Amiodarona na prevenção da morte súbita cardíaca

Contexto

Atualmente, a morte súbita cardíaca é uma importante causa de mortalidade. Pessoas consideradas de alto risco, que são principalmente aquelas com alguma doença do coração, podem morrer inesperadamente de uma causa cardíaca como arritmia (um batimento cardíaco irregular). A opção de tratamento consiste de um dispositivo chamado cardioversor desfibrilador implantável, mas essa opção não está amplamente disponível em países de baixa e média renda. A amiodarona é um medicamento antiarrítmico que poderia reduzir a ocorrência desses eventos e, assim, ser uma alternativa em situações em que um cardioversor desfibrilador implantável não esteja disponível.

Características dos estudos

Nós utilizamos bancos de dados científicos para pesquisar ensaios clínicos que comparassem os efeitos da amiodarona com outros antiarrítmicos ou com placebo sobre a morte súbita cardíaca, a mortalidade, e os efeitos nocivos. Nós incluímos participantes adultos de alto risco ou que haviam apresentado anteriormente uma parada cardíaca, que é um mal funcionamento grave do coração que causa arritmia. As evidências estão atualizadas até Março de 2015.

Resultados principais

Nós encontramos 24 estudos envolvendo 9.997 participantes. As evidências demonstraram que a amiodarona, quando comparada ao placebo, pode prevenir a morte súbita cardíaca ou a mortalidade em participantes de alto risco. A amiodarona também é provavelmente melhor que outros antiarrítmicos.

Por outro lado, o efeito da amiodarona em participantes que já sofreram uma parada cardíaca é incerto, e não se sabe se o medicamento aumenta ou diminui o risco de um novo episódio de parada cardíaca ou de morte.

Além disso, a amiodarona pode causar efeitos adversos pulmonares e tireoidianos mais graves quando comparada ao placebo ou a outros antiarrítmicos.

Qualidade das evidências

A qualidade geral das evidências geradas por esses estudos foi baixa.

Conclusão dos autores: 

Evidências de qualidade baixa a moderada demonstram que, em comparação ao placebo, a amiodarona reduz o risco de morte súbita cardíaca, a morte por causas cardíacas e a mortalidade por todas as causas, e seu efeito é superior a outros antiarrítmicos.

O efeito da amiodarona na prevenção secundária, reduzindo ou aumentando o risco de morte súbita cardíaca e a mortalidade, é incerto porque a qualidade das evidências é muito baixa.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A morte súbita cardíaca é uma das principais causas de morte por cardiopatias. Existem duas formas de prevenir a morte súbita cardíaca: controle dos fatores de risco cardiovasculares e redução do risco de arritmias ventriculares. A terapia padrão para a prevenção primária e secundária é o cardioversor desfibrilador implantável. No entanto, os cardioversores desfibriladores implantáveis não estão amplamente disponíveis em locais menos favorecidos economicamente. O medicamento antiarrítmico amiodarona foi proposto como uma alternativa ao implante de desfibriladores ou cardioversores cardíacos.

Objetivos: 

Avaliar a efetividade da amiodarona para a prevenção primária e secundária da morte súbita cardíaca em comparação com placebo ou nenhuma intervenção, ou outro medicamento antiarrítmico. A avaliação de efetividade foi realizada em pacientes de alto risco (prevenção primária), pacientes que haviam se recuperado de uma parada cardíaca, ou pacientes que haviam se recuperado de uma síncope devido a uma taquicardia ventricular/fibrilação ventricular (prevenção secundária).

Estratégia de busca: 

Nós buscamos a Cochrane Central Register of Controlled Trials, CENTRAL (Registro Central de Ensaios Clínicos da Cochane), MEDLINE (OVID), EMBASE (OVID), CINAHL (EBSCO) e LILACS. As buscas foram realizadas em 26 de março de 2015. Nós revisamos a lista de referências dos estudos incluídos e de revisões selecionadas sobre o tópico, contatamos autores de estudos incluídos, revisamos conferências relevantes e buscamos registros de ensaios clínicos em andamento. Nós não utilizamos nenhum filtro para idiomas.

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos randomizados ou quase-randomizados que avaliaram a eficácia de amiodarona versus placebo ou outro antiarrítmico em adultos. Nós consideramos pacientes de alto risco para morte súbita cardíaca para avaliar a prevenção primária. Nós consideramos participantes que haviam se recuperado de uma parada cardíaca ou de uma síncope devido a arritmias ventriculares para avaliar a prevenção secundária.

Coleta dos dados e análises: 

A inclusão dos estudos e a extração de dados foram realizadas por dois autores, de forma independente. Nós contatamos os autores dos estudos em caso de haver dados incompletos. Nós realizamos meta-análises utilizando o modelo de efeitos aleatórios. Nós calculamos o risco relativo (RR) com intervalo de confiança (IC) de 95% para os dados dicotômicos. Três dos estudos incluídos contemplaram mais de uma comparação.

Resultados principais: 

Nós incluímos 24 estudos (9.997 participantes). Dezoito estudos avaliaram a amiodarona para a prevenção primária, e seis, para a prevenção secundária. Somente três estudos compararam um cardioversor desfibrilador implantável com a amiodarona, e todos eles para prevenção secundária.

Na prevenção primária, a amiodarona reduziu a morte súbita cardíaca (RR 0,76; IC 95% 0,66 a 0,88), a mortalidade por causas cardíacas (RR 0,86; IC 95% 0,77 a 0,96) e a mortalidade por todas as causas (RR 0,88; IC 95% 0,78 a 1,00) quando comparada com placebo ou nenhuma intervenção (17 estudos, 8.383 participantes). A qualidade das evidências foi baixa.

Em comparação a outros antiarrítmicos (três estudos, 540 participantes), a amiodarona reduziu a morte súbita cardíaca (RR 0,44; IC 95% 0,19 a 1,00), a mortalidade por causas cardíacas (RR 0,41; IC 95% 0,20 a 0,86) e a mortalidade por todas as causas (RR 0,37; IC 95% 0,18 a 0,76). A qualidade das evidências foi moderada.

Na prevenção secundária, a amiodarona reduziu o risco de morte súbita cardíaca (RR 4,32; IC 95% 0,87 a 21,49) e a mortalidade por todas as causas (RR 3,05; 1,33 a 7,01). No entanto, a qualidade das evidências foi muito baixa. Em comparação a outros antiarrítmicos (quatro estudos, 839 participantes), a amiodarona aparentou aumentar o risco de morte súbita cardíaca (RR 1,40; IC 95% 0,56 a 3,52; qualidade das evidências muito baixa), mas não houve efeito da amiodarona na mortalidade por todas as causas (RR 1,03; IC 95% 0,75 a 1,42; qualidade das evidências baixa).

A amiodarona foi associada ao aumento de efeitos adversos pulmonares e tireoidianos.

Notas de tradução: 

Tradução Daniela Junqueira. Edição e revisão científica Evidências em Saúde (www.evidenciasemsaude.com.br).

Tools
Information
Share/Save