Educação para a segurança da casa e fornecimento de equipamentos de segurança para prevenção de ferimentos

Os ferimentos decorrentes de acidentes são a principal causa de morte de crianças em países industrializados. Pessoas socialmente menos favorecidas têm maior risco de se machucar do que aquelas mais favorecidas. Esta revisão investigou se educar as pessoas sobre a segurança da casa e se o fornecimento de equipamentos de segurança ajudariam a diminuir os ferimentos e aumentar as atitudes mais seguras e o uso desses equipamentos de segurança. Também pesquisamos se a educação para a segurança da casa era mais ou menos efetiva conforme os níveis sociais das famílias. Nós encontraramos 98 estudos que recrutaram um total de 2.605.044 participantes. Esses estudos avaliaram uma série de comportamentos de segurança diferentes, mas poucos estudos falaram sobre ferimentos.

Nossa revisão mostrou que a educação para a segurança da casa pode diminuir as taxas de ferimentos, mas precisamos de mais estudos para confirmar esses achados. Os resultados variaram entre os estudos, mas, no geral, as famílias que receberam a educação para a segurança em casa tiveram maior probabilidade de ter torneiras com água em temperatura segura, alarmes de incêndio que funcionam, um plano para fugir do fogo, grades nas escadas, tampas nas tomadas, xarope de ipeca (que é um produto que pode ajudar em casos de intoxicação), número de telefone acessível do centro de controle de envenenamento e armazenamento seguro de remédios e produtos de limpeza. A educação para manter a casa segura é igualmente efetiva nas famílias em que as crianças têm maior risco de se machucar.

Conclusão dos autores: 

As intervenções educativas para segurança doméstica, geralmente sessões individuais presenciais, especialmente aquelas que incluíram o fornecimento de equipamentos de segurança, aumentam de forma efetiva uma serie de práticas seguras. Existe alguma evidência de que essas intervenções podem reduzir as taxas de lesões acidentais em crianças, principalmente quando as intervenções são realizadas nos domicílios. Os resultados conflitantes em relação à oferta de equipamentos de segurança sobre as práticas de segurança e taxas de lesões foram provenientes de dois grandes estudos: um estudo ambulatorial forneceu equipamentos, mas não observou redução nas taxas de lesões. O segundo estudo, realizado numa escola, não forneceu equipamento, mas relatou redução significativa dos índices de lesão. Não houve evidência consistente de que a educação para segurança doméstica, com ou sem o fornecimento de equipamento de segurança, tenha sido menos efetiva em participantes com maior risco de sofrer lesões. É preciso realizar mais estudos para confirmar esses achados em relação aos índices de lesões.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

As queimaduras, os envenenamentos e os afogamento são a principal causa de morte de crianças em países industrializados. Existem grande variação nas taxas de morbidade e mortalidade por lesões acidentais em diferentes classes sociais. A maioria dos acidentes em crianças na primeira infância acontece em casa, mas existe pouca evidência de metanálises mostrando que as intervenções de segurança doméstica reduzem os índices de acidentes ou aumentam as práticas seguras. Há poucas evidências do efeito dessas intervenções em diferentes grupos sociais.

Objetivos: 

Avaliamos a efetividade de intervenções educativas voltadas para a segurança doméstica, com ou sem o fornecimento de equipamentos de forma gratuita, com preços reduzidos ou com descontos (daqui por diante chamados de intervenções de segurança doméstica) na redução das taxas de lesões acidentais em crianças, ou no aumento das práticas de segurança doméstica, e verificamos se esse efeito variou de acordo com o grupo social dos participantes.

