Lembrar as pessoas de tomarem as vacinas aumenta o número de pessoas que são vacinadas?

Aumentar o número de pessoas vacinadas pode reduzir as taxas de mortalidade e de doenças em todo o mundo. Muitas estratégias para elevar a vacinação vêm sendo utilizadas. Uma maneira é lembrar as pessoas de tomarem as vacinas. Essa revisão de 47 estudos avaliou se lembrando as pessoas eleva-se a vacinação.

Essa revisão identificou que lembrar as pessoas a tomarem as vacinas aumenta o número de pessoas vacinadas, tanto se estão em dia ou atrasadas com as vacinas. Os aumentos foram observados em crianças e adultos para todos os tipos de vacinas, mas não entre os adolescentes urbanos em um estudo. Lembrando as pessoas por telefone, carta, cartão postal ou conversando com elas, elevaram-se as vacinações. O uso de vários lembretes foi mais efetivo do que o uso de um lembrete único. Lembrar as pessoas por telefone foi mais efetivo do que o uso de cartão ou carta de lembrete, mas lembra-los por telefone pode ser caro em comparação com abordagens alternativas. Lembretes também funcionaram se eram de um consultório médico privado, um centro médico ou uma clínica de um departamento de saúde pública. Os estudos nessa revisão eram de países desenvolvidos; e, por isso, não está claro se lembretes a pacientes de países de baixa e média renda iriam funcionar.

Conclusão dos autores: 

Sistemas de lembretes e de recordação do paciente nos serviços de atenção primária são efetivos para melhorar as taxas de imunização em países desenvolvidos.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

As taxas de imunização para crianças e adultos estão subindo, mas os níveis de cobertura não atingiram as metas ideais. Como resultado das baixas taxas de imunização, doenças susceptíveis de prevenção ainda ocorrem. Em uma época de crescente complexidade dos esquemas de imunização, aumento das expectativas sobre o desempenho da atenção primária e grande demanda de médicos, é importante compreender e promover intervenções que funcionem no cenário de cuidados primários para aumentar a cobertura de imunização. Um tema comum entre os programas de imunização em todas as nações envolve o desafio de determinar o denominador dos beneficiários elegíveis (por exemplo, todas as crianças que devem receber a vacina contra o sarampo) e identificar a melhor estratégia para garantir altas taxas de vacinação. Estratégias têm sido direcionadas em intervenções centradas no paciente (por exemplo, lembretes ao paciente), intervenções ao cuidador e intervenções do sistema. Uma estratégia de intervenção envolve sistemas de lembretes e de recordação do paciente.

Objetivos: 

Avaliar a efetividade de sistemas de lembretes e de recordação do paciente para a melhora das taxas de imunização e comparar os efeitos de vários tipos de lembretes em diferentes cenários ou populações de pacientes.

Estratégia de busca: 

Foi realizada uma busca sistemática para avaliação inicial usando MEDLINE (1966-1998) e quatro outras bases de dados bibliográficas: EMBASE, PsychINFO, Sociological Abstracts e CAB Abstracts. Os autores também realizaram busca na The Effective Practice and Organisation of Care (EPOC) em Abril de 2001 para atualizar a revisão. Dois autores revisaram as listas de títulos e resumos e utilizaram os critérios de inclusão para marcarem artigos potencialmente relevantes à revisão completa. As listas de referências de todos os artigos e comentários relevantes foram novamente pesquisadas por estudos adicionais. Publicações de resumos, materiais de reuniões científicas e arquivos de colaboradores dos estudos foram também pesquisados para referências. Em Maio de 2007 o registo EPOC foi pesquisado para identificar artigos relevantes para atualizar a revisão. Em Maio de 2007 a busca no registo EPOC foi complementada por pesquisas no CINAHL e PubMed. Um estudo foi identificado por meio do conhecimento prévio deste estudo.

Critérios de seleção: 

Desenho do estudoEnsaios clínicos randomizados (ECR), estudos controlados antes e depois (ECAD) e séries de casos temporais interruptas (STI) escritos em inglês.

Tipos de participantes Profissionais de saúde que apliquem imunização e crianças (abaixo de 18 anos) ou adultos (de 18 anos ou mais) que recebam as vacinas em qualquer cenário.

Tipos de intervençõesQualquer intervenção que se enquadre no escopo do EPOC e que inclua sistemas de lembrete ou recordação do paciente, ou ambos, em pelo menos um braço do estudo.

Tipos de medidas de resultadosTaxas de imunização ou a proporção da população-alvo sobre vacinas recomendadas. Foram aceitos resultados tanto para vacinas individuais (por exemplo, vacinação contra a gripe) ou combinações padrão de vacinas recomendadas (por exemplo, todas as vacinas recomendadas numa data ou idade específicas).

Coleta dos dados e análises: 

Coleta de dadosCada estudo foi lido de forma independente por dois revisores. Desacordos entre os revisores foram resolvidos por um processo formal de acordo para alcançar um consenso.

AnáliseOs resultados são apresentados para os estudos individuais como razão de chances para os ensaios clínicos randomizados, assim como, as variações absolutas em pontos percentuais para os estudos controlados antes e depois. Os resultados agrupados para ECR somente foram apresentados usando o modelo de efeito randômico.

Resultados principais: 

Quatro novos estudos foram adicionados à atualização de 2007 para um total de 47 estudos. Os aumentos nas taxas de imunização devido à lembretes foram na variação de 1 a 20 pontos percentuais. Lembretes foram efetivos para vacinação infantil (razão de chances, odds ratio, OR = 1,47, 95% Intervalo de Confiança (IC) = 1,28 a 1,68), vacina da gripe em crianças (OR = 2,18, 95% IC = 1,29 a 3,70), pneumococo, tétano e hepatite B em adultos (OR = 2,19, 95% IC = 1,21 a 3,99) e vacina da gripe em adultos (OR = 1,66, 95% IC = 1,31 a 2,09). A efetividade dos lembretes do paciente para a vacinação da gripe em crianças diminuiu em geral para um OR de 2,87 na revisão anterior. No entanto, os lembretes não foram efetivos em um novo estudo de imunização em adolescentes em um ambiente urbano (OR = 1,14, 95% IC = 0,98 a 1,31). Todos os tipos de lembretes foram efetivos (cartões postais, cartas, telefone ou discador automático de chamadas), com o telefone, sendo o mais efetivo, mas também o mais caro.

Notas de tradução: 

Traduzido por: Rodrigo Jensen, Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brasil Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com

Tools
Information
Share/Save