Adesivos teciduais para lacerações traumáticas em crianças e adultos.

Cortes (lacerações) frequentemente precisam ser fechados para garantir um reparo adequado, e evitar infecção ou cicatrização inestética. Os ferimentos podem ser fechados por pontos (suturas), grampos, fitas ou colas (adesivos teciduais). A revisão mostrou que o adesivo é um excelente substituto de pontos, grampos ou fitas para o fechamento de cortes simples. O adesivo causa menos dor, é mais rápido e não precisa de acompanhamento para retirada. Um número discretamente maior de cortes podem reabrir (deiscência) após serem colados, comparado aos cortes fechados por pontos, grampos ou fitas. Apesar de existirem alguns tipos diferentes de colas, nenhuma delas parece ser superior.

Conclusão dos autores: 

Adesivos teciduais são uma alternativa aceitável em relação ao fechamento padrão de ferimentos para o reparo de lacerações traumáticas simples. Eles oferecem o beneficio de diminuir o tempo de procedimento e dor, quando comparado ao fechamento padrão de ferimentos. Um pequeno, mas estatisticamente significante, aumento no risco de deiscência com o uso de adesivos teciduais é observado.

Leia o resumo na íntegra...
Contexto: 

Adesivos teciduais tem sido usados há vários anos para ao fechamento de feriadas simples como alternativa ao fechamento padrão (suturas, grampos e fitas adesivas). Vantagens potenciais sobre o fechamento padrão de feridas incluem facilidade do uso, diminuição da dor, tempo de aplicação e não requerer retorno para remoção. Embora estudos tenham comparado adesivos teciduais com o fechamento padrão de feridas para determinar os desfechos cosméticos e outros desfechos secundários, nenhuma revisão sistemática foi realizada, de modo que nenhuma conclusão generalizada e definitiva acerca da efetividade dos adesivos teciduais existia.

Objetivos: 

Determinar a melhor evidência disponível dos efeitos dos adesivos teciduais no reparo de lacerações traumáticas em crianças e adultos.

Estratégia de busca: 

Foi realizada busca no Cochrane Wounds Group Specialised Trials Register (Outubro de 2007), no Cochrane Central Register of Controlled Trials (The Cochrane Library, Edição 3, 2007), MEDLINE (1950 a Outubro Semana 1 2007), EMBASE (1980 a 2007 Semana 41), CINAHL (1982 a Outubro Semana 2 2007), Web of Science - Science Citation Index (1975 a 29 de Abril de 2007), registrados sete ensaios clínicos e listas de referências de artigos. Entramos também em contato com produtores e pesquisadores na área.

Critérios de seleção: 

Enasaios clínicos controlados randomizados comparando adesivos teciduais com fechamento padrão de feridas ou um adesivo tecidual comparado com outro adesivo tecidual para lacerações agudas, lineares, de baixa tensão e traumáticas em um serviço de emergência ou atenção primária.

Coleta dos dados e análises: 

Dois autores avaliaram a qualidade dos estudos e extrairam os dados de maneira independente. Os autores dos estudos foram contactados para informações adicionais. Informações sobre efeitos adversos foram coletadas dos estudos. Desfechos estéticos (subgrupos de idade, localização da ferida e necessidade de suturas profundas), dor, tempo de procedimento, facilidade de uso, e complicações foram analisadas separadamente para duas comparações: 1) adesivos teciduais comparados ao fechamento padrão de feridas; e 2) adesivo tecidual comparado com outro adesivo tecidual.

Resultados principais: 

Treze estudos foram incluídos nessa revisão. Onze estudos compararam um adesivo tecidual com fechamento padrão de ferimentos. Nenhuma diferença significante foi encontrada em relação a estética em qualquer momento do estudo, seja pela Escala Análoga de Cosmética Visual (CVAS) ou Escore de Avaliação de Feridas (WES). Escores de dor (diferença média ponderada (DMP) -13.4 mm; IC 95% -20.0 to -6.9) e tempo de procedimento (DMP -4.7 minutos; IC 95% -7.2 a -2.1) favoreceram significantemente os adesivos teciduais. Apenas um estudo relatou sobre a facilidade do uso, favorecendo o fechamento padrão de feridas. Pequenas diferenças, mas estatisticamente significantes, foram encontradas no risco de deiscência (favorecendo o cuidado padrão das ferida, número necessário para o dano (NND) 40; IC 95% 20 a 1168) e eritema (favorecendo os adesivos teciduais, NND 10; IC 95% 5 to 239). Outras complicações não foram significantemente diferentes entre os grupos de tratamento.

Dois estudos compararam adesivos teciduais. Um estudo comparou dois adesivos teciduais diferentes, butilcianoacrilato e octilcianoacrilato, para lacerações faciais pediatricas e não encontrou diferença significante em relação a estética, dor, tempo de procedimento ou complicações. Outro estudo comparou duas formulações diferentes (viscosidades) do octilcianoacrilato para avaliar a incidência de migração do produto como um preditor de complicações da aplicação; o produto de maior viscosidade migrou significativamente em menos participantes.

Notas de tradução: 

Notas de tradução CD003326

Tools
Information
Share/Save