Aporte elevado versus aporte baixo de aminoácidos na nutrição parentérica para recém-nascidos

Pergunta de revisão

Em recém-nascidos, a administração de nutrição endovenosa com maior aporte de aminoácidos (proteínas) durante os primeiros dias após o nascimento resulta num aumento do crescimento e da sobrevida livre de deficiência?

Contexto

Os recém-nascidos prematuros e os recém-nascidos doentes estão em risco de desnutrição e atraso no crescimento, pela incapacidade de receber proteínas numa dose equivalente à que recebiam in-útero. Embora a administração de uma dose maior de aminoácidos na nutrição parentérica traga potenciais benefícios, os possíveis efeitos secundários do excesso de proteínas, devido à imaturidade do fígado e rins dos recém-nascidos, órgãos que são responsáveis pela utilização das proteínas e pela remoção dos seus resíduos do organismo, continuam a ser motivo de preocupação.

Características dos estudos

Esta revisão incluiu 21 estudos que relataram a evolução clínica de recém-nascidos muito prematuros ou de baixo peso. Os estudos estavam incompletos para todos os resultados avaliados. A pesquisa dos estudos foi realizada em Junho de 2017.

Resultados chave

Um aporte maior de aminoácidos não afetou a sobrevivência dos prematuros nem dos recém-nascidos com baixo peso à nascença. Não existe informação suficiente disponível para determinar se este maior de aminoácidos tem impacto no neurodesenvolvimento. O maior aporte de aminoácidos associou-se a taxas mais baixas de atraso de crescimento, a maior crescimento cefálico e a menos problemas oftalmológicos da prematuridade (mas não na retinopatia grave). O maior aporte de aminoácidos associou-se ainda ao aumento dos níveis de produtos de degradação das proteínas (ureia) e à menor incidência de hiperglicemia.

Conclusões

Um maior aporte de aminoácidos não afetou a sobrevivência, mas reduziu a incidência de atraso do crescimento até ao momento da alta hospitalar. Um maior aporte de aminoácidos pode produzir outros efeitos, incluindo o aumento no crescimento cefálico e a redução de problemas oftalmológicos (retinopatia da prematuridade), embora estes efeitos sejam incertos. A evidência sugere que o maior aporte de aminoácidos pode não ser tolerado por todas as crianças. É necessária mais investigação para determinar o aporte ideal de aminoácidos na nutrição parentérica e o equilíbrio nutricional em recém-nascidos prematuros.

Qualidade da evidência

Evidência de baixa qualidade sugere que o maior aporte de aminoácidos na nutrição parentérica não afeta a mortalidade. Evidência de muito baixa qualidade sugere que o maior aporte de aminoácidos reduz a incidência de atraso de crescimento pós-natal e a retinopatia da prematuridade, mas não a retinopatia grave. A evidência foi insuficiente para demonstrar se o maior aporte de aminoácidos tem efeito sobre o neurodesenvolvimento.

Notas de tradução: 

Notas de tradução: Tradução por Mariana Antunes Morgado, Serviço de Cirurgia Pediátrica do Hospital de Santa Maria, Centro Hospitalar Universitário Lisboa Norte, com o apoio da Cochrane Portugal

Tools
Information
Share/Save