Perda de peso para esteatose hepática não-alcoólica

Apesar da falta de evidências, recomenda-se a perda de peso através de vários métodos, como parte do tratamento da esteatose hepática não-alcoólica (EHNA). Fizemos esta revisão sistemática para avaliar os efeitos benéficos e prejudiciais da perda de peso através de vários métodos como parte do tratamento da EHNA, porém não encontramos evidências robustas a este respeito. Cinco estudos avaliando programas de modificação de estilo de vida e dois estudos avaliando o remédio Orlistat para perda de peso foram encontrados. Todos os estudos exceto um tinham um alto risco de viés. Os resultados sugerem que existiriam alguns benefícios para os pacientes com EHNA que aderirem a programas de dietas restritivas e exercícios físicos. Porém os dados são escassos e não pudemos fazer metanálises. São necessários novos ensaios clínicos randomizados bem desenhados para avaliar os verdadeiros efeitos das diversas formas de perda de peso encontradas nesta revisão. A qualidade de vida dos participantes, o seu risco de desenvolver fibrose hepática a longo prazo e seu risco de mortalidade devem ser analisados nesses novos estudos. Deve se dar atenção especial à quantidade de peso perdida.

Conclusão dos autores: 

Devido ao fato de que existem poucos estudos, com alto risco de viés, sobre o tema foi impossível chegar a qualquer conclusão definitiva sobre a efetividade de programas de modificação de estilo de vida ou do uso do Orlistat no tratamento da EHNA. São necessários novos ECRs, com baixo risco de viés, para avaliar os benefícios e riscos a perda de peso para pacientes com EHNA. A qualidade de vida dos participantes, o seu risco de desenvolver fibrose hepática a longo prazo assim como seu risco de mortalidade devem ser incluídos entre os desfechos desses novos estudos.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

A esteatose hepática não-alcoólica (EHNA) está se tornando uma doença hepática bastante frequente. As recomendações atuais para o tratamento não são baseadas em evidências. Entre essas recomendações existem várias formas de perda de peso como dietas, exercícios, uso de medicamentos ou tratamento cirúrgico.

Objetivos: 

Avaliar os benefícios e riscos da perda de peso intencional para pacientes com EHNA.

Estratégia de busca: 

As seguintes bases de dados eletrônicas foram pesquisadas: The Cochrane Hepato-Biliary Group Controlled Trials Register, The Cochrane Central Register of Controlled Trials (CENTRAL) na The Cochrane Library, PubMed, EMBASE, Science Citation Index Expanded, Chinese Biomedicine Database e ClinicalTrials.gov até fevereiro de 2011.

Critérios de seleção: 

Foram incluídos ensaios clínicos randomizados (ECRs) que avaliaram a perda de peso através de vários métodos versus nenhuma intervenção ou placebo em pacientes com EHNA.

Coleta dos dados e análises: 

Os autores extraíram os dados de forma independente. Foi calculada a razão de chances (OR) para dados dicotômicos e a diferença média (MD) para dados contínuos, assim como seus intervalos de confiança (IC) de 95%.

Resultados principais: 

A revisão incluiu sete ECRs; cinco eram sobre intervenções relacionadas a mudança no estilo de vida (tais como dieta e exercício físico) e dois eram com Orlistat, um medicamento usado para a perda de peso. No total, 373 participantes foram recrutados e a duração dos estudos variou de um mês até um ano. Somente um estudo sobre mudança de estilo de vida foi classificado como tendo baixo risco de viés. Não foi possível realizar metanálises para os desfechos principais porque não eram relatados nos estudos primários ou existiam poucos estudos para cada desfecho em questão. Foi possível fazer uma metanálise apenas para peso corporal e índice de massa corporal. Os eventos adversos foram relatados de forma inadequada.

Tools
Information
Share/Save