Intervenções para restaurar a patência dos lúmens de cateteres venosos centrais ocluídos

Um cateter venoso central é um tubo oco e pequeno que é inserido em uma veia grossa no tórax, pescoço ou virilha. Os cateteres venosos centrais permitem que os profissionais da saúde administrem fármacos e outros fluidos diretamente na corrente sanguínea para tratar pacientes criticamente enfermos ou aqueles pacientes com alguma condição crônica. Em certas condições crônicas, os pacientes ou seus cuidadores podem também estar envolvidos com a administração de intervenções terapêuticas via cateter venoso central.

Ocasionalmente, os lúmens dos cateteres podem ficar entupidos por um coágulo sanguíneo ou por um tratamento que ficou solidificado no tubo, ou devido à posição do tubo dentro da veia. Caso o cateter fique entupido, isso pode significar que o paciente seja submetido à cirurgia para remover e substituir o cateter entupido.

Não foram encontrados estudos investigando a eficácia e a segurança de intervenções cirúrgicas (raspar ou puxar o coágulo, ou trocar o tubo com guia) ou de intervenções químicas (ácido hidroclorídrico, bicarbonato de sódio, solução de etanol a 70%) para desentupir o cateter.

Nossa pesquisa identificou sete estudos (oito artigods), com um total de 632 participantes, que investigaram diferentes comparações de fármacos ou o poder de diferentes terapias farmacológicas para tratar cateteres que estavam completamente ou parcialmente entupidos por um coágulo sanguíneo.

Esta revisão encontrou evidências de baixa a muito baixa qualidade sugerindo que os fármacos trombolíticos (uroquinase e alteplase) podem ser efetivos em desentupir lúmens de cateteres venosos centrais entupidos por coágulos sanguíneos. No entanto, o número total de participantes incluídos nesses estudos foi pequeno e consequentemente os resultados da análise podem estar superestimados. Também houve problemas com a maneira de conduzir os estudos, que possivelmente introduziram viés.

Em conclusão, mais pesquisas são necessárias para estabelecer a eficácia e a segurança de diferentes intervenções terapêuticas usadas para desentupir os lúmens de cateteres venosos centrais ocluídos. Particularmente, há necessidade de estudos exclusivamente em crianças.

Conclusão dos autores: 

Há evidências inadequadas para extrair conclusões sólidas sobre a eficácia ou segurança das intervenções farmacológicas incluídas nesta revisão. Há poucas evidências de baixa qualidade derivadas de metanálise de dois estudos investigando a uroquinase (poder variável) e poucas evidências de qualidade muito baixa derivadas de dois estudos simples investigando a alteplase, 2 mg/2 ml, que sugerem que essas duas intervenções farmacológicas podem ser efetivas no tratamento de oclusões parciais ou totais de lúmens de CVC causadas por trombose. Mais pesquisas de alta qualidade e com poder suficiente ainda são necessárias para verificar a eficácia e a segurança da uroquinase, alteplase e outras intervenções químicas, cirúrgicas e farmacológicas para o tratamento da oclusão do lúmen de CVC. Pesquisas que incluem exclusivamente crianças são especialmente justificadas.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Os cateteres venosos centrais (CVCs) facilitam a administração de fármacos intravenosos, fluidos, produtos do sangue e nutrição parenteral em pacientes com doença crônica ou doença grave. Apesar de seu papel fundamental para o manejo médico, uma complicação comum associada ao uso do CVC é a oclusão de seu(s) lúmen(s). A oclusão do CVC pode interromper e causar grandes atrasos na administração das intervenções terapêuticas.

Objetivos: 

O objetivo primário desta revisão foi avaliar a eficácia e a segurança de diferentes intervenções empregadas para restaurar a patência dos lúmens de CVCs ocluídos, em adultos e crianças.

Estratégia de busca: 

Identificamos os estudos pela busca na Cochrane Central Register of Clinical Trials (CENTRAL) (The Cochrane Library, 2011, fascículo 9); OvidSP MEDLINE (1950 até Setembro de 2011); OvidSP EMBASE (1980 até Setembro de 2011) e NHS Evidence CINAHL (1982 até Setembro de 2011). Também pesquisamos os registros de ensaios clínicos, fizemos busca manual nas listas de referências e contatamos as empresas farmacêuticas e os autores das publicações que atenderam aos critérios de inclusão para identificar os estudos.

Critérios de seleção: 

Selecionamos ensaios clínicos randomizados que investigaram a eficácia de uma intervenção (química, cirúrgica ou farmacológica) empregada para restaurar a patência de um lúmen de CVC ocluído, em adultos ou crianças.

Coleta dos dados e análises: 

Três autores independentemente avaliaram os estudos que preencheram aos critérios de inclusão referente a qualidade e, então extraíram os dados relevantes usando um formulário padronizado.

Resultados principais: 

Nenhum estudo que investigasse a eficácia e a segurança de intervenções químicas ou cirúrgicas foi encontrado.

Sete estudos (oito artigos) com um total de 632 participantes foram identificados pela busca. Eles investigaram diferentes comparações de fármacos trombolíticos ou anticoagulantes para tratar a oclusão de lúmens de CVC atribuída a um trombo.

Houve baixa qualidade de evidências a partir de metanálise de dois estudos sugerindo que a uroquinase (poder variável) foi mais efetiva que o placebo para restaurar a patência de lúmens de CVC ocluídos em adultos e crianças com diversas morbidades (risco relativo (RR) 2,09, intervalo de confiança (IC) de 95% 1,47 a 2,95), com um número necessário para tratar igual a 4 (IC 95% 2 a 8). Não houve evidências suficientes para extrair conclusões quanto a segurança da uroquinase.

A qualidade geral das evidências provindas por meio desses estudos foi classificada como baixa a muito baixa devido a um ou mais domínios tendo sido avaliados como “risco incerto de viés incerto” ou “alto risco de viés” . Além disso, o número total de participantes nesses estudos foi bem pequeno e, consequentemente, pode conduzir a resultados falsos.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Paulo do Nascimento Jr, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brasil Contato:portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save