NBI (imagem de banda estreita) não é melhor que a colonoscopia convencional com luz branca para detecção de pacientes com pólipos colorretais.

O câncer de cólon é o terceiro tipo mais comum de câncer no mundo. Sugere-se que os pólipos colorretais sejam os precursores dos cânceres colorretais. Consequentemente, a detecção precoce e a remoção de pólipos colorretais é importante na prevenção secundária do câncer colorretal. O número de ensaios clínicos comparando a colonoscopia com Narrow Band Imaging - imagem de banda estreita (uma técnica endoscópica de alta resolução que aprimora a estrutura fina da superfície da mucosa) com colonoscopia de luz branca para detecção de pólipos colorretais reportaram resultados variáveis.

Esta revisão analisou o papel da colonoscopia com NBI (imagem de banda estreita) comparada com a colonoscopia luz branca para a detecção de pólipos colorretais. No total, oito ensaios clínicos randomizados com 3.673 participantes foram capazes de fornecer dados para as nossas análises. A colonoscopia com NBI (imagem de banda estreita) não foi melhor que a colonoscopia com luz branca de alta definição para a detecção de pacientes com pólipos colorretais. Encontramos evidências fracas de que a colonoscopia com NBI (imagem de banda estreita) seria melhor que a colonoscopia com luz branca convencional para a detecção de pólipos colorretais.

Conclusão dos autores: 

Nós não conseguimos encontrar evidências convincentes de que a NBI é significativamente melhor do que a luz branca de alta definição para a detecção de pólipos ou de adenomas colorretais. Encontramos evidências de que a NBI pode ser melhor do que a luz branca de definição padrão e igual à luz branca de alta definição para a detecção dos pacientes com pólipos ou adenomas colorretais.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Tem sido sugerido que a colonoscopia com NBI (imagem de banda estreita) pode ser melhor para a detecção de pólipos colorretais do que a colonoscopia com luz branca.

Objetivos: 

Comparar a colonoscopia convencional ou de alta definição com luz branca com a colonoscopia com NBI (imagem de banda estreita) para a detecção de pólipos colorretais.

Estratégia de busca: 

Foram buscados o The Cochrane Library, MEDLINE, e EMBASE até Agosto de 2011. Digitalizamos bibliografias de publicações relevantes e escrevemos a especialistas para testes adicionais.

Critérios de seleção: 

Dois autores (NA e GB) aplicaram independentemente os critérios de inclusão e extraíram os dados para todos os estudos de potencial sem cegá-los.

Coleta dos dados e análises: 

Autores extraíram os dados independentemente. Ensaios clíncios com randomização adequada, alocação sigilosa e completa comunicação de resultado, bem como relatórios sem resultado seletivo ou outro viés foram classificados como tendo um baixo risco de viés. Metanálises de efeito aleatório e fixo foram realizadas.

Resultados principais: 

Foram identificados 11 ensaios clínicos randomizados que comparam a NBI com a colonoscopia com luz branca para a detecção de pólipos colorretais. No total, oito ensaios clínicos randomizados com 3.673 participantes forneceram dados para a nossa análise. Não houve diferença estatisticamente significante entre a colonoscopia com luz branca (padrão ou de alta definição) e NBI para a detecção de pacientes com pólipos colorretais (6 ensaios, n = 2.832, RR 0,97, IC 95% 0,91 a 1,04), pacientes com adenoma colorretal (8 ensaios, n = 3.673, RR 0,94, IC 95% 0,87 a 1,02), ou pacientes com pólipos hiperplásicos (2 ensaios, n = 645, RR 0,87, IC 95% 0,76 a 1,00). O número de pacientes com pelo um adenoma colorretal não foi significativamente diferente entre o grupo colonoscopia com luz branca e o do NBI, a despeito do tamanho do adenoma (< 5 mm: RR 0.95, IC 95% 0.84 a 1.08, I2 = 56%; 6 a 9 mm: RR 1,06, IC 95% 0,81 a 1,39, I2=0%; ≥ 10 mm: RR 1,06, IC 95% 0,77 a 1,45, I2 = 0%). O número de pacientes com pelo menos um pólipo ou adenoma colorretal foi significativamente mais baixo do grupo da luz branca de definição padrão comparado ao grupo do NBI em metanálises com modelo de efeito fixo (RR 0,87, IC 95% 0,78 a 0,97, I2 = 78%; RR 0,87, IC 95% 0,77 a 0,99, I2 = 0%, respectivamente), mas não significativamente diferente em metanálises com modelo de efeito aleatório (RR 0,86, IC 95% 0,68 a 1,10, I2 = 78%). Não houve diferença estatísticamente significante entre a luz branca de alta definição e o NBI no número de pacientes com pelo menos um pólipo colorretal ou adenoma (RR 1,10, IC 95% 0,95 a 1,28; RR 0,87, IC 95% 0,77 a 0,99, I2 = 0%, respectivamente).

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD008361.pub2. Rodrigo Dias

Tools
Information
Share/Save