Alongamento para prevenir ou reduzir a dor muscular que surge depois do exercício

Muitas pessoas alongam seus músculos antes ou depois de fazer atividades físicas, como esportes. Os motivos para fazer esse alongamento seriam reduzir o risco de lesões, reduzir a dor que surge depois do exercício, ou melhorar o desempenho esportivo. Esta revisão avaliou os efeitos do alongamento sobre a dor muscular que surge depois dos exercícios.

A revisão encontrou 12 ensaios clínicos randomizados que avaliaram os efeitos do alongamento, antes ou depois dos exercícios, sobre a dor muscular, dos quais 11 eram pequenos, com 10 a 30 pessoas sorteadas para fazer parte do grupo alongamento. Em contraste, a revisão também encontrou um grande estudo com 2.337 participantes, dos quais 1.220 faziam parte do grupo de alongamento. Dez estudos foram realizados em laboratórios, com exercícios de alongamento padronizados. Apenas dois estudos, incluindo aquele com muitos participantes, foram estudos “de campo” (ou seja, foram feitos fora de um laboratório). Estes dois estudos examinaram o efeito do alongamento na dor muscular associada com atividades físicas escolhidas pelos próprios participantes. Os estudos incluídos na revisão eram de qualidade baixa a moderada. Alguns dos estudos avaliaram os efeitos do alongamento antes da atividade física, outros depois da atividade física, e alguns avaliaram os efeitos de fazer alongamento tanto antes como depois da atividade física.

Os estudos foram bem consistentes quanto aos seus resultados. Eles mostraram que fazer alongamento produziu um efeito muito pequeno ou nulo na dor muscular experimentada na semana seguinte da atividade física.

Conclusão dos autores: 

As evidências advindas de estudos randomizados sugerem que o alongamento muscular, realizado por adultos saudáveis antes, após, ou antes e após o exercício, não leva a uma diminuição clinicamente relevante da dor muscular tardia.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Muitas pessoas fazem alongamento antes ou depois de uma atividade esportiva. Os principais motivos para alongar seriam reduzir o risco de lesões, reduzir a dor após o exercício, ou melhorar o desempenho atlético. Esta é uma atualização de uma revisão Cochrane publicada originalmente em 2007.

Objetivos: 

O objetivo desta revisão foi avaliar os efeitos de fazer alongamento, antes ou após os exercícios, sobre a dor muscular tardia.

Estratégia de busca: 

Fizemos buscas nas seguintes bases de dados: Bone, Joint and Muscle Trauma Group Specialised Register (até 10 de Agosto de 2009), Cochrane Central Register of Controlled Trials (2010, Issue 1), MEDLINE (desde 1966 até 8 de Fevereiro de 2010), EMBASE (desde 1988 até 8 de Fevereiro de 2010), CINAHL (desde 1982 até 23 de Fevereiro de 2010), SPORTDiscus (desde 1949 até 8 de Fevereiro de 2010), PEDro (até 15 de Fevereiro de 2010). Também fizemos buscas nas listas de referências dos estudos.

Critérios de seleção: 

Incluímos na revisão ensaios clínicos randomizados ou quasi-randomizados que testaram qualquer técnica de alongamento, usada antes ou depois da sessão de exercícios, que tivesse sido desenvolvida para prevenir ou tratar a dor muscular de início tardio (delayed onset muscle soreness, DOMS). Para os estudos serem incluídos, os participantes deveriam ter feito alongamento imediatamente antes ou depois do exercício, e os investigadores deveriam ter avaliado a dor muscular como um dos desfechos.

Coleta dos dados e análises: 

Avaliamos o risco de viés dos estudos individuais usando a ferramenta “Risk of Bias” da Colaboração Cochrane. Avaliamos a qualidade geral da evidência usando o GRADE. Convertemos as estimativas dos efeitos do alongamento para uma escala comum de 100 pontos. Os desfechos foram agrupados em metanálises usando o modelo de efeito fixo.

Resultados principais: 

Incluímos 12 estudos nesta revisão. Nesta atualização, encontramos 2 novos estudos. Um dos novos estudos foi um grande ensaio clínico realizado no campo, que incluiu 2.377 participantes (1.220 no grupo alongamento). Todos os outros 11 estudos eram pequenos, com apenas 10 a 30 participantes no grupo de alongamento. Dez estudos foram realizados em laboratórios e os outros dois foram realizados em campo. Todos os estudos tiveram risco de viés moderado ou alto. A qualidade da evidência foi baixa a moderada.

Os resultados dos estudos foram altamente consistentes. A estimativa de efeito combinado mostrou que o alongamento pré-exercício reduz a dor um dia após o exercício, em média, meio ponto em uma escala de 100 pontos (diferença média -0,52, IC 95% -11,30 a 10,26; 3 estudos). O alongamento pós-exercício reduz a dor um dia após o exercício, em média, um ponto em uma escala de 100 pontos (diferença média -1,04, IC 95% -6,88 a 4,79; 4 estudos). Os efeitos do alongamento sobre a dor foram semelhantes nas avaliações feitas entre meio dia até três dias após o exercício. Um estudo grande mostrou que o alongamento antes e após o exercício reduziu o pico de dor no decorrer de uma semana, em média, 4 pontos em uma escala de 100 pontos (diferença média -3,80, IC 95% -5,17 a -2,43). Esse efeito, apesar de ser estatisticamente significativo, foi muito pequeno.

Notas de tradução: 

Tradução do Cochrane Brasil. Contato: tradutores@centrocochranedobrasil.org.br

Tools
Information
Share/Save