Transfusões de sangue para pessoas com doença das células falciformes antes de serem operadas

Pergunta de revisão

Queríamos determinar se as transfusões de sangue dadas a pessoas com doença das células falciformes antes de cirurgia de rotina ou emergente previnem complicações devidas à doença das células falciformes ou à cirurgia, sem causar efeitos secundários graves. Também quisemos determinar se algum regime particular de transfusão é melhor em pessoas com doença das células falciformes submetidas a cirurgia. Esta é uma atualização de uma revisão da Cochrane publicada anteriormente.

Contexto

A doença das células falciformes é uma doença sanguínea hereditária grave em que os glóbulos vermelhos, que transportam oxigénio, se desenvolvem anormalmente. Esta patologia afeta principalmente pessoas de origem Africana, das Caraíbas, do Médio Oriente, do Mediterrâneo Oriental e Asiática.

Os glóbulos vermelhos normais são flexíveis e em forma de disco, mas na doença das células falciformes podem tornar-se rígidos e em forma de lua crescente. As células doentes não só são menos flexíveis do que os glóbulos vermelhos saudáveis, como também são mais aderentes. Isto pode levar ao bloqueio dos vasos sanguíneos, resultando em danos dos tecidos e órgãos e em episódios de dor intensa. As células sanguíneas anormais são mais frágeis e quebram-se, o que leva a uma escassez de glóbulos vermelhos, conhecida como anemia.

As pessoas com doença das células falciformes são mais susceptíveis de necessitarem de cirurgia do que a população geral, devido a complicações secundárias à doença, tais como cálculos biliares, infecções, e problemas articulares. No entanto, a cirurgia pode levar a complicações relacionadas com a doença das células falciformes.

As transfusões de sangue antes de uma cirurgia podem ajudar a prevenir estas complicações, reduzindo o nível de anemia, diluindo os glóbulos vermelhos doentes e aumentando o nível de oxigénio no sangue. Isto pode reduzir o risco dos vasos sanguíneos ficarem bloqueados causando mais danos.

Existem diferentes tipos de transfusões de sangue. O principal objetivo de um regime de transfusão agressivo é reduzir o número de células doentes no sangue abaixo de um certo nível (geralmente as células doentes são removidas e os glóbulos vermelhos do doador são dados (exsanguino-transfusão)), reduzindo também o nível de anemia. O principal objetivo de um regime de transfusão conservador é reduzir o nível de anemia, o que também reduz a percentagem de células doentes no sangue (efeito de diluição) mas nenhuma célula doente é removida. Um regime de transfusão agressivo diminui a percentagem de células doentes no sangue a um nível muito inferior ao de um regime de transfusão conservador.

As transfusões de sangue podem estar ligadas a eventos adversos tais como: o desenvolvimento de anticorpos às proteínas dos glóbulos vermelhos do doador (aloimunização); acumulação de excesso de ferro no corpo por transfusões repetidas; aumento das taxas de infecção após a cirurgia; e prolongamento do tempo de hospitalização. Alguns tipos de cirurgia podem não requerer transfusão de sangue.

Características do estudo

Pesquisámos estudos publicados até 28 de julho de 2020. Nesta revisão, incluímos três ensaios com 990 pessoas. Um ensaio comparou a transfusão agressiva à transfusão conservadora. Dois ensaios compararam a transfusão agressiva ou conservadora antes da cirurgia à ausência de transfusão. A maioria das pessoas que participaram nos ensaios tinha uma forma de doença das células falciformes (HbSS). A maioria das operações foram as consideradas de baixo risco ou risco intermédio para complicações relacionadas com a doença das células falciformes.

Dois dos três ensaios receberam financiamento governamental, o terceiro ensaio não reportou a fonte de financiamento.

Resultados principais

Não houve diferença entre dar uma transfusão de sangue antes da cirurgia para reduzir o número de células doentes abaixo de um certo nível baixo (regime transfusional agressivo) e dar uma transfusão de sangue para aumentar o número de eritrócitos no sangue (regime transfusional conservador) na prevenção de complicações cirúrgicas ou relacionadas com a falciformização, imediatamente após a cirurgia.

Dar uma transfusão de sangue antes da cirurgia pode prevenir o desenvolvimento de problemas pulmonares relacionados com a doença das células falciformes. Um ensaio foi interrompido prematuramente porque mais pessoas desenvolveram problemas pulmonares relacionados com a doença no braço sem transfusão; no entanto, o outro ensaio não mostrou diferença. Não houve diferença entre dar uma transfusão de sangue antes da cirurgia em comparação com não dar transfusão de sangue antes da cirurgia na prevenção de outras complicações relacionada com a doença ou com a cirurgia, imediatamente após a cirurgia.

Qualidade da evidência:

A qualidade das evidência foi classificada como muito baixa para os resultados desta revisão, pelo facto de os ensaios estarem em alto risco de enviesamento e porque o seu número de ensaios era pequeno e com um número de pequeno de participantes incluídos.

Notas de tradução: 

Tradução por: Mariana Morgado, Serviço de Cirurgia Pediátrica, Centro Hospitalar de Lisboa Norte, Lisboa, Portugal; com o apoio da Cochrane Portugal.

Tools
Information
Share/Save