Suporte na alimentação de adultos hospitalizados em risco de desnutrição

Pergunta de revisão

Investigámos os benefícios e malefícios do apoio para adultos hospitalizados em risco de desnutrição, com base em métodos diferentes, que vão desde o formalmente validados 'de acordo com o parecer' dos investigadores experimentais de alimentação.

Contexto

Quando as pessoas desnutridas são admitidos ao hospital podem ter um risco aumentado de morte ou são mais propensos a sofrer uma complicação séria. O suporte de alimentação pode ajudá-los, apesar da desnutrido poder estar associada com uma doença grave subjacente. Neste caso, as intervenções específicas que visam melhorar o seu estado nutricional não ajudariam, como não seria o estado nutricional pobre em si que causou o aumento do risco de morte ou de sofrer um dano grave.

Data de pesquisa: fevereiro de 2016.

Características dos estudos

Foram incluídos 244 ensaios, com 28.619 participantes. Os ensaios incluídos avaliaram os efeitos de diferentes tipos de suporte nutricional (ou seja conselhos dietéticos, enriquecimento regular de alimentos com proteína extra e calorias, suplementos de proteína e alimentação através de um cateter diretamente na veia ou através de um tubo de alimentação diretamente no estômago ou intestino). O suporte nutricional foi prestado a pessoas que estavam doentes, sendo que tinham vários tipos de doenças e que iriam ser submetidos a procedimentos diferentes. O que todos tinham em comum era estarem em risco em pelo menos uma medida, incluindo a opinião dos investigadores.

Principais resultados

Não encontramos nenhuma evidência de uma diferença entre o grupo de suporte nutricional e o grupo de controlo em termos de risco de morte. No grupo de controlo 8,3% das pessoas morreram a curto prazo, quando comparado com 7,8% no grupo com apoio nutricional (baixa qualidade de evidência). No ponto temporal mais completo 13,2% das pessoas no grupo controlo morreram, comparado com 12,2% no grupo de suporte nutricional (baixa qualidade de evidência). Não encontramos evidência de uma diferença entre o suporte nutricional e controlo em relação ao risco de complicações sérias a curto prazo. As pessoas nos grupos de controlo tinham uma taxa de complicação grave de 9,9% no seguimento a curto prazo em comparação com 9,2% no grupo de suporte nutricional (baixa qualidade de evidência). No seguimento a longo prazo 15,2% das pessoas no grupo de controlo tinham uma complicação séria em comparação com 13,8% nos grupos de suporte nutricional (baixa qualidade de evidência). Estes resultados baseiam-se em pouco mais de 21.000 participantes. O suporte nutricional pode aumentar o peso em cerca de 1,32 kg em comparação com as pessoas em grupos de controlo. O benefício associado a um aumento de peso de 1,32 kg é incerto. Nós não confiável poderia avaliar os efeitos na qualidade de vida, devido à variação no relato desta informação. Quando olhámos para os diferentes tipos de suporte nutricional, uma análise secundária sugeriu que a alimentação por sonda pode ser benéfica, reduzindo complicações sérias no seguimento máximo, mas a força deste achado é fraco.

Qualidade da evidência

A evidência para estas conclusões é de baixa qualidade em relação ao risco de complicações graves e morte. A evidência é de muito baixa qualidade em relação ao efeito no peso. Todos os ensaios tinham um alto risco de viés (ou seja, os ensaios foram todos conduzidos de uma forma que pode sobre-estimar os benefícios e sub-estimar os danos de suporte nutricional). Os resultados eram consistentes em relação a complicações graves e morte, mas havia uma grande variação nos efeitos sobre o peso.

Notas de tradução: 

Tradução por: Gonçalo S Duarte, Laboratório de Farmacologia Clínica e Terapêutica, Faculdade de Medicina, Universidade de Lisboa, com o apoio da Cochrane Portugal

Tools
Information
Share/Save