Orientação ultrassonográfica para a injeção de anestésicos locais em crianças para bloquear a transmissão da dor

Contexto

Um bloqueio regional envolve a injeção de um anestésico local na coluna vertebral ou em redor dos nervos para bloquear a transmissão da dor. Pode ser utilizado para substituir a anestesia geral ou para tratar a dor após a cirurgia. Encontrar uma alternativa eficaz aos analgésicos tradicionais (comprimidos ou injeções com derivados da morfina) é particularmente importante para as crianças, já que podem ser mais propensas a sofrer efeitos adversos dos analgésicos opióides, e porque a dor no início de vida pode causar danos a longo prazo (resposta exagerada à dor mais tarde). Tradicionalmente, a determinação do local exato para injetar anestésico local era feita através de referências anatómicas, ou seja, palpação de eminências ósseas ou de um vaso pulsátil (artéria, usando os dedos para sentir um pulso). Mais tarde, uma agulha eléctrica que produz uma contração muscular (neuroestimulador) foi considerada como um método mais preciso. Ao longo das últimas quatro décadas, os médicos começaram a utilizar ultrassons para localizar os nervos. No entanto, os ecógrafos são caros (22000 USD contra 1000 USD para um neuroestimulador).

Queríamos saber se a orientação ultrassonográfica pode melhorar a taxa de sucesso e reduzir a incidência de complicações de bloqueios regionais em crianças. Estas complicações podem incluir complicações neurológicas duradouras, entrada inadvertida da agulha num vaso sanguíneo, e convulsões ou paragem cardíaca por excesso de anestésico local ou por injeção inadvertida num vaso sanguíneo.

Período de pesquisa

A evidência encontra-se atualizada até março de 2018.

Caraterísticas do estudo

Incluímos 33 estudos bem desenhados com um total de 2293 crianças em que a técnica ecoguiada foi comparada com outro método de localização de nervos (referências anatómicas ou neuroestimulador) para o bloqueio regional em crianças.

Fontes de financiamento dos estudos

As fontes de financiamento incluíram uma organização governamental (dois estudos), uma organização de solidariedade (dois estudos) e um departamento institucional (treze estudos). Dois estudos declararam ter recebido ajuda da indústria (empréstimo de equipamento). A fonte de financiamento foi pouco clara em 14 estudos.

Resultados principais

Bloqueios regionais ecoguiados em crianças podem diminuir a ocorrência de falha no bloqueio. Podem também aumentar a duração do bloqueio e reduzir a dor na primeira hora após a cirurgia. A técnica ecoguiada pode diminuir o número de vezes de introdução da agulha necessário para realizar o bloqueio. No entanto, visto que a vasta maioria dos bloqueios em crianças é realizada com a criança sob sedação profunda ou anestesia geral, o verdadeiro valor deste resultado é discutível. Não existiram complicações major nos estudos incluídos. Pode existir uma pequena ou nenhuma diferença de risco de complicações minor entre os grupos de estudo. Em conclusão, se estes resultados justificam ou não o custo adicional de equipamento ecográfico deverá ter em conta a experiência do anestesiologista e os recursos do local. Os cinco estudos ainda a decorrer podem alterar as conclusões da revisão, assim que publicados e avaliados.

Qualidade da evidência

Avaliámos a qualidade da evidência como moderada para a diminuição da ocorrência de um bloqueio falhado e melhoria da intensidade da dor na primeira hora; elevada para a duração prolongada do bloqueio; e muito baixa para a diminuição do número de vezes de introdução da agulha.

Notas de tradução: 

Tradução da Unidade de Medicina Baseada em Evidências da Unesp, Brazil (Clovis Tadeu Bueno da Costa)Contato: portuguese.ebm.unit@gmail.com Translation notes: CD011436

Tools
Information
Share/Save