Intervenções para tratar hordéolos internos agudos

Qual foi o objetivo desta revisão?
O objetivo desta revisão Cochrane foi investigar se intervenções como compressas quentes, medicamentos tópicos de venda livre e esfoliantes palpebrais, antibióticos, esteroides e massagens das pálpebras eram úteis para o tratamento de hordéolos internos (um inchaço no interior da pálpebra). Os pesquisadores da Cochrane procuraram todos os estudos relevantes para responder a esta pergunta e não encontraram nenhum estudo.

Principais achados
Muitos tratamentos comuns estão disponíveis para tratar os hordéolos internos. Atualmente, não existe evidência sobre a eficácias destes tratamentos.

O que foi estudado nesta revisão?
Um hordéolo é um caroço comum e doloroso na pálpebra que normalmente é causado por uma infecção bacteriana. A infecção afeta as glândulas sebáceas das pálpebras e resulta em um caroço. Muitas vezes, o caroço infectado drena e cicatriza por si só, sem tratamento. Porém, as vezes a infecção pode se alastrar para outras glândulas dos olhos, e pode persistir. Ela também pode se transformar em um cisto (conhecido como um calázio). O hordéolo pode ser interno (ficar na parte de dentro da pálpebra), ou externo (na parte de fora da pálpebra, perto dos cílios). O hordéolo na parte externa da pálpebra é conhecido como terçol. Os hordéolos também podem ser agudos (aparecem de repente e curar em pouco tempo), ou crônicos (longa duração). Os tratamentos comuns para hordéolos incluem compressas quentes aplicadas em casa, medicamentos tópicos e esfoliantes para as pálpebras disponíveis livremente em farmácias, antibióticos ou esteroides prescritos por médicos, e massagens na pálpebra.

Quais foram os principais resultados da revisão?
Os pesquisadores da Cochrane procuraram por estudos sobre tratamentos para pessoas com um hordéolo interno agudo. Eles não procuraram por estudos sobre tratamentos para terçol ou hordéolos de longa duração. Não encontramos nenhum estudo relevante que tenha comparado tratamentos. Assim, nenhuma evidência foi encontrada a favor ou contra o uso de qualquer um dos tratamentos comuns para hordéolos.

Quão atualizada é esta revisão?
Os pesquisadores da Cochrane buscaram por todos os estudos disponíveis até 2 de dezembro de 2016.

Conclusão dos autores: 

Não encontramos nenhuma evidência a favor ou contra a efetividade de intervenções não cirúrgicas para o tratamento de hordéolos internos. Ensaios clínicos controlados seriam úteis para determinar quais intervenções são efetivas para o tratamento de pessoas com hordéolos internos agudos.

Leia o resumo na íntegra...
Introdução: 

Um hordéolo é uma inflamação comum e dolorosa da borda da pálpebra que geralmente é causada por uma infecção bacteriana. A infecção afeta as glândulas sebáceas da pálpebra e pode ser interna ou externa. Em muitos casos, a lesão drena espontaneamente e se resolve sem tratamento. Porém, a inflamação pode se espalhar para outras glândulas ou tecidos oculares, e as recidivas são comuns. Se não for resolvido, um hordéolo interno agudo pode tornar-se crônico, ou pode transformar-se em um calázio. Os hordéolos externos, também conhecido como terçol, não foram incluídos nesta revisão.

Objetivos: 

O objetivo desta revisão foi investigar a efetividade e, quando possível, a segurança dos tratamentos não cirúrgicos dos hordéolos internos agudos versus conduta expectante ou placebo.

Métodos de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes bases de dados: CENTRAL (que contêm a base Cochrane Eyes and Vision Trials Register (2016; Issue12)), MEDLINE Ovid, MEDLINE Ovid Epub Ahead of Print, MEDLINE Ovid In-Process & Other Non-Indexed Citations, MEDLINE(R) Ovid Daily (janeiro 1946 a dezembro 2016), Embase (janeiro 1947 a dezembro 2016), PubMed (1948 a dezembro 2016), Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS (janeiro 1982 a dezembro 2016)), o metaRegister of Controlled Trials (mRCT; www.controlled-trials.com (última pesquisa 26 de julho de 2012)), Clinical Trials.gov(www.clinicaltrials.gov), e World Health Organization (WHO) International Clinical Trials Registry Platform (ICTRP) ((www.who.int/ictrp/search/en). Não houve restrições de data ou idiomas nas buscas eletrônicas. A data a última busca nas bases de dados foi 2 de dezembro de 2016.

Critério de seleção: 

Incluímos na revisão ensaios clínicos randomizados (ECR) ou quase randomizados envolvendo pessoas com hordéolo interno agudo. Excluímos os estudos envolvendo pessoas com hordéolos externos (terçol), hordéolos crônicos ou calázio. As intervenções não cirúrgicas de interesse incluíram o uso de compressas quentes ou mornas, esfoliantes palpebrais, antibióticos ou esteroides versus conduta expectante, placebo ou outras intervenções ativas.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores, trabalhando de forma independente, avaliaram as referências identificadas pelas buscas eletrônicas para inclusão nesta revisão. Nenhum estudo relevante foi encontrado. As razões para as exclusões foram documentadas.

Principais resultados: 

Não encontramos nenhum ensaio clínico que pudesse ser incluído na revisão. A maioria das referências identificadas nas buscas eram sobre hordéolos externos ou hordéolos internos crônicos. As poucas referências específicas sobre hordéolos internos agudos relatavam recomendações de tratamento, eram séries de casos intervencionistas, estudos de casos ou outros tipos de desenhos de estudos observacionais, e foram publicados há mais de 20 anos.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane Brazil (Maria Regina Torloni) - contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save