Medicamentos hipoglicemiantes para tratar diabetes e doença renal crónica

Qual é o problema?
A diabetes é a causa mais comum de doença renal crónica (DRC). Devido à deterioração da função renal e a alterações na clearance de medicamentos e glicose, o tratamento de pessoas com diabetes e DRC é desafiante. Há um risco aumentado de hipoglicémia (açúcar baixo no sangue). No entanto, a maioria dos medicamentos hipoglicemiantes foram estudados em pessoas com função renal praticamente normal. O objetivo desta revisão é determinar a eficácia e segurança de medicamentos hipoglicemiantes em pessoas com diabetes e DRC.

O que realizámos?
Avaliámos estudos comparando diferentes medicamentos entre si ou com ausência de medicação em pessoas com diabetes e DRC.

O que detetámos?

Incluímos 44 estudos envolvendo 13036 pessoas. A maioria dos estudos compararam diferentes tipos de medicação – inibidores do cotransportador sódio-glicose 2 (SGLT2), inibidores da dipeptidil peptidase 4 (DPP-4), agonistas do peptídeo semelhante a glucagon 1 (GLP-1), e glitazonas com ausência de tratamento. Dois estudos compararam os medicamentos sitagliptina e glipizida.

Os inibidores SGLT2 provavelmente reduzem a glicose, pressão arterial, insuficiência cardíaca e hipercaliémia mas aumentam as infeções genitais e reduzem ligeiramente a função renal. Os inibidores SGLT2 poderão reduzir o peso. O seu efeito no risco de morte, hipoglicémia, lesão renal aguda, infeção do trato urinário, doença renal crónica estádio 5, redução do volume sanguíneo, fraturas ósseas e cetoacidose diabética é incerto.

Os inibidores DPP-4 poderão reduzir os níveis de glicémia. O seu efeito no risco de morte devido a enfarte agudo do miocárdio e acidentes vasculares cerebrais, insuficiência cardíaca, infeções do trato respiratório superior, problemas hepáticos, função renal, hipoglicémia, pancreatite e cancro do pâncreas é incerto.

Os agonistas GLP-1 provavelmente reduzem os níveis de glicémia e poderão reduzir o peso. O seu efeito na função renal, hipoglicémia, sintomas gastrintestinais e risco de pancreatite é incerto.

Comparativamente à glipizida, a sitagliptina tem provavelmente um risco reduzido de hipoglicémia.

Não foi possível tirar conclusões em relação a outros medicamentos hipoglicemiantes comparativamente a outros medicamentos ou ausência de tratamento devido à falta de estudos.

Conclusões

A evidência relativamente à eficácia e segurança dos medicamentos hipoglicemiantes para pessoas com diabetes e DRC é limitada. Os inibidores SGLT2 e os agonistas GLP-1 são provavelmente eficazes a reduzir a glicémia. Outros efeitos potenciais dos inibidores SGLT2 incluem a redução da pressão arterial, dos níveis de potássio e do risco de insuficiência cardíaca, mas um aumento do risco de infeções genitais. A segurança dos agonistas GLP-1 é incerta.

Os benefícios e segurança de outras classes de medicamentos hipoglicemiantes são incertos.

São necessários mais estudos para ajudar a determinar quais os medicamentos hipoglicemiantes mais apropriados em doentes com diabetes e DRC.

Notas de tradução: 

Tradução por Miguel Bigotte Vieira, Serviço de Nefrologia, Hospital Curry Cabral, Centro Hospitalar Universitário de Lisboa Central, com o apoio da Cochrane Portugal

Tools
Information
Share/Save