Estratégia de busca: 

Pesquisamos as seguintes bases de dados eletrônicas: Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) (2009, 2ª edição), na Cochrane Library,Medline (Ovid), Embase (Ovid), PsycInfo (Ovid), ISI Web of Science: Science Citation Index Expanded (SCI-EXPANDED), ISI Web of Science: Social Sciences Citation Index (SSCI), ISI Web of Science: Conference Proceedings Citation Index-Science (CPCI-S), CINAHL (EBSCO) e DARE (2009, 2ª edição) na Cochrane Library.Também pesquisamos websites, anais de conferências e bibliografias de estudos relevantes e revisões já publicadas. Entramos em contato com os autores dos estudos incluídos e organizações da área relevantes. A última busca por estudos foi realizada em maio de 2009.

Critérios de seleção: 

Selecionamos ensaios clínicos randomizados, ensaios clínicos não randomizados e estudos controlados tipo antes e depois, em que a educação para segurança doméstica foi feita com ou sem o fornecimento de equipamentos de segurança para famílias que tivessem crianças ou adolescentes de até 19 anos. Os desfechos dos estudos deveriam incluir lesões, práticas seguras ou presença de equipamentos de segurança.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram de forma independente a qualidade dos estudos e extraíram os dados. Tentamos obter os dados individuais dos participantes (IPD) de todos os estudos incluídos. Os dados resumidos e os individuais foram combinados em meta-regressões por variáveis sociais e demográficas. Calculamos as taxas de incidência (IRR) agrupadas para lesões que aconteceram durante o estudo, e odds ratios (OR) agrupados para a utilização de equipamentos de segurança ou práticas de segurança, com intervalo de confiança de 95% (95% CI).

Resultados principais: 

Incluímos nesta revisão 98 estudos, envolvendo 2.605.044 pessoas. Dentre esses, 54 estudos, envolvendo 812.705 pessoas, eram comparáveis o suficiente para a realização de pelo menos uma metanálise. Desses 54 estudos, 35 (65%) eram ensaios clínicos randomizados e 19 (35%) dos estudos incluídos na metanálise forneceram os dados individuais dos participantes.

Não houve evidência suficiente para mostrar que intervenções de segurança doméstica reduzem os níveis de envenenamento e queimaduras. Houve alguma evidência de que essas intervenções podem reduzir as taxas de lesões após ajustar os resultados dos estudos tipo antes e depois em relação às taxas basais de lesões (IRR 0,89, 95% CI 0,78 a 1,01). As intervenções realizadas no domicílio apresentaram maior redução dos níveis de lesão (IRR 0,75, 95% CI 0,62 a 0,91), assim como as intervenções sem o fornecimento de equipamentos de segurança (IRR 0,78, 95% CI 0,66 a 0,92).

As intervenções de segurança domiciliar aumentaram a proporção de famílias que têm água da torneira com temperatura segura (OR 1,41, 95% CI 1,07 a 1,86), alarmes de fumaça ativos (OR 1,81, 95% CI 1,30 a 2,52), plano para fuga em caso de incêndios (OR 2,01, 95% CI 1,45 a 2,77), armazenamento seguro de medicamentos (OR 1,53, 95% CI 1,27 a 1,84), produtos de limpeza fora do alcance das crianças (OR 1,55, 95% CI 1,22 a 1,96), xarope de ipeca (uma substância que provoca vômito e pode ajudar em alguns casos de intoxicação; OR 3,34, 95% CI 1,50 a 7,44) ou o número do telefone do centro de controle de envenenamento em local acessível (OR 3,30, 95% CI 1,70 a 6,39), grades ou portões nas escadas (OR 1,61, 95% CI 1,19 a 2,17), e tampas nas tomadas que estavam sem uso (OR 2,69, 95% CI 1,46 a 4,96).

As intervenções que ofereceram equipamentos de segurança de graça, com custo reduzido ou com desconto foram mais efetivas em melhorar algumas práticas de segurança do que as outras intervenções, se estiverem associadas com o ensino da prática. Não houve evidência consistente para afirmar que as intervenções eram menos efetivas em famílias em que as crianças apresentaram maior risco de sofrer lesões.

Notas de tradução: 

Tradução do Centro Cochrane do Brasil (Carolina de Oliveira Cruz)

Tools
Information
Share/Save