Testosterona para mulheres na peri-menopausa e pós-menopausa

Existe uma boa evidência de que a adição de testosterona na terapia hormonal (TH) tem um efeito benéfico sobre a função sexual em mulheres na pós-menopausa. No entanto, a terapia combinada é associada com maior incidência de crescimento de pêlos e acne e redução da lipoproteína de alta densidade (HDL). Estes efeitos adversos podem variar com diferentes doses e vias de administração da testosterona. A adição de testosterona na TH não aumentou o número de mulheres que interromperam a TH.

Conclusão dos autores: 

Existe uma boa evidência de que a adição de testosterona a TH tem um efeito benéfico sobre a função sexual em mulheres na posmenopausa. No entanto, a terapia combinada é associada com maior incidência de crescimento de pelo e acne e redução no HDL colesterol. Esses efeitos adversos podem diferir de acordo com as doses e via de administração de testosterona. Não há evidência suficiente para determinar o efeito da testosterona em uso de longo prazo.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A questão se a adição de testosterona à terapia hormonal (TH) convencional é eficaz ou segura não está resolvida. Por isso, objetivamos determinar a eficácia e segurança da testosterona para mulheres na pós-menopausa usando TH.

Objetivos: 

Determinar os benefícios e riscos da terapia com testosterona para mulheres na pós-menopausa tomando TH.

Estratégia de busca: 

Pesquisamos em Cochrane Menstrual Disorders and Subfertility Group Trials Register (pesquisado em 21 de Julho a Novembro de 2008), The Cochrane Library (2008, Volume 3), MEDLINE (1966 até Julho de 2008), EMBASE (1980 até Julho de 2008), Biological Abstracts (1969 até 2008), PsycINFO (1972 até Julho de 2008), CINAHL (1982 até Julho de 2008), e listas de referência de artigos. Também contactamos empresas farmacêuticas e pesquisadores no campo.

Critérios de seleção: 

Estudos incluíram comparações randomizadas de testosterona mais TH versus TH isolada em mulheres na peri ou pós-menopausa.

Coleta dos dados e análises: 

Dois revisores avaliaram independentemente a qualidade dos ensaios clínicos e extraíram os dados. Para desfechos dicotômicos, odds ratio (OR) com intervalo de confiança (IC) de 95% foram calculados. Para desfechos contínuos, os dados sem assimetria de escalas válidas foram sintetizados usando diferença média ponderada ou diferença média padronizada. Se heterogeneidade estatística fosse encontrada, um modelo de efeitos aleatórios foi utilizado e as razões para a heterogeneidade foram exploradas e discutidas.

Resultados principais: 

Trinta e cinco estudos com um total de 4.768 participantes foram incluídos na revisão. A duração média dos estudos foi de seis meses (faixa de 1,5 a 24 meses). A maioria dos ensaios clínicos era de qualidade adequada no que diz respeito à randomização e ocultação da sequência de alocação. As principais limitações metodológicas foram viés de atrito e da falta de um período de washout nos estudos cruzados. A estimativa agrupada sugeriu que adição de testosterona a regimes de TH melhora a função sexual e número de eventos sexuais satisfatórias para mulheres na pós-menopausa. Efeitos adversos significativos foram a redução dos níveis da lipoproteína alta densidade (HDL), e um aumento da incidência de crescimento de pêlos e acne. A taxa de descontinuação não foi significativamente maior com a adição de testosterona (OR 0,99, IC 95% 0,83 a 1,19).

Notas de tradução: 

Traduzido por: Lucia alves S Lara, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save