Fluidos para hidratação em crianças

Introdução

Muitas crianças no hospital precisam de fluido através de uma linha intravenosa (ou "gotas") porque eles não podem comer ou beber o suficiente e eles precisam se manter hidratados. Este líquido pode causar efeitos secundários raros, mas graves, devido ao nível diminuído de sal no corpo. Quando o nível de sal no corpo diminui rapidamente edema cerebral pode ocorrer, o que pode resultar em morte.

Houve incerteza sobre quanto sal o fluido intravenoso deve conter.

Pergunta da revisão

Tradicionalmente, os fluidos contendo níveis de sal mais baixos do que no sangue (hipotônico) tem sido administrados. Esta análise comparou esses fluidos com fluido contendo um nível de sal semelhante ao sangue (isotônico). Nosso objetivo foi determinar quantos pacientes tinham níveis de sal baixos no sangue quando um fluido isotônico foi utilizado comparado com um fluido hipotônico.

Resultados chave

Estudos realizados antes de 17 de Junho de 2013 foram revisados. Foram incluídos 10 estudos na análise, envolvendo um total de 1106 crianças. Quando foram usados fluidos isotônicos, o nível de sódio no corpo foi menos susceptível de ser reduzido. Cento e sessenta e nove crianças por 1000 tinham baixos níveis de sódio no sangue quando um fluido isotônico foi dado, em comparação com 338 crianças em 1000, quando foi utilizado um fluido hipotônico. Os resultados para eventos adversos graves associados com fluidos isotônicos ou hipotônicos foram incertos.

Esta revisão observou pacientes que ou tiveram cirurgia e/ou estavam em cuidados intensivos, com a maioria necessitando apenas de fluidos intravenosos para menos de um dia.

Qualidade das evidências

Os estudos incluídos foram geralmente bem conduzidos e de alta qualidade.

Conclusão dos autores: 

Fluidos de manutenção intravenosos isotônicos com concentrações de sódio semelhantes a do plasma reduzem o risco de hiponatremia quando comparados com fluidos intravenosos hipotônicos. Estes resultados se aplicam para as primeiras 24 horas após a administração em um grande grupo de pacientes pediátricos, principalmente cirúrgicos com diferentes gravidades de doença.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Fluidos intravenosos de manutenção são usados frequentemente em crianças hospitalizadas que não podem manter a hidratação adequada através da ingestão enteral. Fluidos hipotônicos tradicionalmente utilizados têm sido associados com hiponatremia e subsequente morbidade e mortalidade. Uso de fluido isotérico tem sido proposto para reduzir complicações.

Objetivos: 

Estabelecer e comparar o risco de hiponatremia por estudos de revisão sistemática onde fluido intravenoso isotônico é comparado com hipotônico para fins de manutenção em crianças.

Em segundo lugar, comparar o risco de hiponatremia, o efeito na concentração sérica de sódio média e a taxa de efeitos adversos atribuíveis de ambos os tipos de fluidos em crianças.

Estratégia de busca: 

Corremos a busca em 17 de Junho de 2013. Buscamos no Cochrane Injuries Group Specialised Register, Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL, The Cochrane Library), MEDLINE (OvidSP), Embase (OvidSP), e ISI Web of Science. Nós também buscamos os registros dos ensaios clínicos e listas das referências selecionadas. Atualizamos esta busca em Outubro de 2014, mas estes resultados ainda não foram incorporadas.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos controlados randomizados que compararam fluidos intravenosos isotônicos viruçus hipotônicos para hidratação de manutenção em crianças.

Coleta dos dados e análises: 

Pelo menos dois autores avaliaram e extraíram os dados para cada ensaios clínico. Nós apresentamos resultados dicotômicos como razão de risco (RR) com intervalo de confiança de 95% (IC) e resultados contínuos como as diferenças das médias com IC de 95%.

Resultados principais: 

Dez estudos preencheram os critérios de inclusão, com um total de 1106 pacientes. A maioria dos estudos foi realizado em populações cirúrgicas ou em cuidado intensivos (ou ambos). Houve uma variação considerável na composição dos fluidos intravenosos, particularmente do fluido hipotônico, utilizados nos estudos. Houve um baixo risco de viés para a maioria dos estudos incluídos. Dez estudos forneceram dados para o nosso desfecho primário, um total de 449 pacientes na análise recebeu fluido isotônico, enquanto 521 receberam fluido hipotônico. Aqueles que receberam fluido isotônico tiveram um risco substancialmente menor de hiponatremia (17% versus 34%; RR 0,48; IC 95% 0,38 a 0,60, evidência de alta qualidade). Não é claro se há um aumento do risco de hipernatremia quando os fluidos isotônicos são usados (4% contra 3%; RR de 1,24; IC 95% 0,65 a 2,38, nove estudos, 937 participantes, evidência de baixa qualidade), embora o número absoluto de pacientes que desenvolveram hipernatremia foi baixo. A maioria dos estudos tinham restrições de segurança incluídos na sua metodologia, impedindo investigação detalhada de eventos adversos graves.

Notas de tradução: 

Tradução CD009457. Traduzido por: Joyce Mendes Soares, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil. Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save