Efeito de intervenções para melhorar a qualidade e o fornecimento da água, saneamento, e lavagem das mãos, no crescimento físico das crianças

Em países de baixa renda, cerca de 165 milhões crianças menores de cinco anos sofrem de desnutrição crônica, o que as leva a serem baixas; e 52 milhões de crianças sofrem de desnutrição aguda, o que as leva a serem extremamente magras. A falta de crescimento nos primeiros anos de vida aumenta os riscos de doença e morte na infância. As duas principais causas de desnutrição na infância são a falta de ingestão de alimentos, e as doenças infecciosas, como a diarreia. Intervenções para garantir o fornecimento de água, saneamento, e higiene, são frequentemente implementadas para reduzir doenças infecciosas. Esta revisão avaliou o efeito dessas intervenções sobre o estado nutricional das crianças. A revisão incluiu evidências provenientes de estudos randomizados e não-randomizados que testaram (i) intervenções para melhorar a qualidade microbiológica da água potável ou proteger a qualidade microbiológica da água antes do consumo; (ii) novas ou melhores formas de abastecimento ou distribuição de água (iii) a introdução ou ampliação da cobertura e utilização de instalações destinadas a melhorar o saneamento; ou (iv) intervenções para promover a lavagem das mãos com sabão após a defecação e a limpeza de fezes de criança, ou antes da preparação e manipulação de alimentos, ou ainda uma combinação destas intervenções, em crianças com menos de 18 anos.

Encontramos 14 estudos que testaram essas intervenções em 22.241 crianças. Esses estudos relataram os resultados dessas intervenções sobre o estado nutricional de 9469 crianças. As meta-análises (combinação dos resultados) dos estudos tipo cluster sugerem que as intervenções relacionadas à água, saneamento, e higiene trazem uma pequena melhora no crescimento das crianças menores de cinco anos. Apesar de ser potencialmente importante, esta conclusão deve ser vista com cautela pois é baseada em estudos que fizeram um seguimento relativamente curto das crianças. Além disso, nenhum dos estudos era de alta qualidade metodológica. Vários grandes estudos estão atualmente em andamento em países de baixa renda. Esses estudos deverão fornecer evidências para ratificar esses achados.

Conclusão dos autores: 

Uma meta-análise de dados de ensaios clínicos tipo cluster sugere que as intervenções de abastecimento e purificação de água, saneamento, e higiene, (especificamente desinfecção solar da água, fornecimento de sabão, e melhoria da qualidade da água) com duração de 9 a 12 meses têm um pequeno efeito sobre a altura de crianças menores de cinco anos. A duração dos estudos foi relativamente curta e nenhum dos estudos incluídos é de alta qualidade metodológica. Poucos estudos forneceram informações sobre custos, perda de participantes, e aderência às intervenções. Existem vários grandes estudos em andamento em países de baixa renda que deverão fornecer evidências para ratificar esses achados.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Intervenções envolvendo fornecimento de água, saneamento, e higiene, são frequentemente implementadas para reduzir doenças infecto-contagiosas e podem estar associadas com melhora nutricional das crianças.

Objetivos: 

Avaliar o efeito de intervenções para melhorar o abastecimento e a qualidade da água (quantidade adequada para práticas de higiene), saneamento, e para promover a lavagem das mãos com sabão, sobre o estado nutricional de crianças menores de 18 anos, e para identificar lacunas na literatura recente.

Estratégia de busca: 

Em junho de 2012 fizemos buscas em 10 bases de dados de língua inglesa (incluindo MEDLINE e CENTRAL) e três bases de dados de estudos em chinês. Também fizemos buscas em bases de dados de literatura cinzenta, em anais de conferências, e em sites. Avaliamos as listas de referências e contatamos especialistas e autores.

Critérios de seleção: 

Incluímos ensaios clínicos randomizados (ECR), inclusive estudos tipo cluster, ensaios clínicos quase-randomizados e não randomizados, coortes controladas, estudos transversais e estudos com controles históricos, que compararam intervenções envolvendo o fornecimento de água, saneamento e higiene em crianças menores de 18 anos.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores, trabalhando de forma independente, buscaram e extraíram dados antropométricos de crianças, medidas bioquímicas de micronutrientes, assim como aderência, atrito e custos. Esses dados foram obtidos de estudos publicados e também por meio de contatos com os autores dos estudos. Calculamos as diferenças médias (MD) e os intervalos de confiança (IC) de 95%. Para os ECRs, fizemos meta-análises dos estudos, e dos dados dos participantes individuais, para avaliar as estimativas de efeito das intervenções.

Resultados principais: 

Encontramos 14 estudos (5 ensaios clínicos tipo cluster, e 9 estudos não-randomizados com grupos de comparação) realizados em 10 países de baixa e média renda, envolvendo 22.241 crianças. Esses estudos traziam dados nutricionais relevantes de 9469 crianças. A duração dos estudos era de 6 até 60 meses e todos os estudos incluíram crianças menores de cinco anos no momento da intervenção. Os estudos testaram intervenções envolvendo o abastecimento de água, saneamento, e higiene, de forma isolada ou combinada. Os 14 estudos avaliaram medidas antropométricas das crianças. Nove estudos avaliaram pelo menos um dos seguintes índices antropométricos: peso para a altura, peso para a idade, ou altura para a idade. Nenhum dos estudos incluídos era de alta qualidade metodológica ou cegou os participantes quanto à natureza da intervenção.

Cinco estudos tipo cluster apresentaram os escores z do peso para a idade, peso para a altura e a altura para a idade. Esses estudos tinham uma duração de 9 até 12 meses. Uma meta-análise (4627 crianças) não mostrou evidência de efeito das intervenções envolvendo abastecimento de água, saneamento, e higiene, sobre os escores z de peso para a idade (DM 0,05, IC 95% -0,01 a 0,12). Uma meta-análise (4622 crianças) não mostrou evidência de efeito das intervenções envolvendo abastecimento de água, saneamento, e higiene, sobre os escores z de peso para a altura (DM 0,02, IC 95%-0,07 a 0,11). Uma meta-análise (4627 crianças) mostrou que as intervenções envolvendo abastecimento de água, saneamento, e higiene, tiveram um efeito limítrofe sobre os escores z de altura para a idade (DM 0,08, IC 95% 0,00 a 0,16). Esses resultados foram comprovados por análise de dados individuais dos participantes, incluindo informações sobre 5375 até 5386 crianças de cinco ensaios clínicos tipo cluster.

Nenhum estudo relatou efeitos adversos. Apenas dois estudos (ambos tipo cluster) avaliaram a aderência dos participantes às intervenções. A aderência variou entre < 35% (baixa) até > 90% (alta). Sete estudos apresentaram dados sobre perda de participantes. As perdas variaram entre 4% e 16,5%. Um estudo apresentou dados sobre os custos da intervenção. O custo das intervenções de abastecimento de água, saneamento, e higiene, foi de 15 dólares americanos por habitante. Nenhum dos estudos avaliou diferenças do impacto das intervenções sobre aspectos de equidade como gênero, status socioeconômico e religião.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane South Africa e Cochrane Africa em parceria com o Cochrane Brazil (Mateus de Faria e Maria Regina Torloni). Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save