Reabilitação multidisciplinar em pacientes idosos com fraturas de quadril

Fratura de quadril é um grave acometimento em idosos e pode contribuir para sua morte ou perda da independência. Normalmente é realizada cirurgia e seguida por cuidados hospitalares sob a supervisão da equipe de ortopedia. Reabilitação adicional dentro do hospital é algumas vezes providenciada por um geriatra e outros profissionais da saúde. Algumas vezes, a ênfase é em alta hospitalar precoce com reabilitação multiprofissional providenciada ao paciente em domicilio. Há uma enorme variedade nesses programas de reabilitação.

Esta revisão incluiu 13 ensaios clínicos, os quais envolvem um total de 2498 idosos, maioria mulheres, pacientes que foram submetidos à cirurgia por fratura de quadril. Geralmente os ensaios clínicos apresentam-se bem conduzidos, embora alguns tenham apresentado risco de viés que poderia ter afetado a confiança de seus resultados. Por exemplo, apesar da randomização, em cinco ensaios clínicos havia algumas importantes diferenças nas características dos pacientes, como a idade, até o inicio do e ensaios clínicos que poderia ter influenciado nos resultados dos ensaios clínicos. As intervenções do ensaios clínicos foram muito variadas, mas todas compararam reabilitação multidisciplinar com cuidados habituais. Em 11 ensaios clínicos, cuidado foi fornecido total ou parcialmente em ambiente hospitalar ou internação hospitalar. Enquanto havia uma tendência por melhores resultados após reabilitação multidisciplinar, os resultados não foram significantes estatisticamente e assim não pode ser considerado conclusivo. Contudo, todas as provas indicam que reabilitação multidisciplinar não é prejudicial.Adicionalmente, havia algumas evidências inconclusivas que reabilitação multidisciplinar não inclui a carga de cuidados. Em um ensaio clínico que comparou reabilitação multidisciplinar em domicilio com cuidado usual hospitalar, cuidadores reportaram significante redução da carga a longo prazo após reabilitação multidisciplinar. Participantes do grupo de reabilitação domiciliar deste ensaio clínico tinham curto tempo de internação hospitalar, mas períodos maiores de reabilitação. Um outro ensaio clínico não encontrou efeito significante em dobrar os contatos semanais na casa do paciente por uma equipe de reabilitação multidisciplinar.

No geral, os resultados desta revisão sugerem que reabilitação multidisciplinar pode ajudar mais os idosos na recuperação após uma fratura de quadril. Contudo, os resultados não são conclusivos e mais pesquisas são necessárias.

Conclusão dos autores: 

Enquanto havia uma tendência a melhorar o resultado geral em pacientes recebendo reabilitação hospitalar multidisciplinar, estes resultados não foram estatisticamente significativos.

Ensaios clínicos futuros de reabilitação multidisciplinar devem ter como objetivo eficácia e custo, ambos, de uma reabilitação multidisciplinar, em vez de avaliar os seus componentes.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Fratura de quadril é uma importante causa de morbidade e mortalidade em idosos e seu impacto na sociedade é substancial.

Objetivos: 

Avaliar os efeitos da reabilitação multidisciplinar, em qualquer regime de internação ou cuidado ambulatorial em idosos com fratura de quadril.

Estratégia de busca: 

Buscamos em Cochrane Bone, Joint and Muscle Trauma Group Specialised Register (abril 2009), The Cochrane Library (2009, fascículo 2), MEDLINE e EMBASE (ambos abril 2009).

Critérios de seleção: 

Ensaios clínicos randomizados e parcialmente randomizados de cuidados pós-cirúrgicos utilizando reabilitação multidisciplinar em idosos (idade 65 anos ou mais) com fratura de quadril. Os primeiros resultados, ‘’resultado ruim’’ foi uma composição de mortalidade e declínio no status residencial a longo prazo (geralmente um ano)de acompanhamento.

Coleta dos dados e análises: 

Ensaios clínicos selecionados foram por consenso. Dois revisores avaliaram independentemente a qualidade dos ensaios e extraíram os dados. Os dados foram agrupados quando adequados.

Resultados principais: 

Os 13 ensaios clínicos inclusos envolveram 2498 idosos, maioria mulheres, pacientes que foram submetidos à cirurgia por fratura de quadril. Embora geralmente bem conduzidos, alguns ensaios clínicos estavam em risco de viés tais como desequilíbrio nas principais características de base.

Havia substancial heterogeneidade clinica nas intervenções do ensaio clínico e populações. Reabilitação multidisciplinar foi fornecida principalmente em ambiente hospitalar em 11 ensaios clínicos. Resultados agrupados não mostraram diferença estatisticamente significante entre grupo intervenção e controle para mau resultado (relação de risco 0,89; 95% intervalo de confiança 0,78 a 1,01), mortalidade (relação de risco 0,90; 95% intervalo de confiança 0,76 a 1,07) ou reinternação hospitalar. Estudos individuais encontraram melhores resultados, frequente apenas a curto prazo, no grupo de intervenção para atividades da vida diária e mobilidade. Houve uma considerável heterogeneidade no tamanho dos dados de estadia e de custo. Três ensaios clínicos reportando carga de cuidado mostraram nenhuma evidência de efeitos danosos da intervenção. No geral, as evidencias indicaram que reabilitação multidisciplinar não é prejudicial.

O ensaio clínico comparando primeiramente reabilitação multidisciplinar domiciliar com cuidado hospitalar usual encontrou melhora marginal da função e clinicamente fardo significativamente menor para cuidados no grupo intervenção. Participantes deste grupo tiveram curtas internações hospitalares, mas longos períodos de reabilitação. Um ensaio clínico não encontrou nenhum efeito significante em dobrar o numero de contatos semanais em domicilio de pacientes com equipe de reabilitação multidisciplinar.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Marcelo Zerbetto Fabricio, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save