Antibióticos comparadas com ausência de tratamento ou placebo para o tratamento da retinocoroidite a toxoplasmose

Pergunta de revisão
Os antibióticos são tratamento eficaz para o tratamento da retinocoroidite a toxoplasmose?

Introdução
A retinocoroidite a toxoplasmose ocorre quando um parasita denominado Toxoplasma gondii tem acesso à retina (a porção interior e sensível à luz do olho) e à coroideia (camada do olho próxima da retina). Isto causa inflamação que pode cicatrizar a retina e reduzir a visão. Os sintomas incluem um desconforto súbito no olho e perda de visão, o que geralmente resolve de forma espontânea em 6-8 semanas. A infecção pode recorrer, aumentando as probabilidades de dano à retina. Os antibióticos são muitas vezes usados para reduzir a inflamação e cicatrização ou para prevenir a recorrência da infecção, mas a forma como actuam é incerta.

Características do estudos
Encontrámos quatro estudos com um total de 268 participantes. Estes estudos foram realizados no Brasil, Reino Unido e nos Estados Unidos da América. A evidência encontrada foi até 22 de Fevereiro de 2016.

Resultados-chave
Apenas um dos quatro estudos comparou os efeitos do tratamento antibiótico durante 12 meses com placebo na acuidade visual e encontrou alterações semelhantes nos dois grupos. Três estudos examinaram os efeitos de antibióticos na redução do número de recorrência na doença. Dois dos três estudos foram realizados no Brasil em adultos infectados com estirpes Sul Americanas mais agressivas, que podem causar recorrências oculares frequentes. Os estudos provenientes do Brasil concluíram que antibióticos a longo prazo ao longo de 14 e 12 meses, respectivamente, reduzem o número de recorrências de episódios de retinocoroidite. O outro estudo não conclui que tratamento a curto prazo (8 semanas) com antibióticos faça alguma diferença. Dois estudos concluíram uma melhoria na inflamação intra-ocular em doentes tratados com antibióticos em comparação com os não tratados, e um estudo não encontrou diferenças. Dois estudos investigaram os efeitos adversos de dar antibióticos, tais como diminuição de leucócitos, perda de apetite, rash cutâneo e outras reações alérgicas e encontraram apenas evidência fraca de que os antibióticos aumentem o risco de efeitos adversos.

Qualidade da evidência

Encontrámos problemas com o desenho, realização e análise de todos os estudos, o que pode causar viés nos resultados obtidos. Houve falta de evidência se os antibióticos (a curto ou longo prazo) impedem a perda visual. São necessários mais ensaios, incluindo ensaios de novos antibióticos.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Inês Leal, Serviço de Oftalmologia, Centro Hospitalar Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save