) pelo menos um adenoma, b) mais de um adenoma, c) pelo menos um adenoma maior ou igual a 1cm ou d) um diagnóstico novo de CCR. O resultado secundário foi o número de efeitos adversos.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores independentes extraíram dados, avaliaram a qualidade dos ensaios clínicos e resolveram discrepâncias por consenso. Os resultados foram relatados como risco relativo (RR) e diferença de risco (DR) com intervalo de confiança (IC) de 95% Se a diferença estatística fosse alcançada, o número necessário para tratar (NNT) ou para dano (NND) era relatado. Os dados do estudo foram combinados com o modelo de efeitos fixos, se eram clinicamente, metodológicamente e estatísticamente razoáveis.

Resultados principais: 

Cinco estudos com 4394 indivíduos preencheram os critérios de inclusão. As intervenções foram fibra de farelo de trigo, casca de psyllium ou uma intervenção dietética abrangente com alimentos integrais ricos em fibra, isolados ou em combinação. Quando os dados foram comparados não houve diferença entre o grupo intervenção e o controle para o número de indivíduos com pelo menos um adenoma [RR 1,04 (95% CI 0,95;1,13); RD 0,01 (95% CI 0,02;0,04)]. Bem como, os resultados combinados para o número de indivíduos com mais de uma adenoma [RR 1,02 (95% CI 0,89;1,17), RD 0,00 (- 0,002;003)] ou com pelo menos um adenoma maior ou igual a 1,0cm [RR 0,94 (95% IC 0,77; 1,15) , RD 0,01 (-0,02;0,01)] não foram estatisticamente significante. Outros resultados primários e secundários e sub-análises pelo tipo de fibra não foram estatisticamente ou clinicamente significantes.

Notas de tradução: 

Traduzido por: RodrigoDias, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Share/Save